Ana Tex dá dicas para fazer negócios nas redes sociais

Ana Tex dá dicas para alavancar negócios com as redes sociais

Referência em marketing digital no Brasil, Ana Tex vem ao Recife no próximo sábado (14) para ministrar uma palestra com dicas de como alavancar os resultados de empresas, sites e blogs através das redes sociais. Consultora em marketing e professora universitária, ela costuma viajar pelo país para realizar cursos de capacitação e disponibiliza aulas em sua página do Facebook. A palestra acontece das 9h às 17h, no Hotel Recife Atlante Plaza, e custa R$ 250. As inscrições podem ser realizadas clicando aqui. Em entrevista ao Diario de Pernambuco e BitBlog, ela ressaltou a importância de produzir conteúdo de qualidade para fisgar os internautas.

ENTREVISTA

Pequenas e médias empresas também estão preocupadas com gestão de presença nas redes sociais ou essa prática fica restrita às grandes marcas?

Por serem gratuitas, as (principais) redes sociais são muito democráticas e acessíveis para todos. Mas o pequeno empreendedor e empresas de médio porte geralmente não sabem como administrá-las. Nesses casos, é recomendável buscar conhecimento na própria internet e cursos de capacitação. Hoje existem muitas opções online e presenciais.

Qual a principal dica para as marcas se darem bem nas redes sociais?

As empresas precisam compartilhar conteúdo capaz de gerar valor para o cliente, em vez de disseminar exclusivamente conteúdos de venda, que deveriam ser apenas 20% das publicações. Isso garante mais engajamento e credibilidade, com reflexo direto nos resultados.

Embora sejam essenciais na estratégia de comunicação das marcas, as redes sociais são imprevisíveis. O Facebook, por exemplo, sempre muda as regras do jogo, diminuindo o alcance orgânico. Como lidar com isso?

O ideal é que o empreendedor esteja ciente de que isso acontece e afeta todo mundo, então não é uma desvantagem unicamente para a empresa dele. É preciso separar uma parte da verba com redes sociais para anunciar. No Facebook dá para fazer uma segmentação muito precisa do público-alvo, então até compensa o investimento em publicidade. Mas o conteúdo dos anúncios também precisa ser muito bom, de preferência entretendo as pessoas ou ensinando coisas.

O design é parte importante do conteúdo. Quais as recomendações para fazer um trabalho nas redes sociais que fique visualmente atrativo para o internauta?

A identidade visual precisa ter relação com o conteúdo e o público. Uma prática muito adotada, usar imagens do Google e de outras empresas, deveria ser abolida. Isso pode render até processo por direitos autorais. Se o problema for falta de recursos financeiros, uma alternativa é fazer parcerias. Conheço uma loja de roupas femininas que se uniu a uma agência de modelos e um estabelecimento que vende calçados. Eles produziram fotos com os produtos e ficaram divulgando nas redes sociais, sempre com um fazendo referência à marca do outro nas postagens.

A linguagem utilizada nas redes sociais deve ser a de internet, com expressões e apelo jovial, ou seguir um padrão coerente com os valores e a forma como a marca se posiciona no mercado?

Eu percebo que as marcas tentam se adaptar a essa linguagem da internet, com jargões próprios do ambiente digital e um tom mais informal. Elas já sentiram, por exemplo, que o conteúdo bem-humorado possui mais chances de viralizar. Ao mesmo tempo, é necessário ajustar a linguagem a um meio termo entre o que os internautas querem e como a marca se posiciona. Um exemplo recente é o SBT, que trabalhou bem as chamadas da nova novela para as redes sociais e conseguiu grande repercussão.

Como isso funciona com de empresas ou entidades que necessitam passar uma imagem de austeridade? A Prefeitura de Curitiba faz sucesso nas redes sociais ao optar por uma comunicação bem despojada. Ao mesmo tempo, não é arriscado?

Nesse caso, a equipe que cuida da gestão de redes sociais precisa estar muito alinhada com o poder público. Eu gosto bastante do conteúdo da Prefeitura de Curitiba e várias pessoas de outros estados seguem a fanpage da cidade por conta do diferencial na linguagem. A internet sempre vai trazer riscos, mas acredito que as redes sociais de Curitiba conseguem mais empatia do que rejeição. Também é uma forma de se aproximar do público.

Na sua visão, quais as características das principais redes sociais da atualidade?

O Facebook, pela grande base de usuários, é a mais importante. Mas, para ter um bom retorno, é preciso capacitação e investimento em anúncios. O Twitter é interessante para formadores de opinião e tende a crescer muito com o Periscope, que tem um caráter mais informal. O Instagram possui a maior taxa de engajamento e é propício para marcas muito visuais. O YouTube é o segundo maior buscador do mundo e só perde para o Google. Pode ser uma boa ideia produzir vídeos e incorporar eles em sites ou blogs. Já o Snapchat funciona para mostrar bastidores e faz sucesso entre os blogueiros.

Você observou que o Instagram tem a maior taxa de engajamento, mas ele não permite links clicáveis nas publicações. Isso prejudica a conversão de internautas em leads (potenciais clientes)?

Eu já vi algumas empresas que trabalham com links encurtados no Instagram e eles são customizados para que sejam fáceis de decorar. Outra opção é sempre pedir nas postagens que os usuários vejam o link na descrição do perfil, o único que pode ser clicado nesta rede social. Sou adepta do Instagram e sempre consegui gerar leads, mesmo com esta limitação. Acho que quando a pessoa realmente fica interessada, ela vai buscar o site. Além disso, o Instagram agora permite fazer anúncios com botões que podem mandar para um site.

Como expandir a base de clientes através das redes sociais?

É preciso ter uma estratégia para levar os seguidores e fãs para uma mídia própria, como uma lista de e-mails. Você sempre corre o risco de perder uma conta no Facebook, no YouTube ou no Snapchat. Quando você cria um relacionamento com essa lista, ganha mais autonomia e desenvolve melhor a relação. Existem ferramentas que dão métricas para avaliar o resultado desses e-mails. O monitoramento, no marketing digital, é muito importante.

O marketing digital vai além do cuidado com as redes sociais. Um problema ainda muito comum são sites cuja formatação não facilita a navegação em dispositivos móveis. O que acha disso?

Existe um crescimento muito grande do segmento de mobile e as pesquisas mostram que boa parte das pessoas se conecta pelo celular. Essa questão do site otimizado para o smartphone é superimportante, mas várias empresas ainda não atentaram para isso.

SAIBA MAIS

Participam do evento as blogueiras Aline Fav (Inspiredresses) e Nathália Cansanção (Eu Disse Sim). Elas darão dicas de como conseguiram 100 mil seguidores.

O Facebook recentemente divulgou seus resultados trimestrais. Já são 1,55 bilhão de usuários ativos mensais e 1 bilhão de usuários todos os dias.

Também impressiona os números de usuários mensais do WhatsApp (900 milhões) e Instagram (400 milhões).

A cada dia, oito bilhões de vídeos são vistos apenas no Facebook, uma prova de que o formato consegue bom engajamento.