BitBlog - Games

Games

Destiny 2 tem pôster oficial divulgado pela Bungie

A comunidade gamer ficou empolgada nesta segunda-feira com um pôster oficial de Destiny 2. A Bungie, desenvolvedora responsável pela franquia, já havia dito que uma sequência estava a caminho e seria lançada ainda em 2017. Desde então, praticamente ninguém dava uma palavra sobre o jogo, mas rumores e imagens vazadas começaram a se espalhar pela internet nos últimos dias. Até que hoje veio à tona o pôster oficial. A fanpage do PlayStation divulgou ele com a mensagem “guardiões, um novo desafio se aproxima”. Entretanto, não há mais detalhes sobre o título.

Data de lançamento de Destiny 2

Esta é a pergunta que todos os fãs da franquia estão se fazendo. Afinal de contas, quando Destiny 2 será lançado? Não há uma confirmação oficial, mas imagens vazadas sugerem que a sequência estará disponível no dia 8 de setembro. As plataformas também não foram divulgadas, mas dificilmente ele será um exclusivo. A imagem promocional foi retuitada tanto pelo perfil do PlayStation como do Xbox no Twitter.  Antes que algum nintendista fique esperançoso, não vimos nada nos perfis da Big N. Com certeza teremos mais informações durante a E3 2017, que acontece em junho, embora é bem provável que antes disso a data seja anunciada.

A franquia Destiny

Para quem dormiu no ponto, Destiny é um jogo desenvolvido pela Bungie e publicado ela Activision. O game de tiro em primeira pessoa (FPS) é online e se passa em um mundo aberto com aquela pegada futurista e pós-apocalíptica que faz muita gente pensar em Halo. Leia mais sobre o enredo de Destiny clicando aqui. Se tiver com preguiça, lá vai o resumo: a humanidade aproveitou os avanços tecnológicos para colonizar planetas. Para variar, algo deu errado e a galera sobrevivente na Terra tem que ser protegida pelos guardiões que recebem energia de uma bola gigante que sobrevoa a cidade. Você é o guardião, agora te vira!

Gráficos de Destiny impressionam. Game foi lançado em 2014

Gráficos de Destiny impressionam. Game foi lançado em 2014

Lançado para PS3, Xbox 360, PS4 e Xbox One, as notas no Metacritic ficaram na casa de 75/100. Em geral, os gráficos são muito elogiados, assim como a trilha e os efeitos sonoros, mas há quem considere o jogo muito repetitivo por conta de missões parecidas e com uma história que não consegue prender o jogador. De uma forma ou de outra, a base de fãs de Destiny é bem grande e eles com certeza estão bem ansiosos para ver Destiny 2.

Gameplay de Destiny

Para quem nunca jogou Destiny e quer conhecer mais sobre a franquia, separamos também um vídeo com gameplay de uma das missões. É a nossa parcela de contribuição para aumentar o hype em torno de Destiny 2, a sequência que chegará em 2017 e, embora a data de lançamento continue um mistério, reza a lenda que será 8 de setembro. Pode avançar o vídeo para 2 minutos, que é quando as coisas realmente ficam interessantes.

Call of Duty em terceira pessoa? Conheça Devil’s Brigade

Call of Duty é uma das franquias mais bem-sucedidas da história dos videogames. Após o lançamento de Modern Warfare em 2007, a série explodiu em termos de popularidade, determinando a saúde financeira da Activision. Para manter a frequência de lançamentos anual, a empresa reveza os projetos entre diferentes estúdios.

Para possibilitar lançamentos tão frequentes, sabe-se que existem inúmeros Call of Duty sendo feitos ao mesmo tempo, com muitos deles terminando cancelados. Um deles seria Devil’s Brigade, para Xbox 360, PS3 e Windows. Conheça um pouco do título em mais um post da coluna No Limbo.

Call of Duty “fora da caixa”

Soldado invade cidade italiana, com visão em terceira pessoa

Tudo parece tão calmo…

Conhecido na Activision por desenvolver jogos relacionados a BMX, além de Agressive Inline e X-Men: The Official Game, o estúdio interno Underground Development recebeu a difícil missão de trabalhar em um Call of Duty. O game seria uma espécie de “plano B”, caso a Infinity Ward não conseguisse entregar Modern Warfare para o final de 2007.

Usando (de forma clichê, mas enfim) a Segunda Guerra Mundial como tema, foi iniciado o desenvolvimento de Devil’s Brigade. Com combates táticos, muita exploração e esquadrões repletos de soldados americanos e canadenses, a primeira missão faria o jogador – em plena Itália – sair do esgoto, alcançando uma praia próxima ao Rio Tibre e então dominando uma cidade repleta por pontes.

A parte inicial do jogo levava 15 minutos e foi usada pela Activision para avaliar a viabilidade do projeto. Até mesmo movimentos de parkour eram possíveis! Orientações para o esquadrão seriam passadas a partir do direcional digital do joystick. Bastava um deslize e todos os colegas poderiam ser mortos. Em um ritmo mais lento que o habitual para um Call of Duty, era preciso adotar uma estratégia coerente para o jogador ser bem-sucedido.

Indo por água abaixo


Gameplay curtíssimo do jogo

Modern Warfare foi terminado a tempo pela Infinity Ward, lançado no fim de 2007 e vendendo horrores (num bom sentido). A Treyarch (com a experiência do segundo e terceiro CoD) já trabalhava no que seria Call of Duty: World at War. Enquanto tudo isso acontecia, a fusão da Activison com a Vivendi Games fazia os executivos reavaliarem os projetos atuais, fechando estúdios que não tinham um histórico comprovado, nem títulos em andamento já com uma quantidade considerável de progresso. Devil’s Brigade era uma aposta que giraria o rumo da série em 180 graus e, mesmo com uma demonstração bem avaliada dentro da Activision, terminou cancelado.

Competir, dentro da empresa, com estúdios com experiência comprovada na franquia tornou-se missão impossível para a Underground Development. No entanto, seria interessante ver o impacto de um game tão diferente como Devil’s Brigade para a série. Inovações são sempre bem-vindas. Infelizmente, CoD terminou seguindo uma fórmula clichê, que segue gerando receitas enormes. Quando tentou-se apostar em algo diferente (Advanced Warfare), os jogadores pediram… um remaster de Modern Warfare. Precisa falar mais alguma coisa?

Quer conhecer mais jogos arquivados? Siga a nossa coluna No Limbo. Já falamos das tentativas frustradas de retorno de Mega Man, do Tomb Raider que envolveria um macaco ajudando Lara CroftHalo para Nintendo DS, a sequência de Star Fox para SNES, Resident Evil 1.5 e 3.5, entre muitos outros!

StarCraft Remastered é revelado pela Blizzard

Clássico de 1998, StarCraft será relançado para Windows e Mac no meio de 2017. StarCraft Remastered vai trazer também o pacote de expansão Brood War, gráficos em 4K e trilhas sonoras refeitas. Além disso, contará com suporte à Blizzard App (conhecida antes como Battle.net), o mesmo client de Overwatch – habilitando um sistema robusto de matchmaking.

O anúncio foi feito em um evento do game na Coreia do Sul. Mike Morhaime, CEO da Blizzard, destaca que o game é uma “referência nos jogos competitivos e em ligas eSports durante quase 20 anos”. Ainda não há informações sobre o preço da edição remasterizada. No entanto, sabe-se que tanto o original quanto o StarCraft Remastered terão cross-play e compartilharão os dados salvos. Tá de parabéns pelo gesto, Blizzard! Só assim para justificar a compra de um remaster, principalmente em uma época em que a indústria parece viver uma crise de identidade.

Super Mario Run não trouxe lucros satisfatórios para a Nintendo

Sim, nós gostamos de Super Mario Run, a estreia do mascote no iOS e Android. Mas o modelo bizarro de monetização (trial gratuito, 10 dólares para liberar o resto) causou revolta na comunidade gamer. Isso impactou na avaliação do jogo na App Store, inclusive. Agora, com a chegada ao Android, a Nintendo aumentou o conteúdo da edição gratuita, mas ainda não conseguiu fugir das críticas.

Super Mario Run não é o número 1 da Nintendo no iOS?!

Em conversa com o Nikkei, o presidente da Nintendo, Tatsumi Kimishima, revelou que o título “não alcançou as expectativas (de lucro)”. Enquanto isso, Fire Emblem Heroes adotou um modelo freemium (grátis para jogar, com itens especiais pagos) e se tornou o título mobile mais rentável da empresa. Ainda assim, um executivo afirmou ao Nikkei que a casa de Mario ainda não acredita completamente nesta forma de monetização e insistirá em Super Mario Run do jeito que é hoje.

Telas do game: mapa, conclusão de fase e gameplay em mansão assombrada

Super Mario Run: um game bem interessante, mas que sofreu com uma péssima estratégia de marketing e monetização

Se a chegada do jogo ao Android vai mudar a situação, nós não sabemos. Mas Nintendo, vem cá: deixa de ser teimosa!

Games with Gold traz Ryse e Darksiders ao Xbox em abril

O Games with Gold tem se mostrado um programa mais interessante do que o do rival PlayStation, com mais jogos “gratuitos” interessantes para os assinantes. Abril (de 2017) parece ser um mês bem interessante. Basta olhar as pontuações do Metacritic abaixo!

É sempre importante lembrar que os títulos do Xbox 360 funcionam também no Xbox One, devido à retrocompatibilidade. Portanto, se você possui o console mais recente da Microsoft, são quatro jogos ao invés de dois.

Ryse: Son of Rome é o destaque do Xbox One

Gratuito para assinantes da Live Gold durante todo o mês de abril, Ryse: Son of Rome é um título de lançamento do One que dividiu opiniões. Ame ou odeie, vale a pena dar uma conferida! Enquanto isso, a segunda temporada de The Walking Dead, da Telltale Games, chega no fim do mês.

  • Ryse: Son of Rome – 01 a 30 de abril
    • Metacritic 60
  • The Walking Dead: Season 2 – 16 de abril a 15 de maio
    • Metacritic 81

Darksiders é o carro-chefe para o 360

Aventura épica da THQ Nordic, o primeiro Darksiders é o destaque para Xbox 360. Com uma longa campanha solo e influências da franquia Zelda, o título está disponível já a partir de primeiro de abril. Em seguida, o último jogo da série original de Assassin’s Creed, Revelations.

  • Darksiders – 01 a 15 de abril
    • Metacritic 83
  • Assassin’s Creed Revelations – 16 a 30 de abril
    • Metacritic 80

EA Play 2017 terá novidades de Star Wars Battlefront e Need for Speed

A Electronic Arts revelou os planos para a EA Play deste ano. A segunda edição do evento, assim como ocorreu em 2016, vai anteceder a E3 – a maior feira de games do mundo – e será realizada entre os dias 10 e 12 de junho, em Los Angeles. Na ocasião será mostrada a nova sequência de Star Wars Battlefront, que estará jogável para os presentes. Outros destaques da EA Play 2017 serão FIFA 18, NBA Live 18, Madden NFL 18 e um novo Need for Speed. Há a possibilidade de que outros jogos sejam revelados de surpresa durante o evento, que ainda contará com competições e transmissões ao vivo para criar aquele hype indispensável à indústria dos games.

O que é a EA Play?

É um evento da Electronic Arts que terá sua segunda edição em 2017. Assim como a E3, ele acontece em Los Angeles, nos Estados Unidos, porém um pouco antes da tradicional feira no LA Convention Center. A ideia é criar um ambiente dedicado e com mais imersão para os fãs das franquias da EA, já que é um período em que somos bombardeados de informações sobre lançamentos.

Como participar do evento?

Geralmente existe um credenciamento gratuito para imprensa e blogs especializados em games. O BitBlog cobriu a EA Play 2016 direto de Los Angeles e vai tentar retornar ao evento neste ano. Para jogadores que estejam dispostos a desembolsar uma grana e viajar para os Estados Unidos, há ingressos pagos. A Electronic Arts vai começar a vender ingressos para a EA Play 2017 no dia 20 de abril, a partir das 13h no horário de Brasília. Geralmente eles esgotam rápido. Se você está interessado em adquirir um ingresso para a EA Play 2017, assinar a newsletter do evento pode ser uma boa ideia. De uma forma ou de outra, quem ficar em casa vai ter a cobertura do BitBlog e da própria EA, com transmissões ao vivo e updates nas redes sociais.

Fallout VR será mostrado pela Bethesda na E3 2017

A edição 2017 da E3 promete ser inesquecível para os fãs da franquia Fallout, da Bethesda. O vice-presidente de relações públicas e marketing da empresa, Pete Hines, falou que o Fallout VR será mostrado no evento, que acontece de 14 a 16 de junho em Los Angeles, nos Estados Unidos. O BitBlog já está devidamente credenciado e prepara uma cobertura completa, nos moldes de como foi feito na E3 2016.

“Será a coisa mais incrível que você já viu. O jogo é muito realista para onde quer que você olhe”, revelou Pete Hines em uma entrevista durante o PAX East 2017. Um detalhe curioso é que apesar de apostar em um futuro promissor para a realidade virtual na indústria dos games, o executivo da Bethesda contou que ainda se sente enjoado com os movimentos quando tem uma experiência no VR.

O que sabemos sobre Fallout VR

  • Fallout VR será mostrado na E3 2017, que acontece em junho.
  • Até agora, ele está confirmado apenas para o HTC Live.
  • Não há data de lançamento para Fallout VR.
  • Todd Howard, um dos diretores da Bethesda, falou que jogadores vão adorar o Pip-Boy e o sistema V.A.T.S.
  • Até agora o mais difícil para os desenvolvedores tem sido tornar a locomoção no VR mais agradável.

Nossa impressão sobre o VR nos games

Eu e Diego, editores do BitBlog, somos entusiastas do VR e provavelmente vamos fazer nossa aquisição ainda neste ano. Mas é verdade que a tecnologia precisa evoluir para ficar mais confortável. Quando testamos RIGS durante a E3 2016, os 15 minutos foram o suficiente para a gente sair com a cabeça girando. Jogos mais amenos, como Wayward Sky, proporcionam uma imersão mais relaxante. Parece que o desafio agora é tornar o VR uma experiência mais viável para o público hardcore. Torceremos por isso.