Jogamos: Final Fantasy XV é um novo recomeço

Jogamos: Final Fantasy XV é um novo recomeço

Após alguns tropeços em títulos recentes, ser bem-sucedida em Final Fantasy XV é uma questão de honra para a Square Enix. Considerando que o jogo vem sendo feito desde 2006, com direito a muitas reviravoltas na produção, em 30 de setembro – data de lançamento – saberemos se a longa espera valeu a pena. Até lá, oportunidades como a E3 nos ajudam a termos um gostinho de como está ficando o aguardado título.

Na E3, além da demo em VR (falaremos dela depois), foi disponibilizada a missão The Trial of the Titan. Ao explorar uma caverna e enfrentar alguns inimigos, pudemos enfim avaliar o novo sistema de combate do game, que sai do tradicional modelo em turnos para uma abordagem mais dinâmica. Até que funcionou bem! Mas era só o início. Ao seguir com o protagonista Noctis e seus parceiros Gladiolus, Ignis e Prompto pelo caminho, eis que surge um gigante chefe. Foi preciso me esquivar de vários ataques para poder, enfim, achar uma brecha para invocar Blizzara no braço da criatura. Com isso, os heróis seguiram a aventura e terminou a demonstração.

Final Fantasy XV - E3 2016 - 2Segredo para vencer o chefão da E3: correr, correr e correr

Quando terminou, a impressão é que a demo foi tão rápida que não deu pra formular uma opinião adequada. O novo sistema de batalhas é interessante, mas exige um pouco de treino. Além disso, resta saber se o resultado final será tão linear como vimos na E3. Por enquanto, vamos ficar na torcida para a franquia voltar ao seu auge.