Jogamos: For Honor é o retorno dos combates medievais

Jogamos: For Honor é o retorno dos combates medievais

Gosto muito de ver os grandes players da indústria de games investindo em franquias novas. É louvável que a Ubisoft, neste ano, tenha deixado passar Assassin’s Creed e tenha investido em duas novas séries. Uma delas é For Honor, que chamou nossa atenção e que testamos durante a E3 2016.

Na demo – que tinha duração máxima de 10 minutos – a primeira fase do jogo estava disponível. Em The Art of Battle, no comando de um viking, comandamos um exército no ataque a um grupo rival, até vencer o seu líder. Tudo começa com a explicação de como atacar e se defender – este último, por acaso, é importantíssimo. Para se proteger de ataques adversários adequadamente, ao estar com a mira travada neles (LB no caso do Xbox One, ou L2 no PS4), é preciso usar o analógico direito na direção do golpe. Caso contrário, o protagonista sofre danos consideráveis.

For Honor - E3 2016Reação do público no estande da Ubisoft foi bem positiva

Após a explicação “básica”, a ação começa. Ao lutar contra grandes grupos de oponentes, não é interessante travar a mira, pois é possível acertar mais de um ao mesmo tempo. No entanto, ao lidar com guerreiros mais experientes, usar uma estratégia defensiva é essencial para sobreviver. Ao contrário de outros companheiros da imprensa, não achei For Honor difícil. De fato, exige uma certa prática, mas não é nada do outro mundo. Mal posso esperar para conhecer os modos de combate multiplayer online que a Ubisoft promete. 02 de fevereiro de 2017 nunca pareceu tão longe!