aplicativos

Uber começa a operar no Recife nesta quinta

Agora é para valer. Depois de meses flertando com a possibilidade de iniciar operações no Recife, o aplicativo Uber – que já vinha dando vários sinais de interesse na capital pernambucana – finalmente oficializou a chegada do serviço à cidade. A informação é da própria equipe de comunicação do famoso app e foi divulgada na edição desta quinta-feira (03) do jornal Diario de Pernambuco, parceiro do BitBlog. Por enquanto, funcionará no Recife a modalidade UberX, que é um Uber “mais econômico”, digamos assim.

Há algumas semanas o Uber vem investindo em anúncios segmentados no Facebook para internautas do Recife. O objetivo era justamente aumentar a base de interessados em trabalhar como motoristas para o serviço de transporte particular. No mês passado, a gente repercutiu aqui no BitBlog uma entrevista do gerente geral do Uber para a América Latina, Andrew MacDonald, que confirmava os planos de expansão da empresa para o Norte e Nordeste do Brasil no roadmap de 2016.

Em outra ocasião, o blog analisou a possibilidade do Uber começar a operar no Recife – e que agora se torna realidade. Também fomos um dos primeiros veículos a noticiar, em agosto passado, a abertura de vagas do Uber na capital.

A partir das 14h desta quinta-feira, que é quando começa a operar, Recife passa a ser a oitava cidade brasileira a receber o serviço. O Uber já atuava em Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Goiânia, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

Polêmico pela disputa acirrada com os taxistas (que o consideram serviço clandestino) e também por ousar confrontar o poder público – para se ter uma ideia, a Prefeitura do Recife chegou a dizer que não foi notificada pela empresa – a novidade deve dar o que falar.

COMO BAIXAR O UBER

O aplicativo do Uber é gratuito. Ou seja, você não vai pagar nada para fazer download dele no seu smartphone. Paga apenas pelas corridas, é claro.

Clique aqui para baixar o Uber para iOS.

Clique aqui para baixar o Uber para Android.

Clique aqui para baixar o Uber para Windows Phone.

COMO O UBER FUNCIONA?

O Uber é relativamente parecido com aplicativos como o Easy Taxi e o 99Taxis. Primeiro você precisa baixar o app no seu smartphone e efetuar um cadastro para inserir seus dados pessoais e informações de pagamento.

Através do GPS e sinal Wi-Fi, o aplicativo já vai tentar descobrir a sua localização. Há a opção de procurar o endereço no mapa ou digitar manualmente o ponto de partida. Depois é só escolher a modalidade do serviço na lista – aqui no Recife só tem o UberX disponível, por enquanto. A tela irá exibir as tarifas correspondentes ao serviço selecionado.

O usuário também pode informar previamente para onde ele deseja ir e receber uma estimativa do valor. As tarifas do Uber são um pouco diferentes do que estamos acostumados a ver com os táxis. Em geral, é feita uma cobrança baseada em tempo, distância e tipo de veículo contratado.

No Recife, o preço base do UberX será de R$ 2,50, com adicionais de R$ 0,17 por minuto, R$ 1,15 para cada quilômetro rodado e valor mínimo de R$ 6. Em São Paulo, para efeito de comparação, o preço base do UberX é R$ 2, com adicionais de R$ 0,26 por minuto e R$ 1,40 para cada quilômetro rodado. O valor mínimo cobrado é R$ 7.

Há, ainda o preço dinâmico, que pode ser ativado quando a demanda pelo serviço cresce repentinamente – a exemplo de carnaval e Réveillon. Clique aqui para entender como funciona o preço dinâmico. Nessas situações, prepare o bolso porque a tarifa aumenta.

COMO SER MOTORISTA DO UBER?

O Uber está continuamente buscando novos motoristas, a quem chama de parceiros. Se você possui interesse, clique aqui para fazer seu cadastro. Existem requisitos específicos – como modelo e ano do veículo que variam de acordo com a modalidade.

Eu recomendaria aos interessados em dirigir para o Uber que participem de grupos no Facebook. Já existe até um grupo do Uber no Recife. Mas tem outros como este daqui e este outro. Aproveite para ler relatos e trocar experiências.

REPERCUSSÃO


Preços da Google Play serão cobrados em reais

A Google Play, loja virtual onde ficam jogos e aplicativos para Android, anunciou nesta terça-feira uma mudança que deve ser muito benéfica aos usuários brasileiros. Os desenvolvedores nacionais agora podem precificar seus produtos (incluindo itens in-game) em reais. Com a novidade, o valor mínimo sofre um pequeno ajuste, indo de R$ 2,50 para R$ 0,99. Confira a justificativa oficial do Google:

“Disponível em mais de 190 países, o Google Play é uma plataforma global na qual desenvolvedores podem construir aplicativos de alta qualidade e negócios de sucesso. Porém, cada mercado tem necessidades e oportunidades únicas. O comportamento de compra, em particular, varia de forma significativa entre os países. Para fornecer aos desenvolvedores mais flexibilidade, adaptamos as opções de preço oferecidas pelo Google Play de modo que possam ser ajustadas aos consumidores locais e, assim, tornar o conteúdo mais acessível”.

A expectativa é que a nova forma de cobrança signifique redução de preços para o consumidor e deixe os brasileiros menos reféns do câmbio. É bom lembrar que a cotação do dólar tem oscilado bastante desde o final de 2014. A estratégia do Google também será adotada em outros 16 países e a Índia foi pioneira a receber o projeto-piloto, no início do ano.

Os desenvolvedores, por sua vez, vão ter que repensar a relação Número de Downloads x Preço para avaliar os possíveis benefícios (ou prejuízos) de uma eventual redução. E, assim, continuar na disputa por espaço no concorrido mercado dos aplicativos para dispositivos móveis.

Rendeevoo, um app de paquera com drinks

rendeevoo aplicativo

Poderia ser apenas mais um aplicativo de paquera para quem curte a ideia de descolar um par pelo smartphone. Nascido de uma startup britânica, o mais interessante do Rendeevoo é perceber que ele se leva muito a sério e traz uma abordagem diferenciada. Com o mote “have a drink with someone today”, o conceito do app – disponível apenas para iOS – gira em torno da premissa de que conversas por texto são muito sem sal e é bem melhor beber uns drinks e conversar pessoalmente.

“Porque nenhuma boa história começa com uma salada”, justifica o site oficial do Rendeevoo, que arrecadou mais de 33 mil libras em uma campanha de crowdfunding no ano passado. A meta era 25 mil libras, mas as pessoas parecem ter gostado da ideia. Em uma entrevista, um dos idealizadores do aplicativo falou que o Tinder e apps derivados não oferecem nenhum incentivo para encontros reais e que ele gostaria de encorajar as pessoas a se conhecerem de verdade. E, de quebra, tomar uns bons drinks.

Campanha #HojeNãoDirijo, da 99Taxis com a Johnnie Walker, volta ao Recife em novembro

99Taxis Johnnie Walker

A campanha #HojeNãoDirijo, parceria da 99Taxis com a Johnnie Walker, vai voltar ao Recife no próximo mês. O BitBlog recebeu um release (comunicado à imprensa) da assessoria de comunicação do aplicativo, indicando que a promoção retorna no dia 6 de novembro. Outra novidade, exclusiva da capital pernambucana, é uma ação com um táxi inglês. Um Austin 95 original, com volante do lado direito, vai circular pelas ruas de 20 a 29/10, das 17h às 2h.

Confira:

A campanha de consumo responsável de Johnnie Walker realiza temporadas de doação de corridas de táxi nas noites de sexta e sábado, das 21h às 04h, para incentivar a mudança de hábito do brasileiro frente à bebida e direção. A próxima temporada do benefício – que oferece corridas de até R$ 20 em oito capitais brasileiras, incluindo Recife – começa na primeira sexta-feira de novembro (06/11) e vai o até o final do ano.  Para utilizar os quilômetros disponíveis, o interessado deve baixar gratuitamente o aplicativo 99Taxis em seu smartphone e escolher, como forma de pagamento, o #HojeNãoDirijo. O benefício está disponível para maiores de idade, que poderão usá-lo uma vez por fim de semana.


Um táxi inglês original começa a circular pelas ruas de Recife como parte da campanha e vai dar corridas gratuitas para a população no táxi – modelo Austin 95 – das 17h às 02h, todos os dias, até 29/10 (uma quinta-feira). O táxi inglês será cadastrado no app do 99Taxis e qualquer pessoa maior de 18 anos que pedir uma corrida nesse período poderá ser surpreendida com a chegada do modelo inglês. Além da experiência de andar em um táxi original, com volante no lado direito e tudo, essas corridas serão gratuitas.

De 16 a 19/10, o táxi inglês também vai dar corridas de cortesia para os frequentadores do Boteco Maxime, localizado na Avenida Boa Viagem. Os clientes que quiserem voltar para casa em segurança depois do happy hour devem fazer a solicitação aos garçons do Maxime, que vão pedir a corrida gratuita pelo aplicativo. O táxi estará disponível ao público da casa das 20h às 02h.

99Taxis Austin 95

App Annie lista os aplicativos mais baixados e rentáveis para iOS

A consultoria App Annie, especializada em análise de tendências na indústria dos aplicativos para dispositivos móveis, publicou nesta quarta-feira (02) um relatório com a lista dos apps mais populares para iPhone e iPad. A pesquisa segmenta os resultados para aplicativos em geral e games. Ela também indica quais receberam mais downloads e os que tiveram maior receita.

As conclusões do levantamento são bem interessantes. Ele indica que Google, Facebook e Apple, sozinhos, respondem por oito dos dez aplicativos mais baixados no iOS. A maioria do Top 10 Geral exista há mais de quatro anos. Uma característica em comum entre eles são os recursos de compartilhamento e o fator social.  Entre os mais rentáveis ocorre maior diversificação das empresas desenvolvedoras e o Skype é o único que figura no Top 10 dos mais baixados e mais lucrativos. Quanto aos games, o relatório da consultoria App Annie conclui que os jogos casuais são os mais baixados.

Top 10 Games – Maior quantidade de downloads

App Annie Games mais baixados

Top 10 Games – Maior receita

App Annie Games mais rentaveis

Top 10 Geral – Maior quantidade de downloads

app Annie Geral mais baixados

Top 10 Geral – Maior receita

App Annie Geral mais rentaveis

Aplicativo Tep ajuda a emagrecer com ajuda de tamagotchi

Tep aplicativo fitness

O estilo de vida fitness faz sucesso no mercado de dispositivos móveis. Vários aplicativos, como RunKeeper, Runtastic e 50em5 (este último já falado aqui no blog) conquistam usuários oferecendo funcionalidades para ajudar as pessoas a ficarem em forma. Um novo aplicativo, o Tep, trilha o mesmo caminho, mas usa uma abordagem criativa ao mesclar o estímulo aos exercícios com um ícone dos anos 90: o tamagotchi.

Disponível para iOS, Android e Windows Phone, o Tep permite que você estabeleça metas para atividades físicas, como caminhar, correr e andar de bicicleta, registrando todo o progresso. Até aí, sejamos francos, o app é mais do mesmo. O pulo do gato foi abraçar o conceito de gamificação e inserir bichinhos virtuais no meio disso tudo. À medida em que os exercícios são feitos, o Tep pontua o usuário com moedas virtuais. Elas são utilizadas para cuidar de uma simpática girafinha, lembrando os tamagotchis de antigamente.

As moedas servem para comprar roupas customizadas para sua girafa, alimentá-la e mudar o cenário, entre outras ações. Afinal, você pode até ser meio descuidado com o próprio corpo e a alimentação (não se sinta mal se a carapuça caiu, estamos juntos!). Mas que tipo de pessoa seria capaz de deixar um filhote de girafa triste e passando fome?

Com esse apelo emocional, o Tep pega carona no lúdico e na nostalgia para cumprir sua proposta fitness. Segundo o site oficial, mais de 5 milhões de calorias foram queimadas pelos usuários desde o lançamento, no final de julho deste ano. Somente na Google Play, mais de 10 mil pessoas já baixaram o aplicativo, que é gratuito e foi bem avaliado: tem nota 4.1 de 5.

Acho até que vou experimentar.

App pernambucano, FindUp acha técnico de informática mais perto de sua casa

 

Um aplicativo desenvolvido por uma empresa de Pernambuco quer facilitar a vida de quem precisa encontrar técnicos de informática para fazer manutenção ou solucionar problemas no micro. A proposta do FindUp, criação da QE2 Tecnologia, é tornar o smartphone o caminho natural para suceder a clássica frase “deu pau no PC”. O app possui uma base com cerca de 2 mil profissionais registrados e todos passam por uma seleção criteriosa. A partir do próximo mês, a ferramenta, que atende apenas a Região Metropolitana do Recife, vai ter sua operação expandida para outras capitais brasileiras. Os idealizadores, no entanto, sonham mais alto, buscam investidores e já falam em internacionalização.

O CEO do FindUp, Fabio Freire, conversou com o BitBlog e explicou que no primeiro momento a demanda era apenas interna. De acordo com ele, a QE2 Tecnologia (sediada no bairro de Boa Viagem, no Recife) atua com infraestrutura e possui ampla rede de técnicos espalhados pelo Brasil. No início de 2014, Fabio e seus dois sócios – Tiago Lira e Gustavo Ferreira – se depararam com um problema: Como monitorar esses profissionais de forma eficiente e saber o tempo gasto com cada chamado?

tela_mapa_FindUpA resposta surgiu com uma ideia que, posteriormente, viria a se tornar o FindUp. Foram meses até ela sair do papel por conta de um entrave. “A gente trabalhava com infraestrutura e ninguém escrevia uma linha de código. Como iríamos desenvolver isso?”, recorda Fabio Freire. Em setembro, a QE2 foi uma das 15 instituições selecionadas para participar do programa TI de Impacto, promovido pela Softex com a missão de auxiliar empresas a pensarem estratégias de inovação.

Foram 80 horas de treinamento e 30 horas de consultoria nacional e internacional. “Aproveitei o programa para validar a ideia e, depois do pitch, conquistamos o primeiro lugar nacional”, destaca o CEO do FindUp, que contou com a ajuda de dois mentores: Sérgio Cavalcante, superintendente do Centro de Estudos Avançados do Recife (Cesar) e Reinaldo Normand, empreendedor brasileiro fundador da 2Mundos e autor do livro Vale do Silício.

A QE2 contratou uma equipe para desenvolver o aplicativo e o time acabou sendo integrado à companhia. A primeira versão foi lançada em março deste ano e era completamente voltada para a demanda interna. Porém, não tardou a novas versões deixarem a ferramenta disponível para a Região Metropolitana. A mecânica é muito parecida com a de apps como EasyTaxi e 99Taxi. Substitua “taxistas” por “técnicos de informática” e é fácil entender como tudo funciona.

tela_valida_checkin_FindUpComo a segurança e a incerteza da qualidade do serviço são as principais preocupações dos usuários, o processo de homologação dos técnicos é rígido. Os que desejarem se cadastrar na plataforma precisam submeter uma série de documentos, desde comprovante de residência e antecedentes criminais a comprovantes de certificações em determinadas tecnologias. Esse processo recentemente foi otimizado para responder os pedidos com mais agilidade. Fabio Freire garante que as submissões são validadas em até um dia útil. “Também temos um sistema de rankeamento e quem leva muitas avaliações negativas é excluído”, alerta.

O aplicativo localiza os profissionais mais perto da residência do usuário e só quem atende o chamado pode visualizar o endereço. O técnico deve fazer check-in e check-out ao chegar e sair do local. Uma confirmação é enviada ao utilizador do FindUp, que paga um valor fixo de R$ 99,90 pelas três primeiras horas de atendimento. A quantia independe do problema e da quantidade de equipamentos analisados. Cada hora excedente sai por R$ 14. O pagamento é realizado pelo app através de cartão de crédito ou PayPal. Em até 48 horas o repasse é feito ao profissional, mas uma comissão vai para a QE2 Tecnologia, que fatura em cima disso.

Além de clientes residenciais, o serviço tem atendido pequenas e médias empresas. O FindUp possui versão web e está disponível para Android. Em julho, deve chegar ao iOS. Essa não será a única novidade para o próximo mês. “Vamos ampliar a área de atuação para mais capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Salvador e Maceió. Estamos conversando com investidores e sentimos que a plataforma está pronta para ser escalada internacionalmente”, planeja Fabio.