Call of Duty

Call of Duty em terceira pessoa? Conheça Devil’s Brigade

Call of Duty é uma das franquias mais bem-sucedidas da história dos videogames. Após o lançamento de Modern Warfare em 2007, a série explodiu em termos de popularidade, determinando a saúde financeira da Activision. Para manter a frequência de lançamentos anual, a empresa reveza os projetos entre diferentes estúdios.

Para possibilitar lançamentos tão frequentes, sabe-se que existem inúmeros Call of Duty sendo feitos ao mesmo tempo, com muitos deles terminando cancelados. Um deles seria Devil’s Brigade, para Xbox 360, PS3 e Windows. Conheça um pouco do título em mais um post da coluna No Limbo.

Call of Duty “fora da caixa”

Soldado invade cidade italiana, com visão em terceira pessoa

Tudo parece tão calmo…

Conhecido na Activision por desenvolver jogos relacionados a BMX, além de Agressive Inline e X-Men: The Official Game, o estúdio interno Underground Development recebeu a difícil missão de trabalhar em um Call of Duty. O game seria uma espécie de “plano B”, caso a Infinity Ward não conseguisse entregar Modern Warfare para o final de 2007.

Usando (de forma clichê, mas enfim) a Segunda Guerra Mundial como tema, foi iniciado o desenvolvimento de Devil’s Brigade. Com combates táticos, muita exploração e esquadrões repletos de soldados americanos e canadenses, a primeira missão faria o jogador – em plena Itália – sair do esgoto, alcançando uma praia próxima ao Rio Tibre e então dominando uma cidade repleta por pontes.

A parte inicial do jogo levava 15 minutos e foi usada pela Activision para avaliar a viabilidade do projeto. Até mesmo movimentos de parkour eram possíveis! Orientações para o esquadrão seriam passadas a partir do direcional digital do joystick. Bastava um deslize e todos os colegas poderiam ser mortos. Em um ritmo mais lento que o habitual para um Call of Duty, era preciso adotar uma estratégia coerente para o jogador ser bem-sucedido.

Indo por água abaixo


Gameplay curtíssimo do jogo

Modern Warfare foi terminado a tempo pela Infinity Ward, lançado no fim de 2007 e vendendo horrores (num bom sentido). A Treyarch (com a experiência do segundo e terceiro CoD) já trabalhava no que seria Call of Duty: World at War. Enquanto tudo isso acontecia, a fusão da Activison com a Vivendi Games fazia os executivos reavaliarem os projetos atuais, fechando estúdios que não tinham um histórico comprovado, nem títulos em andamento já com uma quantidade considerável de progresso. Devil’s Brigade era uma aposta que giraria o rumo da série em 180 graus e, mesmo com uma demonstração bem avaliada dentro da Activision, terminou cancelado.

Competir, dentro da empresa, com estúdios com experiência comprovada na franquia tornou-se missão impossível para a Underground Development. No entanto, seria interessante ver o impacto de um game tão diferente como Devil’s Brigade para a série. Inovações são sempre bem-vindas. Infelizmente, CoD terminou seguindo uma fórmula clichê, que segue gerando receitas enormes. Quando tentou-se apostar em algo diferente (Advanced Warfare), os jogadores pediram… um remaster de Modern Warfare. Precisa falar mais alguma coisa?

Quer conhecer mais jogos arquivados? Siga a nossa coluna No Limbo. Já falamos das tentativas frustradas de retorno de Mega Man, do Tomb Raider que envolveria um macaco ajudando Lara CroftHalo para Nintendo DS, a sequência de Star Fox para SNES, Resident Evil 1.5 e 3.5, entre muitos outros!

PS4 Pro é anunciado no PlayStation Meeting

Diretamente de Nova Iorque, a Sony anunciou nesta quarta-feira o PlayStation 4 Slim (o segredo mais mal guardado do ano) e o novíssimo PS4 Pro. Acompanhe abaixo o que rolou no evento PlayStation Meeting desta quarta-feira.

Primeiramente, muito prazer, PS4 Slim

PS4 Slim em pé, ao lado da sua embalagem

Olá, Slim

Já tínhamos abordado aqui no BitBlog: o modelo Slim do PlayStation 4 é um dos segredos mais mal guardados da história dos videogames. Há alguns dias, imagens e vídeos de unboxing do dispositivo vazaram na internet. A Sony esperou até o último instante para falar dele. Por isso, não nos surpreendeu a notícia. O Slim vai substituir o modelo atual, custando US$ 299 na América do Norte e com lançamento em 15 de setembro.

Se você possui o PS4 original, que já teve sua produção descontinuada, não se preocupe: trata-se apenas de uma “plástica”, ou um facelift – como a indústria gosta de chamar estes relançamentos. Além disso, a empresa japonesa anunciou que uma atualização de firmware vai trazer o recurso HDR a todos os 40 milhões de PlayStation 4 já vendidos em todo o mundo. Não ficará tão bom quanto no Pro, mas foi uma decisão acertada de Andrew House e seu time.

PS4 Pro: o novo queridinho da Sony

PS4 Pro em pé

Olá, Pro

O que a internet realmente queria ver no evento era o chamado PS4 Neo. Pedidos atendidos: a Sony revelou a evolução do PlayStation 4, que se chamará Pro. Quem achava que ia demorar pra vê-lo se surpreendeu: o PS4 Pro será lançado em 10 de novembro deste ano na América do Norte, custando US$ 399. Contando com suporte nativo a 4K e HDR, o console terá poder de processamento elevado: o poder da GPU foi dobrado e o clock rate aperfeiçoado. Com isso, até quem não possui TVs 4K poderá notar a diferença no desempenho dos games otimizados para o dispositivo.

A Sony anunciou que mais da metade dos seus títulos já lançados, até aqui, para o PlayStation 4 receberão atualizações para ficarem mais “bonitos” e leves no Pro, que vai compartilhar o mesmo catálogo de jogos do modelo tradicional. É uma evolução: compra quem quiser uma experiência mais avançada. Ao mesmo tempo, um possível “PS5” fica mais longe com este anúncio.

A indústria e o PS4 Pro

Cenário e protagonista de Horizon Zero Dawn

Da talentosa Guerilla Games, Horizon chega já em fevereiro de 2017

Imagens de futuros lançamentos exclusivos (Spiderman, Days Gone e Horizon: Zero Dawn) demonstraram a evolução visual do Pro. Além disso, os já lançados InFamous: First Light, Shadows of Mordor, Deus Ex: Mankind Divided, Call of Duty: Black Ops 3 e Paragon estão entre os games que receberão atualização para funcionarem melhor no novo modelo.

Executivos da Activision e EA Games revelaram no palco que as suas próximas novidades (Call of Duty: Infinite Warfare, Call of Duty: Modern Warfare Remastered, Fifa 17, Battlefield 1 e Mass Effect Andromeda) também estarão otimizados, já no dia de lançamento, para o Pro. A Ubisoft marcará presença da mesma forma com versões melhoradas de Watch Dogs 2 e For Honor. Pelo jeito, a indústria parece estar abraçando a nova criação da Sony, que chega ao mercado quase 1 ano antes do seu principal concorrente, o Xbox One Scorpio.

Call of Duty: Black Ops III está de graça no Steam

Gamers que curtem o gênero FPS (first person shooter) podem aproveitar o sábado e o domingo para jogar Call of Duty: Black Ops III no Steam sem pagar nada. Além do período gratuito que dura todo o fim de semana, o título da Treyarch fica com desconto e 50% até a tarde da segunda-feira (08). Para deixar vocês ainda mais empolgados, colocamos um vídeo de gameplay abaixo.

Call of Duty: Black Ops III foi lançado para várias plataformas e está disponível para PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 3, Xbox 360 e PC. A história se passa em 2065, 40 anos depois do Black Ops II. O enredo distópico insere o jogador em temas futuristas como a engenharia genética para a criação de supersoldados e a transformação do homem em máquinas – correndo o risco de ser dominado pelos próprios robôs. Além da campanha, estão presentes os modos multiplayer e zombie.

 

Call of Duty: Infinite Warfare se passa no espaço

Rumores de um Call of Duty no espaço têm sido discutidos nos últimos anos. Nesta semana, o boato se tornou realidade com o anúncio de Infinite Warfare, o mais novo lançamento da série. A Activision irá focar suas atenções na nova geração e, por isso, o game sairá apenas para PS4, Xbox One e PC em 4 de novembro. Fãs do PS3 e 360 não receberão novos jogos da franquia.

Para onde ir com IW? Os últimos Call of Duty foram bastante criticados pela ausência de novidades. Até mesmo algumas cenas em CG foram repetidas. A pressão por lançamentos anuais, que está se tornando comum na indústria, fez os recentes Advanced Warfare e Ghosts, por exemplo, não venderem o esperado.

Call of Duty Infinite Warfare - 2Combates espaciais em um Call of Duty… Esse momento chegou

O estúdio Infinity Ward, responsável pelo novo título, espera que a ambientação no espaço traga novas possibilidades. “Podemos levar o jogador para ambientes insanos, como a superfície de um asteróide sem controle, além de combate em gravidade zero”, afirmou Jacob Minkoff, diretor de design, em entrevista ao site Gamespot. Será possível, a partir de uma luta terrestre, chamar uma nave e voar pelos céus de planetas extremos, sem interrupções.

Uma versão especial do game vai trazer o remaster de Modern Warfare, de 2007, um dos mais elogiados da geração passada. O estúdio Raven Software recebeu a missão de adaptar MW para o PS4, One e PC, melhorando as texturas, iluminação, áudio e uma série de outros aspectos. 10 mapas multiplayer já foram garantidos pela Activision. Contrariando o desejo dos fãs, este remaster não será vendido separado. Será preciso adquirir a edição especial de Infinite Warfare para jogá-lo.

Call of Duty Infinite Warfare - 3Call of Duty encontra Mass Effect?

Ver Call of Duty finalmente saindo da sua zona de conforto será uma experiência muito positiva. Depois de tanto clichê, enfim, surgiu um jogo que prova que a série está tentando se reinventar. Estaremos cobrindo in loco a E3 2016, então, quem sabe a gente não passa mais novidades para vocês… ;)