EA

PS4 Pro é anunciado no PlayStation Meeting

Diretamente de Nova Iorque, a Sony anunciou nesta quarta-feira o PlayStation 4 Slim (o segredo mais mal guardado do ano) e o novíssimo PS4 Pro. Acompanhe abaixo o que rolou no evento PlayStation Meeting desta quarta-feira.

Primeiramente, muito prazer, PS4 Slim

PS4 Slim em pé, ao lado da sua embalagem

Olá, Slim

Já tínhamos abordado aqui no BitBlog: o modelo Slim do PlayStation 4 é um dos segredos mais mal guardados da história dos videogames. Há alguns dias, imagens e vídeos de unboxing do dispositivo vazaram na internet. A Sony esperou até o último instante para falar dele. Por isso, não nos surpreendeu a notícia. O Slim vai substituir o modelo atual, custando US$ 299 na América do Norte e com lançamento em 15 de setembro.

Se você possui o PS4 original, que já teve sua produção descontinuada, não se preocupe: trata-se apenas de uma “plástica”, ou um facelift – como a indústria gosta de chamar estes relançamentos. Além disso, a empresa japonesa anunciou que uma atualização de firmware vai trazer o recurso HDR a todos os 40 milhões de PlayStation 4 já vendidos em todo o mundo. Não ficará tão bom quanto no Pro, mas foi uma decisão acertada de Andrew House e seu time.

PS4 Pro: o novo queridinho da Sony

PS4 Pro em pé

Olá, Pro

O que a internet realmente queria ver no evento era o chamado PS4 Neo. Pedidos atendidos: a Sony revelou a evolução do PlayStation 4, que se chamará Pro. Quem achava que ia demorar pra vê-lo se surpreendeu: o PS4 Pro será lançado em 10 de novembro deste ano na América do Norte, custando US$ 399. Contando com suporte nativo a 4K e HDR, o console terá poder de processamento elevado: o poder da GPU foi dobrado e o clock rate aperfeiçoado. Com isso, até quem não possui TVs 4K poderá notar a diferença no desempenho dos games otimizados para o dispositivo.

A Sony anunciou que mais da metade dos seus títulos já lançados, até aqui, para o PlayStation 4 receberão atualizações para ficarem mais “bonitos” e leves no Pro, que vai compartilhar o mesmo catálogo de jogos do modelo tradicional. É uma evolução: compra quem quiser uma experiência mais avançada. Ao mesmo tempo, um possível “PS5” fica mais longe com este anúncio.

A indústria e o PS4 Pro

Cenário e protagonista de Horizon Zero Dawn

Da talentosa Guerilla Games, Horizon chega já em fevereiro de 2017

Imagens de futuros lançamentos exclusivos (Spiderman, Days Gone e Horizon: Zero Dawn) demonstraram a evolução visual do Pro. Além disso, os já lançados InFamous: First Light, Shadows of Mordor, Deus Ex: Mankind Divided, Call of Duty: Black Ops 3 e Paragon estão entre os games que receberão atualização para funcionarem melhor no novo modelo.

Executivos da Activision e EA Games revelaram no palco que as suas próximas novidades (Call of Duty: Infinite Warfare, Call of Duty: Modern Warfare Remastered, Fifa 17, Battlefield 1 e Mass Effect Andromeda) também estarão otimizados, já no dia de lançamento, para o Pro. A Ubisoft marcará presença da mesma forma com versões melhoradas de Watch Dogs 2 e For Honor. Pelo jeito, a indústria parece estar abraçando a nova criação da Sony, que chega ao mercado quase 1 ano antes do seu principal concorrente, o Xbox One Scorpio.

EA libera UFC 2 de graça durante o fim de semana

A Electronic Arts está fazendo uma ação promocional bem interessante neste fim de semana. Para quem curte jogos de luta, aqui vai a boa notícia: UFC 2 está de graça, com todo o conteúdo disponível até as 14h da próxima segunda-feira (22). Jogadores que possuem um PS4 ou Xbox One poderão aproveitar o título, que foi lançado em março deste ano, por até cinco horas. O progresso também ficará salvo caso o gamer resolva comprar o jogo, que estará com 50% de desconto durante o período. Vale destacar que a EA resolveu liberar o conteúdo completo, o que inclui também os modos Knockout, UFC Ultimate Team e Live Events.

O EA Sports UFC 2 oferece mais de 250 personagens jogáveis. Os fãs de MMA também vão reconhecer a presença de árbitros famosos, como Herb Dean e Dan Miragliotta. Uma das novidades desta edição do game é um sistema de deformação do corpo, que torna os gráficos mais realistas e promete uma “física inteligente”, com músculos e pele se movendo a cada golpe.

Gameplay

Titanfall 2: teste o jogo antes do lançamento

Depois de anunciar o open beta de Battlefield 1, a EA anunciou que o público poderá, enfim, curtir Titanfall 2 antes do lançamento oficial. Após o teste que fizemos do game em junho, não poderíamos recomendar mais! Vale a pena, é um dos títulos mais esperados deste ano.

A EA, junto ao estúdio Respawn, promete liberar uma versão com multiplayer online em dois finais de semana de agosto. Em cada um deles, os recursos disponíveis serão diferentes. Veja abaixo a agenda planejada, lembrando que esta demonstração estará presente apenas no PS4 e Xbox One, com as instruções no site oficial.

19 e 20 de agosto

  • 2 modos
    • Bounty Hunt (5 vs 5): ganhe bônus eliminando inimigos, mas não esqueça de depositá-los no “banco” sem morrer antes.
    • Pilots vs Pilots (8 vs 8): apenas com Pilots lutando entre si, tente ser o melhor.
  • 2 estágios
    • Boomtown: em um complexo embaixo da terra, guardado a sete chaves, use os telhados para se proteger dos disparos. Os gigantescos e lentos Titans ficam em desvantagem aqui.
    • Homestead: pedras e árvores ajudam a proteger Pilots dos Titans, além das cavernas e prédios espalhados pelo mapa.

26 e 27 de agosto

  • 1 modo
    • Amped Hardpoint (6 vs 6): defenda um Hardpoint para dobrar a pontuação do seu time.
  • 1 estágio
    • Forward Base Kodai: em uma subestação dominada por forças militares, Titans podem ter uma visão geral do mapa se estiverem no telhado.

Independentemente do final de semana, dois novos Titans estarão disponíveis: Ion e Scorch. Espere ainda uma variada quantidade de armas e o novo recurso Networks, que promete facilitar partidas entre amigos.

Battlefield 1 vai receber open beta em 31 de agosto

Ansioso(a) por Battlefield 1? A EA anunciou que vai abrir um período para os jogadores curtirem, gratuitamente, uma versão prévia do game – o chamado “open beta“. Nós jogamos o game na EA Play (Los Angeles) e achamos “regular”, mas agora você terá a chance de avaliar por conta própria.

O open beta começa no dia 31 de agosto e vai trazer o Sinai Desert em dois modos: Conquest e Rush. Será possível jogar em times de 32 x 32 pessoas, com direito a cavalgar pelo cenário. Três Elite Classes estarão disponíveis: Sentry, Flame Trooper e Tank Hunter.

Para jogar, é preciso se cadastrar no Battlefield Insider até 21 de agosto e escolher a sua plataforma: PS4, Xbox One ou PC/Origin. O jogo final chega em 21 de outubro, inclusive no Brasil. Abaixo, confira o mais recente trailer do game, divulgado na feira Gamescom.

Jogamos: Battlefield 1 é ambicioso, mais do que deveria

Depois da conferência da EA (que o BitBlog transmitiu), era impossível não criar grandes expectativas para jogar Battlefield 1. Combates aéreos, clima mudando aleatoriamente (e afetando o gameplay), um visual deslumbrante e as partidas de até 64 jogadores de sempre. As filas para experimentar o novo game da DICE eram as maiores no EA Play de Los Angeles, sendo preciso ter paciência para aguardar a sua vez. No entanto, o que vimos não foi nada tão revolucionário assim. É mais um título hardcore, e que ainda pode sofrer do mesmo mal de Watch Dogs anos atrás: o hype exagerado.

Antes de começar a brincadeira de fato, o pessoal da EA exibiu um vídeo com algumas instruções e uma visão geral de Battlefield 1. Era impossível não se empolgar. Os combates aéreos, as estratégias e as classes empolgaram bastante. A empresa não nos permitiu filmar nada lá dentro da arena. Ao chegar, 64 PCs (cada um com mouse/teclado e controle do Xbox One, dando liberdade ao público). Rapidamente começou a partida. Em cerca de 15 minutos, ficou bem claro que o game é hardcore mesmo, sendo preciso muita prática para não “apanhar”. Ainda não era possível experimentar o combate aéreo, apenas terrestre. O modo em questão consistia na conquista de bandeiras (seis) em um grande mapa.

Battlefield 1 - gameplayO velho modo de captura de bandeira está de volta

Diferentemente de Titanfall 2, Battlefield 1 não funciona tão bem no joystick. Lento e travado, a impressão é que você está sob alguma desvantagem. A experiência não era nem de perto fluida como no jogo da Respawn, talvez porque a DICE optou por cenários gigantescos e ambiciosos. E é este o possível  pecado do novo Battlefield: ser ambicioso demais. Até aqui, o que vimos foi algo regular. Nem mesmo o clima dinâmico, anunciado com festa pela EA, foi o suficiente para termos algo novo. Resta aguardar o jogo final para sabermos se essas conclusões vão se manter.


Leia mais:
Jogamos: Titanfall 2 surpreende pela diversão
BitBlog mostra bastidores da EA Play em vídeo

Jogamos: Titanfall 2 surpreende pela diversão

Estivemos, neste domingo, na EA Play em Los Angeles. O primeiro dia do evento reservou, além da conferência morna (que cobrimos aqui no BitBlog), uma experiência imersiva bem interessante. Com espaço aberto à imprensa e ao grande público (desde que tenha sido feita a reserva previamente), era possível jogar um pouco de Titanfall 2, Battlefield 1, Fifa 17 e Madden NFL 17. Aqui, falaremos as nossas impressões sobre a sequência do jogo de tiro da Respawn.

A EA reservou um grande espaço apenas para demonstrar Titanfall 2. No último andar do The Novo em Los Angeles, um ambiente cheio de referências ao título era encontrado. Ao contrário de Battlefield 1, não era preciso esperar muito para jogar. A empresa não autorizou a imprensa a gravar vídeos (nem mesmo fotos) dentro da arena onde houve as partidas, mas falaremos as nossas impressões por aqui. Em um combate local intenso de 16 vs 16 jogadores (sendo alguns deles bots, e não pessoas reais), pudemos experimentar um pouco do que o estúdio Respawn promete entregar em 28 de outubro para PS4, Xbox One e PC.

Titanfall 2Controlar Titans nunca foi tão legal

O primeiro Titanfall era rápido. O segundo é mais ainda, afinal, conta com a chegada do grappling hook (ou gancho, como preferir). Além disso, controlar um Titan ficou mais acessível e divertido. Diferentemente de outros FPS (tiro em primeira pessoa), o jogo tem cenários nem tão grandes, nem tão pequenos, o que favorece o combate para o pessoal intermediário. Sim, quem é mais hardcore vai gostar, mas não acredito que quem joga 120 horas terá necessariamente condições de abater quem jogou um décimo disso. Titanfall 2 foi feito para “democratizar” o FPS sem perder a sua essência, e isso é sensacional.

O visual não está tão diferente do primeiro game, mas continua fluido. Na demo de 10 minutos que jogamos (sim, é pouco), não experimentamos nenhum tipo de travamento. A experiência parece estar bastante madura para um lançamento em outubro. Com opções limitadas de customização e armamentos – afinal, era uma demonstração – não há muito o que falar além disso, apenas fica a expectativa pela chegada do jogo. Para os mais ansiosos, um open beta estará disponível no meio do ano, de acordo com a EA.

BitBlog mostra bastidores da EA Play em vídeo

Os editores do BitBlog, Diego von Söhsten e Thiago Neres, estão em Los Angeles, nos Estados Unidos, para cobrir a E3. Trata-se da maior conferência de videogames do mundo, em que gigantes da indústria aproveitam o momento para anunciar novidades que incluem DLCs, lançamentos de títulos e até novos consoles. Em paralelo, outros eventos de porte menor – porém tão interessantes quanto – vão sendo promovidos pelas publishers. É o caso da EA Play, um espaço preparado pela Electronic Arts para apresentar aos jogadores e membros da imprensa os games FIFA 17, Titanfall 2 e Battlefield 1. Todos estavam jogáveis e pudemos sentir o gostinho do que a EA deve colocar nas prateleiras nos próximos meses.  Em breve vamos colocar aqui no BitBlog nossas impressões.

Clique aqui para ver o que rolou na conferência da EA.

Veja como vai ser a cobertura do BitBlog durante a E3.

Abaixo, confira um vídeo com bastidores da EA Play: