FindUp

App pernambucano, FindUp acha técnico de informática mais perto de sua casa

 

Um aplicativo desenvolvido por uma empresa de Pernambuco quer facilitar a vida de quem precisa encontrar técnicos de informática para fazer manutenção ou solucionar problemas no micro. A proposta do FindUp, criação da QE2 Tecnologia, é tornar o smartphone o caminho natural para suceder a clássica frase “deu pau no PC”. O app possui uma base com cerca de 2 mil profissionais registrados e todos passam por uma seleção criteriosa. A partir do próximo mês, a ferramenta, que atende apenas a Região Metropolitana do Recife, vai ter sua operação expandida para outras capitais brasileiras. Os idealizadores, no entanto, sonham mais alto, buscam investidores e já falam em internacionalização.

O CEO do FindUp, Fabio Freire, conversou com o BitBlog e explicou que no primeiro momento a demanda era apenas interna. De acordo com ele, a QE2 Tecnologia (sediada no bairro de Boa Viagem, no Recife) atua com infraestrutura e possui ampla rede de técnicos espalhados pelo Brasil. No início de 2014, Fabio e seus dois sócios – Tiago Lira e Gustavo Ferreira – se depararam com um problema: Como monitorar esses profissionais de forma eficiente e saber o tempo gasto com cada chamado?

tela_mapa_FindUpA resposta surgiu com uma ideia que, posteriormente, viria a se tornar o FindUp. Foram meses até ela sair do papel por conta de um entrave. “A gente trabalhava com infraestrutura e ninguém escrevia uma linha de código. Como iríamos desenvolver isso?”, recorda Fabio Freire. Em setembro, a QE2 foi uma das 15 instituições selecionadas para participar do programa TI de Impacto, promovido pela Softex com a missão de auxiliar empresas a pensarem estratégias de inovação.

Foram 80 horas de treinamento e 30 horas de consultoria nacional e internacional. “Aproveitei o programa para validar a ideia e, depois do pitch, conquistamos o primeiro lugar nacional”, destaca o CEO do FindUp, que contou com a ajuda de dois mentores: Sérgio Cavalcante, superintendente do Centro de Estudos Avançados do Recife (Cesar) e Reinaldo Normand, empreendedor brasileiro fundador da 2Mundos e autor do livro Vale do Silício.

A QE2 contratou uma equipe para desenvolver o aplicativo e o time acabou sendo integrado à companhia. A primeira versão foi lançada em março deste ano e era completamente voltada para a demanda interna. Porém, não tardou a novas versões deixarem a ferramenta disponível para a Região Metropolitana. A mecânica é muito parecida com a de apps como EasyTaxi e 99Taxi. Substitua “taxistas” por “técnicos de informática” e é fácil entender como tudo funciona.

tela_valida_checkin_FindUpComo a segurança e a incerteza da qualidade do serviço são as principais preocupações dos usuários, o processo de homologação dos técnicos é rígido. Os que desejarem se cadastrar na plataforma precisam submeter uma série de documentos, desde comprovante de residência e antecedentes criminais a comprovantes de certificações em determinadas tecnologias. Esse processo recentemente foi otimizado para responder os pedidos com mais agilidade. Fabio Freire garante que as submissões são validadas em até um dia útil. “Também temos um sistema de rankeamento e quem leva muitas avaliações negativas é excluído”, alerta.

O aplicativo localiza os profissionais mais perto da residência do usuário e só quem atende o chamado pode visualizar o endereço. O técnico deve fazer check-in e check-out ao chegar e sair do local. Uma confirmação é enviada ao utilizador do FindUp, que paga um valor fixo de R$ 99,90 pelas três primeiras horas de atendimento. A quantia independe do problema e da quantidade de equipamentos analisados. Cada hora excedente sai por R$ 14. O pagamento é realizado pelo app através de cartão de crédito ou PayPal. Em até 48 horas o repasse é feito ao profissional, mas uma comissão vai para a QE2 Tecnologia, que fatura em cima disso.

Além de clientes residenciais, o serviço tem atendido pequenas e médias empresas. O FindUp possui versão web e está disponível para Android. Em julho, deve chegar ao iOS. Essa não será a única novidade para o próximo mês. “Vamos ampliar a área de atuação para mais capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Salvador e Maceió. Estamos conversando com investidores e sentimos que a plataforma está pronta para ser escalada internacionalmente”, planeja Fabio.