Google

Veja as principais novidades da Google I/O 2016

A conferência anual para desenvolvedores do Google, a Google I/O, teve início nesta quarta-feira (18), nos Estados Unidos. O CEO da companhia, Sundar Pichai, fez um keynote de abertura onde falou sobre a visão dos googlers para o futuro.

As principais novidades envolveram:

1) A evolução do assistente de voz, com foco em diálogos e contexto
2) Um dispositivo para usar o assistente de voz em casa, integrado a múltiplos dispositivos
3) Novos apps de mensagens instantâneas e videochamadas

Google IO 2016

Confira, abaixo, um resumo:

GOOGLE ASSISTANT

Foi anunciado o Google Assistant, o novo assistente de voz do Google. Através dele, tarefas são realizadas através não apenas de comandos, mas também diálogos. O diferencial é que a tecnologia vai entender melhor o contexto. Por exemplo, se você estiver em frente à Estátua da Liberdade e perguntar ao Google “quem construiu isso?” ele vai perceber do que você está falando e responder.

Sundar Pichai também reforçou o potencial das respostas contextualizadas citando o exemplo de um usuário que planeja ir para o cinema. O diálogo seria mais ou menos assim:

– Estou afim de um cinema hoje à noite.

O Google Assistant vai buscar opções perto do usuário no horário que ele pediu e tentar cruzar os resultados com gostos pessoais.

– Ah, hoje eu queria levar as crianças.

Então o Google vai entender e sugerir filmes com censura livre para a família toda.

– A Era do Gelo parece ok para mim.

E aí o assistente tenta comprar os tickets para você, desde que a rede de cinema possua um sistema compatível.

GOOGLE HOME

O Google Home é um dispositivo (que lembra a base de um abajur) desenvolvido em parceria com a Amazon. Ele vai usar o conceito de casa inteligente aliado ao poder de fogo do novo Google Assistant. É tipo um mordomo. Poderá ser integrado a outros dispositivos, como smartphones, tablets e televisores. Dentre as possibilidades, você pode usar a voz para tocar uma música na sala de estar, rodar um vídeo do YouTube na televisão e pedir para receber no celular o trajeto com menos trânsito até o trabalho.

Google Home

É curioso notar que o Google Home também simboliza um avanço em direção à internet das coisas. Imagine mais linhas de produtos – como lâmpadas, espelhos, geladeiras, fogões, armários – rodando Android e conectadas à web? O Google Home será capaz de gerenciar todos esses dispositivos. Ele chega até o final do ano, sem data e preços revelados.

Allo

O Allo é o novo mensageiro do Google que, devo dizer, conseguiu me empolgar bastante. Em terra de Facebook Messenger, WhatsApp, Telegram e SnapChat, como buscar um diferencial? Se vocês estão pensando isso, saibam que foi a mesma pergunta que eu me fiz enquanto acompanhava à apresentação.

A resposta: machine learning. O Allo será lançado com um recurso batizado de “smart replies” – ou respostas inteligentes, em tradução livre. Como isso funciona? Ele vai reconhecer o contexto da conversa e sugerir opções de palavras ou frases para você responder, poupando tempo. Essas alternativas são personalizadas e tendem à ficar mais certeiras na medida em que o Allo é usado e aprende sobre o padrão de comunicação do usuário.

Google Allo App Messages

Ele também consegue “ler” uma imagem, reconhecendo animais, pessoas, lugares e tipos de comida nas fotos recebidas. Enviaram para seu Allo a foto de um gatinho? Então “gatinho lindo” ou “que gato é esse?” pode surgir na sua tela como opção de resposta inteligente.

Outra novidade é que o Allo permite mudar o tamanho da fonte para facilitar a forma como as pessoas expressam emoções. De acordo com o time de desenvolvimento, às vezes o usuário não quer usar o capslock, mas busca uma maneira de demonstrar alegria intensa ou surpresa.

Duo

É o novo app do Google para chamadas de vídeo. Otimizado para obter boa performance mesmo com conexões lentas, ele foi anunciado junto com o recurso “knock knock”. Ao receber uma videochamada, antes de atender você já consegue ver a outra pessoa “ao vivo”. A intenção é dar um toque mais pessoal e garantir que o usuário vai aproveitar cada momento.

Tanto o Allo como o Duo serão disponibilizados para Android e iOS até agosto.

Desafio Google de Impacto Social vai pagar R$ 10 milhões a ONGs brasileiras

O Google Brasil lançou, na última terça-feira (23), a segunda edição do Desafio Google de Impacto Social, uma iniciativa que tem como objetivo empoderar as ONGs brasileiras e fomentar o uso criativo da tecnologia para provocar impacto social. Em outras palavras, o braço filantrópico da gigante da internet quer ajudar o país a se tornar um lugar melhor. Ao todo, R$ 10 milhões vão ser distribuídos para as dez ONGs que apresentarem as melhores ideias. O recurso deve ser destinado a tirá-las do papel.

De acordo com a companhia, o Desafio Google de Impacto Social foi criado para “identificar no Brasil as organizações que assumem riscos e para envolver o público no apoio a elas”. Uma edição semelhante já havia sido realizada em 2014. O site oficial informa que a competição retorna às terras brasileiras como uma maneira de incentivar o apoio a projetos inovadores e estimular as soluções criativas dos problemas sociais do país.

O Google Brasil esclarece que o uso de tecnologia é um dos critérios para principais, mas isso não significa que você precisa criar um grande sistema ou desenvolver uma ferramenta totalmente revolucionária. O mais importante é pensar no impacto social. Para se ter uma ideia, na primeira edição os quatro primeiros colocados foram um aplicativo para ajudar as mulheres a se protegerem da violência doméstica, um sistema para dar mais transparência às cadeias de produção e comercialização do pescado, um projeto para ajudar mães via SMS no desenvolvimento de seus filhos e um app que engaja a população a praticar a cidadania, discutindo ideias de forma coletiva.

Particularmente, eu acho que soluções que giram em torno do problema da corrupção e do zika seriam fortes candidatas neste ano. Já existe muita coisa por aí, mas é sempre importante lembrar que apenas ONGs podem participar do desafio.

INSCRIÇÃO

As inscrições estão abertas e se encerram em 21 de março. No dia 23 de maio de 2016 serão divulgados os 10 finalistas. Serão dois escolhidos de cada região do Brasil: Norte, Nordeste, Sul, Sudeste, e Centro-Oeste. Os finalistas serão apresentados no site da competição com um vídeo sobre cada projeto para votação do público. A votação acontece até 13 de junho. No evento final, os dez finalistas apresentarão suas ideias a jurados. Eles escolherão três prêmios para receber R$ 1,5 milhão cada e também anunciarão a ONG que teve maior votação no site. Ela também conquista R$ 1,5 milhão para financiar o projeto.

Portanto, ao todo, serão quatro vencedores de prêmios de R$1,5 milhões cada. As outras seis organizações finalistas receberão um prêmio de R$ 650 mil.

O regulamento completo e mais informações sobre a nova edição do Desafio Google de Impacto Social podem ser lidos aqui. É neste mesmo link onde é possível se inscrever.

 

Google anuncia que Chrome carregará sites até 25% mais rápido

Um engenheiro de software do Google anunciou, na noite da última terça-feira (19), que o navegador da companhia, o Chrome, passará a carregar as páginas mais rápido. Isso vai acontecer porque está em fase final de implementação um algoritmo chamado Brotli. O papel dele é comprimir HTML, CSS e JavaScript, linguagens amplamente utilizadas para desenhar os sites na internet. A mudança deve ser melhor percebida em conexões lentas.

O Brotli permite uma velocidade de carregamento até 25% mais rápida que o algoritmo anterior, batizado de Zopfli. Não me perguntem de onde eles tiram esses nomes horríveis – provavelmente abrem uma página aleatória de um dicionário em russo.

Há, entretanto, uma limitação que não podemos deixar de mencionar:

O novo algoritmo funciona só para páginas HTTPS. Caso você não saiba o que é isso, o HTTPS é um protocolo parecido com o HTTP, sendo que o S indica a existência de um certificado de segurança. Geralmente é utilizado em sites que realizam transações financeiras, como e-commerces, páginas de bancos e serviços de venda de ingressos. É possível identificá-lo quando aparece um cadeado ao lado da URL (o endereço do site) no seu navegador. Clicando duas vezes nesse cadeado, informações adicionais são exibidas.

Ainda não há uma data prevista para o Google Chrome receber o Brotli.

Opinião: Eu tenho um certo preconceito com o Internet Explorer e usei o Firefox por muito tempo. Migrei para o Chrome há uns dois anos porque o Firefox dava muito problema com o flash player. Em compensação, o navegador do Google consome uma memória RAM absurda. São as vantagens e desvantagens…


A velocidade de carregamento das páginas na internet é uma das muitas preocupações do Google, que oferece uma ferramenta para os webmasters medirem o tempo que seus sites levam para carregar. A companhia também desenvolveu um módulo chamado Google PageSpeed para servidores web como Apache e Nginx. Ele opera de forma semelhante aos algoritmos, comprimindo elementos das páginas para torná-las mais rápidas.

 

Carro miniatura do Street View mostra réplicas de cidades “por dentro”

O serviço de localização mais conhecido do Google é o Maps. Em segundo lugar vem o Street View, que usa um veículo com uma câmera especial para capturar as ruas através de vários ângulos, permitindo ao usuário dar um passeio por praticamente qualquer grande cidade do mundo.

Nesta quarta-feira (13), porém, as lentes do Google Street View registraram um lugar bem diferente. Através de uma parceria com a Miniatur Wunderland – a maior feira do mundo de miniaturas, maquetes e derivados de Lego – a companhia desenvolveu uma versão minúscula de seu carro para circular por réplicas de cidades, como Las Vegas, ou até cenários inspirados em festividades mundialmente conhecidas, como a Oktoberfest.

O resultado pode ser conferido aqui e dá a impressão de que você é uma formiguinha no meio de uma cidade de Lego. Os detalhes são a parte mais impressionante.

street view miniatur wunderland 2

Preços da Google Play serão cobrados em reais

A Google Play, loja virtual onde ficam jogos e aplicativos para Android, anunciou nesta terça-feira uma mudança que deve ser muito benéfica aos usuários brasileiros. Os desenvolvedores nacionais agora podem precificar seus produtos (incluindo itens in-game) em reais. Com a novidade, o valor mínimo sofre um pequeno ajuste, indo de R$ 2,50 para R$ 0,99. Confira a justificativa oficial do Google:

“Disponível em mais de 190 países, o Google Play é uma plataforma global na qual desenvolvedores podem construir aplicativos de alta qualidade e negócios de sucesso. Porém, cada mercado tem necessidades e oportunidades únicas. O comportamento de compra, em particular, varia de forma significativa entre os países. Para fornecer aos desenvolvedores mais flexibilidade, adaptamos as opções de preço oferecidas pelo Google Play de modo que possam ser ajustadas aos consumidores locais e, assim, tornar o conteúdo mais acessível”.

A expectativa é que a nova forma de cobrança signifique redução de preços para o consumidor e deixe os brasileiros menos reféns do câmbio. É bom lembrar que a cotação do dólar tem oscilado bastante desde o final de 2014. A estratégia do Google também será adotada em outros 16 países e a Índia foi pioneira a receber o projeto-piloto, no início do ano.

Os desenvolvedores, por sua vez, vão ter que repensar a relação Número de Downloads x Preço para avaliar os possíveis benefícios (ou prejuízos) de uma eventual redução. E, assim, continuar na disputa por espaço no concorrido mercado dos aplicativos para dispositivos móveis.

Aplicativo do Google Drive recebe atualização

O aplicativo do Drive, serviço de armazenamento na nuvem do Google, vai ficar mais fácil e rápido de usar no smartphone. É que a gigante da internet anunciou, nesta quarta-feira (04), algumas novidades que devem ser implementadas ao longo dos próximos dias. A principal delas é que será possível solicitar e liberar acesso a pastas compartilhadas  pelo app.

Imagine que antes você criava no Google Drive um álbum chamado “Natal da família” e queria cadastrar usuários para visualizar ou subir as fotos. Ou seus familiares mais apressadinhos nem esperavam e pediam, através da ferramenta, acesso aos arquivos. Isso tudo era feito através de e-mails, com aqueles links gerados automaticamente para ativar alguma coisa (tipo e-mail de confirmação de cadastro que você precisa clicar em uma URL).

Agora essa comunicação de pedidos e liberações acontece através de notificações dentro do próprio app, o que, obviamente, faz muito mais sentido. Imagine se cada pessoa que você tentasse adicionar no Facebook recebesse apenas um e-mail, em vez de uma notificação no aplicativo?

A outra mudança é que usuários do Android poderão visualizar um preview dos arquivos sem necessariamente terem uma conta cadastrada no Google, o que já acontecia na versão web.

<h2>USUÁRIOS PAGANTES</H2>

Em setembro deste ano, o Google Drive revelou ter alcançado a marca de 1 milhão de usuários pagantes. Gratuito, o serviço de armazenamento na nuvem oferece até 15 GB. Mas existem planos mais robustos como o de 100 GB (US$ 1,99/mês) e 1 TB (US$ 9,99/mês).

 

Google revela que novo Android se chamará Marshmallow

android marshmallow

O Google revelou, nesta segunda-feira (17), o nome oficial da nova versão de seu sistema operacional para dispositivos móveis. O Android 6.0 se chamará Marshmallow e continua a tradição da companhia em usar doces e guloseimas para batizar versões do Android. De certa forma, a revelação não foi uma grande surpresa, já que marshmallow parecia uma das escolhas mais óbvias, rivalizando com muffin e milkshake.

A versão para desenvolvedores (Developer Preview) está disponível para os aparelhos Nexus 5, Nexus 6 e Nexus 9, assim como o SDK. Uma das novidades do Android 5.0 Lollipop é uma nova interface para os usuários definirem as permissões de cada aplicativo, aumentando a transparência e segurança do usuário.

Relembre os nomes das versões anteriores do Android:

Cupcake (1.5)
Donut (1.6)
Eclair (2.0 – 2.1)
Froyo (2.2 – 2.2.3)
Gingerbread (2.3 – 2.3.7)
Honeycomb (3.0 – 3.2.6)
Ice Cream Sandwich (4.0 – 4.0.4)
Jelly Bean (4.1 – 4.3.1)
KitKat (4.4 – 4.4.4, 4.4W – 4.4W.2)
Lollipop (5.0 – 5.1.1)