Just Dance

Entrevista: Ubisoft fala sobre Nintendo, franquias antigas e novos projetos

Um dos pontos altos da E3 2017 para a gente foi um papo exclusivo com a galera da Ubisoft. Bertran Chaverot, Managing Director da empresa para a América Latina, conversou com a gente sobre diversos assuntos, como os games da empresa para o Switch e o possível retorno de franquias clássicas.

Diego, editor do BitBlog, e Bertran, da Ubisoft

Confira abaixo a entrevista, que rolou no espaço da empresa na E3 2017.


Just Dance

Gameplay de Just Dance 2018, com seis jogadores

Até o Wii vai ter sua versão

BitBlog: Para começar, Just Dance 2018. Podemos esperar músicas brasileiras mais uma vez?

Bertran Chaverot: Para este ano, acho que não vai ter músicas nacionais. Mas (o jogo) vai ter acesso ao catálogo de mais de 300 músicas, incluindo Ivete Sangalo, Daya Luz, Anita…

É verdade que o Wii é a plataforma onde Just Dance mais vende?

Não no Brasil, onde o Wii nunca foi muito forte (para a franquia). Aqui é muito equilibrado entre PlayStation e Xbox, com o uso de smartphone para jogar no PlayStation e, além dele, o Kinect no Xbox. Há ainda um pouco (de vendas) de Wii e Wii U.

Mario + Rabbids

Mario e o Luigi Rabbid em destaque

Mario + Rabbids esbanja carisma e bom humor

Sobre Mario & Rabbids: Kingdom Battle, de onde surgiu a ideia de fazer essa colaboração com a Nintendo?

Faz uns 15 anos que a Ubisoft e a Nintendo são super parceiras em diversos projetos, como Just Dance. No ano passado, houve algumas discussões (sobre o novo título). Como você sabe, com os japoneses é preciso ir aos poucos para construir uma relação de confiança. Foi de uma maneira muito natural que decidimos fazer um teste e iniciar uma nova franquia com Mario. O objetivo do Miyamoto (criador do mascote) foi testar uma nova forma de gameplay, algo que nunca tinha sido feito antes com Mario.

Com funciona o processo criativo com a Nintendo? A Ubisoft tem total liberdade criativa?

Não, com a Nintendo não se tem total liberdade criativa. Como falei, a Ubisoft alcançou um patamar de confiança com a Nintendo e, como você pode lembrar, quando o Miyamoto fez uma homenagem ao trabalho dele (na conferência pré-E3), o Yves Guillemot (CEO) ficou emocionado. É uma parceria com supervisão da Nintendo japonesa e a força da Ubisoft para criar este novo jogo.

Nintendo Switch

Nintendo Switch: controles no Joy-con grip e dock

O Switch tem o seu próprio público, o que não impede eventuais adaptações, de acordo com a Ubisoft

Como vai ser a distribuição dos jogos da empresa para o Switch? Vocês possuem uma faixa de preço para esses títulos?

Nós mesmos vamos distribuir os nossos títulos do Switch no Brasil, além de cuidar de parceria com comunidades, eventos… Vamos tentar manter o preço de R$ 249 para os games.

Quais os jogos do Switch que vocês distribuem neste ano para o Brasil? Podemos esperar o Rayman Definitive Edition, o Steep…?

Apenas o Mario + Rabbids e Just Dance. Não há data prevista para os outros.

Qual a estratégia da Ubisoft para o Switch em termos de games mais maduros?

No passado, tivemos jogos maduros para o Wii U, como o Watch Dogs e Assassin’s Creed IV: Black Flag. Mas o Switch tem outro público, outra tecnologia. Pensamos em trabalhar games específicos para a plataforma e, quando possível, adaptar outras séries. Mas não há previsão, por exemplo, para o Assassin’s Creed Origins.

É uma decisão técnica, estratégica ou ambas? (não trazer jogos maduros para o Switch)

Técnica e estratégica. Tecnicamente, é outra máquina, que tem suas vantagens e também seus aspectos mais problemáticos.

Realidade virtual

Três pessoas em sala escura, com dispositivo VR no rosto, sentadas

Thriller psicológico Transference foi uma das surpresas da Ubisoft na conferência pré-E3 2017

Falando de VR, já tivemos o Eagle Flight e Star Trek: Bridge Crew. Como a Ubisoft vê este mercado?

É um mercado novo, que está crescendo. Por enquanto, há mais ou menos um milhão de PlayStation VR vendidos (pelo mundo). Tem que aumentar a resolução e abaixar o preço (do dispositivo). Mas acreditamos muito neste mercado. Para o Star Trek, a avaliação no Steam está em torno de 95%, o que é excepcional. Anunciamos um novo conceito na E3, o Transference com Elijah Wood, e temos vários outros projetos sendo trabalhados em segredo, que vamos revelar aos poucos.

Vocês planejam a distribuição dos próximos jogos VR em mídias física e digital?

Já distribuímos estes jogos via Steam. Pretendemos seguir apenas no formato digital no Brasil.

Brasil como mercado produtor

Extinto escritório de desenvolvimento da Ubisoft em Porto Alegre, na Tecnopuc

Extinto escritório de desenvolvimento da Ubisoft no Rio Grande do Sul, na Tecnopuc, em 2009 (créditos: Canal dos Games)

Como a Ubisoft vê o Brasil como mercado produtor? Muita gente sonha em desenvolver jogos aqui, mas termina saindo para outros países, devido à falta de oportunidades. Faz parte da estratégia de vocês ter um estúdio aqui?

Já fizemos, já tentamos e, infelizmente, o Brasil não é um país fácil para isso. Não é por acaso que não há nenhum grande estúdio aqui. Quando se tem que importar os computadores e servidores, quando se tem que organizar os times com mais flexibilidade, a lei trabalhista não permite. O país precisa fazer várias reformas para poder dar essa oportunidade a tantos talentos que existem hoje por aqui, sem ter que fazê-los imigrar para lugares como Estados Unidos ou Europa.

Outros projetos

Personagem do game em destaque

BG&E 2 foi uma das surpresas da Ubisoft neste ano

Beyond Good & Evil 2: é um projeto para 2017? Podemos esperá-lo para PS4, Switch e Xbox One?

Não é para este ano, é algo para o futuro. É o maior projeto da Ubisoft em termos de inovação, gameplay, tamanho do mundo, gráficos, então não tem data. No entanto, já existe um site, o Space Monkey Program, para os jogadores se cadastrarem, recebendo atualizações do desenvolvimento e dar feedback. Sobre as plataformas, o objetivo da Ubisoft é sempre alcançar o máximo possível de máquinas. São jogos que custam mais de US$ 100 milhões, então tem que desenvolver o máximo possível para pagar as contas e obter algum lucro.

Vocês trabalham com algo relativo a franquias mais antigas? Prince of Persia, Splinter Cell…?

A Ubisoft cuida com muito amor das suas marcas. Cada uma tem que ter seu ritmo. Pode ver que, com Assassin’s Creed, deixamos a marca respirar e voltamos com Origins. O Beyond Good & Evil mesmo, teve 15 anos de descanso e ainda não está pronto. Algumas franquias estão guardadas e outras estão sendo testadas em termos de conceito. A força da Ubisoft vem de suas marcas.

Como a Ubisoft mede o sucesso de um jogo? O que garante uma sequência?

Beyond Good & Evil, por exemplo, não foi um grande sucesso de vendas. Chegou muito cedo, era um gênero novo, difícil de explicar. Mas foi um imenso sucesso crítico para quem jogou. É uma marca que virou cult. Para a empresa, foi muito importante, pois mostrou que a Ubisoft poderia fazer jogos “top” em termos de gráficos, game design, o que projetou a empresa para o top 10 de grandes empresas no mundo. Hoje, no top 3.

 


Se quiser conferir um resumo da conferência pré-E3 da empresa, veja aqui a nossa cobertura. Siga acompanhando o site e redes sociais do BitBlog para mais conteúdo relativo à E3 2017!

Ubisoft na E3: veja aqui todos os anúncios da conferência

Em 2016, a conferência da Ubi foi bastante diversificada. Anunciou o primeiro game third-party do Switch, além de surpreender com uma nova franquia (Steep) e trazer mais das suas principais séries. No decorrer da feira, curtimos alguns dos destaques: For Honor, Steep e Eagle Flight VR.

O BitBlog foi convidado mais uma vez para cobrir o evento da publisher e, dessa vez, esperamos novamente algo bem variado. Foi o que aconteceu, com direito a várias surpresas! Não incomodou o vazamento semanas antes de Assassin’s Creed Origins e de Mario + Rabbids, crossover do mascote da Nintendo com os coelhos malucos para o Switch. Acompanhe abaixo o que rolou!


Finalmente a Ubi confirma a existência de Mario + Rabbids: Kingdom Battle para o Switch. Eis que Shigeru Miyamoto, criador do mascote, junto a Bill Trinen, surgem no palco representando a Nintendo, batendo um papo com o CEO da Ubisoft, Yves Guillemot. Cena emblemática.

Xavier Manzanares, produtor do jogo, revela alívio por finalmente poder falar do projeto, que já está há mais de 3 anos em desenvolvimento. A mecânica de combate por turnos, usando estratégia é revelada e agrada. Game chega em 29 de agosto.

Hora de Assassin’s Creed Origins. Demo jogável estará presente na feira.

The Crew 2 surge com um trailer cinematográfico. Expandindo para helicópteros, barcos e motos, o game pretende explorar novos ambientes, como selvas e rios, saindo do caos das metrópoles. Inscrições para uma versão beta estão abertas no site do jogo, que será lançado apenas em 2018.

South Park: A Fenda que Abunda Força (sim, esse é o nome do título no Brasil) tem novo trailer. Após o recente adiamento, é prometido para outubro.

Elijah Wood aparece em trailer do inédito Transference, em realidade virtual, aguardado para 2018.

Duelo de piratas! Partidas 5 vs 5 de barcos em alto mar são o tema de Skull & Bones, franquia inédita da Ubi. A direção do vento e muita estratégia devem ser levados em conta para vencer os combates! Público aplaude bastante.

Cantora pop americana Bebe Rexha canta no palco para promover Just Dance 2018, que terá músicas coreanas. Título será lançado para PS4, Xbox One, Switch, Wii U e – acredite – Wii!

South Park: Phone Destroyer será a nova aposta da série cômica no iOS e Android.

Mais uma surpresa. Starlink: Battle for Atlas vai ter combates espaciais e action figures acopláveis ao joystick liberando extras. Será um lançamento de 2018 no Switch, PS4 e Xbox One.

Steep: Road to the Olympics é uma expansão do jogo de esportes na neve. Chega em dezembro.

Far Cry 5 aparece, arrancando aplausos da platéia. O seu visual nunca foi tão realista.

Para fechar, Beyond Good & Evil 2! Quase virou lenda, mas o projeto foi confirmado e teve o seu criador, Michel Ancel (o mesmo de Rayman), se emocionando no palco. Sem mais detalhes revelados, infelizmente!


Obrigado por acompanhar a gente. Abaixo, o vídeo completo da conferência. Siga acompanhando o BitBlog para novos posts sobre EA Play e E3!

Veja os games já confirmados para o Nintendo Switch

2017 marca o lançamento do famoso híbrido de console e portátil. O Nintendo Switch terá maiores detalhes revelados em um evento online no dia 12 de janeiro, mas não precisa esperar: o BitBlog consolidou todos os games já confirmados para a plataforma, além daqueles que estão só aguardando um empurrãozinho para se tornarem oficiais. Confira!

Confirmados

Link correndo de explosões

Breath of the Wild foi o primeiro game confirmado para o Switch

  • Just Dance 2017 (Ubisoft, março de 2017)
  • Project Sonic 2017 (Sega, 2017) – título provisório
  • Sacred Hero (Simplistic, 2018)
  • Seasons of Heaven (Any Arts, 2018)
  • Super Mario (Nintendo, sem data) – título provisório
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo, 2017)

Demonstrados, aguardando confirmação

Dragão com montanhas ao fundo

A Bethesda tá esperando algo inexplicável para confirmar Skyrim

  • Dragon Quest XI (Square Enix)
  • Mario Kart 8 (Nintendo) – título provisório
  • NBA 2K17 (2K Games)
  • Splatoon (Nintendo) – título provisório
  • The Elder Scrolls V: Skyrim (Bethesda)

Rumores “fortíssimos”

Robô (doll) voando o universo de Mira

Clássico do Wii U, Xenoblade Chronicles X poderá ter uma nova chance no Switch

  • Animal Crossing (Nintendo) – relançamento do GameCube
  • Dark Souls 3 (From Software)
  • Luigi’s Mansion (Nintendo) – relançamento do GameCube
  • Final Fantasy VII Remake (Square Enix)
  • Mario RPG: Invasion of the Rabbids (Ubisoft)
  • Mass Effect Andromeda (EA Games)
  • Sphinx and the Cursed Mummy (THQ Nordic)
  • Super Mario Maker (Nintendo) – relançamento do Wii U
  • Super Mario Sunshine (Nintendo) – relançamento do GameCube
  • Super Smash Bros. Melee (Nintendo) – relançamento do GameCube
  • The Binding of Isaac Afterbirth+ (Nicalis)
  • Xenoblade Chronicles X (Monolith) – relançamento do Wii U

Wii completa 10 anos; veja os bastidores do console

Em 19 de novembro de 2006, a Nintendo lançava nos EUA a sua plataforma de mesa mais bem-sucedido: o Wii. Ao apresentar o conceito, os japoneses dividiram a sua base de fãs, que esperava algo com um hardware moderno – como foi o antecessor GameCube. No entanto, a proposta vingou: foram mais de 100 milhões de unidades comercializadas globalmente, vencendo os rivais PS3 e Xbox 360. Confira, em nossa coluna Console do Mês, algumas curiosidades da plataforma.

O controle seria (bem) similar ao do Switch

Protótipo do Wiimote, com parte destacável

Olha o controle do Switch – ops, Wii (créditos: Gizmodo)

O Joy-con, comando “desacoplável” do novíssimo Nintendo Switch, não é uma ideia exatamente nova. O primeiro protótipo do joystick do Wii usaria uma ideia similar: se chamaria Gyropod e teria a parte direita destacável, tornando-se um controle a ser usado em uma mão apenas. Este foi um conceito da Gyration, empresa que criou a tecnologia sensitiva a movimentos do Wii. A ideia foi apresentada à Nintendo em 2001 e refinada, até se tornar o Wiimote que todos nós conhecemos.

Seria um acessório para o GameCube

Patente mostra que o Wiimote seria acessório do GameCube

Patente mostra que o Wiimote seria acessório do GameCube – teria dado certo?

Patentes registrada pela Nintendo em 2006 comprovam: o conceito do Wii nasceu, na verdade, como um acessório para o GameCube. A partir de um adaptador plugado no console, similar ao comando Wavebird (do GC), o Wiimote poderia ser usado sem fios. Para ilustrar o uso do sensor de movimentos, há um protótipo com uma pessoa jogando tênis.

Considerando as vendas frustrantes do Cube, talvez imaginar o conceito do Wii como um acessório seria algo que não teria dado tão certo assim. Afinal, um dos maiores motivos para o sucesso do último foi oferecer, de cara, uma plataforma simples e fácil de usar, onde toda a interface de navegação girava em torno do curioso joystick. A empresa protegeu a ideia até onde foi possível, atrasando a revelação do Wiimote em três meses após a E3 2005.

Design first

Revelação do Wii, ainda com o codinome Revolution, na E3 2005

Inicialmente revelado como “Revolution”, o design do console não mudou muito até o lançamento

Após decidir que a ideia do Wii mereceria uma nova plataforma dedicada, não mais um mero acessório, a Nintendo começou a esboçar como seria o console propriamente dito. Satoru Iwata – o então presidente da empresa – pediu que o aparelho não fosse mais largo do que dois cases de DVD. Em plenos anos 2000, como entregar algo robusto, seguindo uma restrição tão impactante?

Os japoneses receberam feedbacks negativos sobre o design do GameCube e estavam decididos a lançar um sucessor mais “discreto” para a sala de estar. Além disso, o sensor de movimentos seria embutido no aparelho e – por isso – ele deveria ser posicionado o mais próximo possível à TV, para funcionar corretamente. Quem sofreu com a decisão foi o hardware, que precisou usar tecnologia mais simples para caber nas especificações. No final das contas, a barra de sensor ficou externa e o console ultrapassou a largura planejada.

Teve uma versão para mercados emergentes…

… que não saiu em mercados emergentes. Foi o Wii Mini.

Foto da caixa do Wii Mini

Como explicar essa situação? O Wii Mini era uma versão mais simplificada do original: não tinha suporte a jogos/controles/Memory Cards do GameCube, não contava com Wi-Fi para partidas online, nem mesmo entrada para cartões SD. Para piorar a situação, a saída de vídeo componente (480p) foi retirada, restando usar os cabos AV compostos ou S-Video. Sério.

A ideia inicial era boa: uma opção de baixo custo para mercados emergentes, aproveitando o fortíssimo line-up já disponível (Mario Kart Wii, Super Smash Bros. Brawl, Super Mario Galaxy e etc). A execução, no entanto, foi péssima: o Mini só foi disponibilizado no natal de 2012, a princípio apenas no Canadá. Sim, em um país rico e em plena época de lançamento do Wii U, um novo aparelho com a proposta de competir com o PS4 e o Xbox One.

O Mini chegou, no decorrer de 2013, à Europa e aos EUA, mas não aos países emergentes. Um verdadeiro desperdício! Imaginem esta versão no Brasil, custando entre 300 e 400 reais? Em um lugar onde o Master System ainda é fabricado (e vende pra caramba!), a Nintendo teria ganho muito, muito, muito dinheiro. Quem sabe até fabricando o aparelho por aqui, com representação oficial e jogos em português. Mas, infelizmente, a empresa olha torto demais para nós. Corrupção e políticos lamentáveis à parte, aqui tinha (e, se brincar, ainda tem) espaço para o Wii Mini. Como se não bastasse, a opção de baixo custo ainda atrapalhou os consumidores por onde passou, prejudicando o desempenho comercial do Wii U.

Ainda é a plataforma “oficial” de Just Dance

A edição Wii de Just Dance 2017 é a campeã em vendas

A edição Wii de Just Dance 2017 é a campeã em vendas

Se o Wii está fazendo 10 anos, você pode imaginar que não há mais jogos sendo lançados pra ele, certo? Quase isso, mas a franquia Just Dance não abandonou o dispositivo da Nintendo, até porque é nele onde estão os usuários. Just Dance 2016, por exemplo, vendeu no Wii quase o dobro da edição para Wii U e o triplo das versões para PS4 e Xbox One, de acordo com o site VGChartz. O 2017 já está disponível e acredito fortemente que ainda veremos Just Dance 2018 no Wii. Onde tem demanda, tem jogo!

Ubisoft terá conferência de imprensa na BGS 2016

É sempre bom ver empresas de games sendo atuantes no Brasil. A Ubisoft vem se destacando por aqui, e não falo apenas pelo lançamento e localização de jogos, mas também pela presença em feiras como a BGS (Brasil Game Show).

Na edição deste ano da BGS, a Ubi confirmou que vai comparecer mais uma vez. Além de For Honor e Steep (que jogamos durante a E3 e eu recomendo), a empresa terá uma coletiva de imprensa logo no primeiro dia, em 1 de setembro, às 15h30. Três produtores de Rainbow Six Siege estarão presentes. A Ubisoft ainda irá realizar na feira a primeira etapa do torneio mundial de Just Dance.

A BGS acontece de 1 a 5 de setembro em São Paulo, no SP Expo, na Rua J/K. Ela é considerada o maior evento de videogames da América Latina.

Museu do Videogame retorna ao Recife neste domingo

Conforme o BitBlog adiantou em janeiro, o Museu do Videogame Itinerante está de volta à capital pernambucana e abre as portas neste domingo (03), no Shopping Center Recife. Ele fica montado no estabelecimento comercial até o próximo dia 24, funcionando das 10h às 22h. A entrada é gratuita, assim como a inscrição nos torneios. Estaremos lá fazendo transmissões ao vivo pelo Facebook.

Sucesso de público em 2015, quando foi visitada por mais de 250 mil pessoas apenas no Recife, a exposição retorna com várias novidades, incluindo o aumento do acervo – que agora já totaliza mais de 250 consoles e portáteis. O detalhe é que também haverá mais opções de videogames para a galera jogar, como o Sega CDX, o Atari Jaguar e o LaserActive. Todos são raridades que poucos tiveram a chance de ver e sentir.

A coleção conta a história de uma indústria relativamente nova, com apenas 44 anos, mas que fascina gerações de todas as idades. Os portáteis receberam um incremento para a edição 2016 e terão uma ilha dedicada a eles. Vistos com certo preconceito, os videogames clones (imitações dos famosos) também estarão por lá. A eles é creditado o início do mercado dos jogos eletrônicos no Brasil, já que os preços mais acessíveis possibilitaram o acesso da população aos games.

Desta vez o Museu do Videogame Itinerante promete apresentar os primeiros consoles das grandes fabricantes: Atari, Nintendo e Sega. Dois controles gigantes do Super Nintendo e Nintendinho, com 1,5 metro cada, foram confeccionados especialmente para a exposição e são jogáveis. Imagina juntar a família para passar das fases do Super Mario World? Alguém precisa ficar nos direcionais enquanto o outro assume os botões Y, X, B e A.

Infelizmente a ideia de fazer um concerto com trilhas sonoras de games – confesso que teria adorado isso – acabou não indo para frente. Fica nossa torcida para conseguirem viabilizar em futuras edições.

Just Dance 2016

Campeonatos de jogos consagrados, como Just Dance, Mortal Kombat e Street Fighter vão desafiar os mais habilidosos. Em breve será divulgada a programação e o regulamento de cada um deles. O BitBlog apurou que o torneio de Just Dance, ao contrário do ano anterior, será individual. Os participantes podem dançar à vontade, inclusive em dias diferentes, para alcançar pontuações maiores. A final será com os dez melhores colocados em uma data próxima do encerramento do Museu.

A curadoria é toda feita pelo jornalista Cleidson Lima, idealizador do projeto e pesquisador. Ele pretende lançar no próximo ano um grande almanaque com informações sobre a trajetória dos videogames e até entrevistas com os projetistas das grandes empresas. Cleidson nos contou que a ideia inicial era escrever sobre uns 300 consoles, mas o livro já vai em mais de 500. Estamos ansiosos por ele.

 

 

Xbox 360 e PS3: veja 12 jogos que virão em 2016

Para ver os lançamentos de 2017 no PS3 e Xbox 360, veja este outro post do BitBlog!


O dólar continua alto e, com isso, os consoles da nova geração ficam ainda mais inacessíveis… Mas isso não quer dizer que você, fã do PS3 ou do 360, não terá mais o que curtir. O BitBlog listou alguns jogos que virão em 2016 para ambas as plataformas, com direito a um jogão de PS3 que chega em 2017. Os dois consoles estão agonizando, mas ainda não “morreram”!

Atualizações (12/11, 28/06 e 01/06 de 2016): além dos oito jogos originais do post, trouxemos mais alguns títulos que foram revelados há pouco tempo. Se gostou do post e puder ajudar a gente, compartilha ele com os amigos! :)

12) Cobalt

Xbox 360
Também para: Xbox OnePC, Mac e Linux
Data de lançamento: 2 de fevereiro de 2016 (já disponível)

Cobalt

O que você esperaria de um jogo de ação em 2D da Mojang, responsável por Minecraft? Cobalt é exatamente isso. Com irreverência e uma pegada no estilo Worms, as partidas multiplayer trazem boas risadas.

11) Aegis of Earth: Protonovus Assault

PS3
Também para: PS4 e PS Vita
Data de lançamento: 15 de março de 2016 (já disponível)

Aegis of Earth - Protonovus Assault

O jogo de estratégia mescla os gêneros de ação e estratégia com elementos de ficção científica. A partir da construção de exércitos de defesa, o jogador deverá proteger sua cidade de uma invasão extraterrestre.

10) Just Dance 2017

Xbox 360 / PS3
Também para: Wii, Wii U, Nintendo NX (Switch), PS4, Xbox One e PC
Data de lançamento: outubro de 2016 (já disponível)

Just Dance 2017

Mais um ano, mais um Just Dance. O game trouxe, entre os destaques, “Don’t Stop Me Now”, do Queen, e “Lean On”, do Major Lazer. Até uma faixa da cantora “digital” Hatsune Miku está presente.

9) Fifa 17

Xbox 360 / PS3
Também para: PS4, Xbox One e PC
Data de lançamento: 27 de setembro de 2016 (já disponível)

Fifa 16 - time feminino

A EA promete continuar suportando os consoles antigos com a sua franquia Fifa. Entretanto, ao contrário das outras edições, o PS3 e o 360 recebeu uma mera atualização de times / uniformes, sem a chegada do motor gráfico Frostbite (a principal novidade das outras versões).

8) Pro Evolution Soccer 2017

Xbox 360 / PS3
Também para: PS4, Xbox One e PC
Data de lançamento: setembro de 2016 (já disponível)

Pro Evolution Soccer 2017

Após a entrevista exclusiva que fizemos com a Konami na E3 2016 (confira aqui), já desconfiávamos de que as edições para PS3 e 360 do novo PES seriam uma mera atualização de times (como aconteceu com o Fifa 17). Dito e feito.

7) Mighty No. 9

Xbox 360 / PS3
Também para: Wii U, Xbox One, PS4, 3DS, PS Vita e PC
Data de lançamento: 21 de junho de 2016 (já disponível)

Do criador de Mega Man, Mighty No. 9 teve uma das campanhas mais bem-sucedidas da história do Kickstarter e prometeu mesclar muita ação com um sentimento forte de nostalgia, típico dos jogos de plataforma da era 16-bit. O problema é que a reação da crítica não foi nada boa, com direito a pedidos de desculpas por parte do produtor. Vale a pena dar uma olhada e tirar suas conclusões.

6) Lego Marvel’s Avengers

Xbox 360 / PS3
Também para: Wii U, Xbox One, PS4, 3DS e PS Vita
Data de lançamento: 26 de janeiro de 2016 (já disponível)

Lego Marvel Avengers

Reaproveitando cenas (e até diálogos) dos filmes de Os Vingadores, Capitão América, Homem de Ferro e Thor, o título traz mais de 100 personagens jogáveis. Elementos dos quadrinhos e desenhos animados das séries citadas também estão presentes.

5) Lego Star Wars: The Force Awakens

Xbox 360 / PS3
Também para: Wii U, Xbox One, PS4, 3DS e PS Vita
Data de lançamento: 28 de junho de 2016 (já disponível)

LEGO Star Wars O Despertar da Força - 3

The Force Awakens não teve jogo oficial, mas pelo menos uma versão Lego foi providenciada pela Warner. Veja mais sobre o jogo aqui.

4) The Walking Dead: A New Frontier (Season 3)

Xbox 360 / PS3
Também para: PS4, Xbox One, PC, PS Vita, Mac, iOS e Android
Data de lançamento: novembro de 2016

The Walking Dead Season 3 - A Talltale Game Series

A terceira temporada da série da Telltale para os videogames vai ser “consideravelmente maior” que as duas anteriores, com direito a um novo protagonista que conecta o novo enredo com os predecessores. A expectativa já é grande, devido à qualidade excepcional dos jogos de The Walking Dead feitos pelo estúdio.

3) Odin Sphere: Leifthrasir

PS3
Também para: PS4 e PS Vita
Data de lançamento: 7 de junho de 2016 (já disponível)

Você conhece Odin Sphere? O game de PS2 mesclava uma mecânica de ação, em 2D, com RPG e belos gráficos (todas as artes foram feitas à mão). Após grande sucesso de crítica e pedidos dos fãs, a Atlus resolveu remasterizar o clássico, trazendo novos mundos e monstros, além de cenas com dublagem.

2) Resident Evil Zero – HD Remaster

Xbox 360 / PS3
Também para: Xbox One, PS4 e PC
Data de lançamento: 19 de janeiro de 2016 (já disponível)

O clássico de GameCube foi relançado, remasterizado e em alta definição. Uma edição física (Resident Evil Origins Collection) também está disponível, trazendo junto a remasterização do primeiro Resident Evil. Imperdível, tanto para os novatos na franquia, quanto para os fãs.

1) The Legend Of Heroes: Trails Of Cold Steel II

PS3
Também para: PS Vita
Data de lançamento: 6 de setembro de 2016 (já disponível)

The Legend of Heroes - Trails of Cold Steel 2

Continuação do elogiado RPG de 2015, Trails of Cold Steel II foi localizado para o Ocidente pela Xseed. Um novo modo Overdrive, novos veículos e personagens e bônus para quem tem o save do primeiro jogo são alguns dos destaques. O cross-save (entre PS3 e Vita) também está de volta. Esta é a despedida da série do PS3.

2017 tem mais!

Persona 5, Izle, Fifa… Veja aqui!