LoL

Marco Zero recebe “monumento” em homenagem a League of Legends

Embora Pokémon Go tenha recebido um hype imenso nos últimos dias, é justo afirmar que League of Legends pode ser considerado um dos jogos online mais populares da atualidade. Ele possui uma comunidade gigantesca, movimenta o setor de e-sports com times patrocinados e gerou uma receita de US$ 1.6 bilhões somente no ano passado. Não à toa, a Riot Games investe em vários eventos para criar um relacionamento com os jogadores. Um deles, o Encontro na Torre, acontece no Recife neste fim de semana.

Por conta disso, já começou a ser montado no Marco Zero uma espécie de “monumento” a League of Legends. Trata-se de uma estátua da torre que guarda as três rotas do mapa de Summoner’s Rift, um dos mais populares do game. Torres são elementos importantes em League of Legends e ajudam as equipes a se protegerem das tropas do inimigo.

Encontro Torre Recife

A Torre possui cerca de 9 metros de altura e ficará em frente ao Marco Zero, no Recife Antigo. De acordo com a Riot Games, serão realizados sorteios e atividades especiais das 9h às 21h no sábado (23) e no domingo (24). Depois disso, a estátua segue para Salvador, na Bahia. O curioso é que há uma mecânica especial explicada no site do Encontro na Torre. As pessoas devem tirar fotos em frente à estátua e postá-las com a hashtag do estado (no caso, #encontronatorrepe) para “combatê-la” e tentar derrubá-la. O site exibe o medidor de dano e as fotos da galera. Para quem ficou empolgado, vale lembrar que já tem evento no Facebook.

Se Pokémon Go também chegar ao Brasil nesses dias, Recife terá um inusitado fim de semana gamer. Primeiro pela Torre. Segundo pelos monstrinhos da Nintendo. E terceiro pelo Super-Con, que promete campeonatos.

Idosa chinesa é vista rezando para estátua de LoL

(imagens: IT Home)

Imagine a cena. Você está passeando na rua e vê uma senhora ajoelhada, rezando em frente a um daqueles cafés geeks, cheios de referências nerd. Na frente dela, uma estátua de um personagem de League of Legends, o Garen. O que você faria?

Essa situação é real e aconteceu na China. O site IT Home noticiou o fato, que causou alvoroço na internet. Tudo ocorreu porque Garen foi confundido com Guan Yu, um ex-general que lutou em guerras civis e é reverenciado pela população local como um deus. A confusão da idosa também revela como os avanços em gráficos e modelagens 3D têm conseguido dar um tom cada vez mais realista aos jogos.

Chinesa oferece incensos para heroi de LoLApós a oração, a idosa ofereceu incensos ao personagem do game

League of Legends é um verdadeiro fenômeno. O game, do gênero de combate multiplayer (o chamado “Moba” – multiplayer online battle arena), é um fenômeno desde o lançamento, em 2009. Sua popularidade cresce exponencialmente desde então. Além disso, o jogo é destaque entre as competições de e-Sports. A final do campeonato mundial de LoL, em 2015, atraiu mais de 36 milhões de espectadores online.


Leia mais: entrevistamos Alocs, recifense e campeão de LoL

Assista ao vivo à final do CBLoL neste sábado com Keyd e INTZ

A final da primeira etapa do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) acontece neste sábado (02), a partir das 12h. Os oponentes serão as equipes Keyd Stars e INTZ, que se enfrentam em uma MD5 -melhor de cinco, para os leigos – nos estúdios da Riot Games, em São Paulo. O evento será transmitido ao vivo em canais oficiais do Twitch, YouTube e Azubu.

Além de conquistar o primeiro título oficial do ano, o time vencedor vai representar o Brasil no International Wildcard Invitational (IWCI), que vai rolar entre os dias 16 e 23 de abril, na Cidade do México.

Gosta de League of Legends? Confira nossa entrevista com o pernambucano Alocs.

ASSISTA AO VIVO À FINAL DO CBLOL

TORCIDA DA KEYD STARS


TORCIDA DA INTZ

ONDE ASSISTIR À FINAL

Para quem não quiser ver a final do CBLoL em casa, a Riot Games divulgou uma lista de bares e pubs que vão transmitir a disputa. Clique aqui para ver a relação dos locais. No Recife, os fãs do MOBA irão se encontrar no Winner Sports Bar e no cinema do Shopping RioMar.

Entrevistamos Alocs, recifense e campeão de LoL

Leonardo Belo, 26 anos, também conhecido como Alocs, é um dos mais experientes jogadores de League of Legends do Brasil. Jogando como Support, disputou em 2015 a quarta final consecutiva do CBLoL (o Campeonato Brasileiro do jogo), além de ter sido campeão em 2012. Para muitos, é o melhor da posição no país. No currículo, ele traz passagem por grandes equipes.

LoL foi lançado há pouco mais de seis anos, em outubro de 2009, e continua sendo um dos games do momento. Para se ter uma ideia, a desenvolvedora Riot Games fala em 67 milhões de jogadores mensais e 27 milhões por dia em todo o mundo. Tecnicamente, é considerado um MOBA (Multiplayer Online Battle Arena), embora os próprios players tenham dificuldade para chegar num consenso sobre o gênero, frequentemente apontando elementos de RPG, RTS e Tower Defense para justificar a polêmica.

Voltando a falar de Alocs, curiosamente ele estudava na Unicap na mesma época que eu, no mesmo curso (Ciência da Computação), mas eu não tinha noção – naquela época – do quanto LoL era importante para ele. Para fazer alguém seguir carreira em eSports no Brasil, no início da década, era preciso ter muita dedicação, uma vez que o cenário estava começando a se estabelecer. Hoje, Léo é um dos players mais influentes no país, com uma base de fãs bem forte (mais de 120 mil seguidores no Facebook e Twitter) e reconhecimento por onde passa. O BitBlog entrevistou o carismático Support sobre os seus desafios e expectativas. Confira!


Você ainda está sem clube definitivo, após a saída do INTZ, embora esteja disputando competições pontuais em algumas equipes. Recebeu alguma proposta recentemente?

Estou em negociação com alguns times daqui do Brasil, além de três outros do exterior, na América Latina. Como muitos sabem, o CBLoL é dividido em duas etapas e existe uma janela de negociação até 01 de dezembro. Quero, até lá, estar em uma equipe para disputar a primeira etapa do CBLoL 2016. As propostas começaram a surgir há algum tempo, mais recentemente de forma oficial.

Neste caso, o que você leva em conta para tomar uma decisão?

Quero ir para um clube com estrutura, que tenha pessoas que queiram se esforçar para ganhar. Sem isso, não se chega a lugar algum. Procuro um lugar que nos dê a capacidade de alcançar mais vitórias. Não quero ser só mais um jogador.

Como você visualiza a possibilidade de morar fora do Brasil?

Viver um tempo fora seria uma experiência bem interessante. Caso aceite uma destas propostas do exterior, será algo bem positivo.

Alocs em programa da internetAlocs é presença constante em transmissões e vídeos de LoL no YouTube

Como foi o início da carreira?

Eu curtia videogame desde os 2 ou 3 anos, mas não esperava me tornar profissional. Quando migrei de Dota para o LoL, ainda jogava por diversão, só que fui ficando bom no jogo e me destacando, até ser chamado por alguns times. Quando a Riot Games chegou ao Brasil, nós fomos formando o cenário juntos. Antes disso, profissionalismo não existia aqui no Brasil e só se ouvia falar remotamente em outros países como a Coreia do Sul.

Quais as principais diferenças no eSports nacional entre o período que você começou e hoje?

Até existia antes um cenário de eSports aqui, mas ele era muito underground, devido a diversos problemas como a péssima qualidade de internet, falta de estrutura e investimento. Participar dos campeonatos era praticamente uma quebra de tabu social, um pioneirismo. Por isso, tudo parecia tão misterioso, ninguém sabia o que viria após um campeonato.

Hoje, as coisas se tornaram mais rotineiras para mim. Sou apaixonado pelo que faço, mas já passei por várias situações e sei como as coisas funcionam de forma geral. O que não quer dizer que não me surpreendo, como quando uma fã passou mal ao me ver ou quando times de outras regiões entram em contato comigo. Jogar a final de um campeonato como o CBLoL e ver a estrutura, a energia, o ambiente… Tudo isso é impressionante.

Como enxerga o seu desempenho em 2015?

No início do ano, eu estava um pouco perdido. Tinha acabado de sair de um clube (CNB eSports Club) e ingressei em um outro que disputava o Circuito Desafiante (torneio de acesso), mas não deu muito certo. Então, me senti como se estivesse começando do início. No final das contas, consegui entrar em um clube do CBLoL. Tive sucesso, mas confesso que poderia ter passado melhor minha experiência para os demais integrantes. Eu estava muito concentrado no meu jogo.

E qual a expectativa para 2016?

Quero começar a disputar em alto nível desde o início. Pretendo construir um time que perdure, pois assim se cresce estrategicamente. Aqui no Brasil, ainda é raro conseguir isso, pois é algo recente. Entretanto, o cenário está se tornando mais estável.

Uma jogada de mestre de Alocs, no BGL Arena, em 2013

Você estará no International Wildcard All-Stars, em Melbourne (Austrália), no final de novembro. Qual o sentimento sobre isso?

Temos um ótimo time. Como vamos disputar com regiões em ascensão, acho que estamos melhores no quesito qualidade de jogadores. Acredito que podemos ganhar.

E quanto ao CBLoL All-Star, em Goiânia, no dia 22 de novembro? Vai ser mais fácil?

Para ser sincero, não tenho a menor noção do que esperar. As equipes foram formadas de uma forma bem peculiar, então não sei como será. Quero vencer, mas também me divertir.

Sobre jogar novamente com pessoas do teu ex-clube (INTZ eSports): a sua saída já é página virada?

A vida segue em frente. Não sou de guardar rancor. Não temos mais uma relação de amizade, mas respeito muito eles como jogadores.

Qual o segredo para ter uma base de fãs tão forte? Tem gente até se declarando no Facebook!

(Risos) Eu até falho um pouco ao não trabalhar muito minha imagem. Minha família até me cobrou isso, mas acredito que não faz parte do meu estilo. Trabalho duro nos campeonatos, trago resultados e acho que os fãs gostam disso e se identificam.

Alocs na CNBNa CNB, Alocs conquistou o Desafio Internacional 2013, além de dois vice-campeonatos do CBLoL

Se um dia você desistisse de disputar LoL profissionalmente, qual seria o plano B?

Hum… Pergunta difícil (risos)! Já pensei em vários, mas acredito que seria Dota 2. Entretanto, estou 100% focado em LoL!

O que tem jogado ultimamente, fora League of Legends?

Meu Xbox One tá parado faz tempo, assim como a minha conta no Steam. Ainda vejo muitos campeonatos de Counter-Strike e StarCraft, mas tenho focado muito em outras atividades. Por exemplo, estou me dedicando a escrever artigos junto a um professor.

Xbox One, Wii U ou PS4? 

Bom, eu coleciono consoles. Tenho do One até o Nintendo 64. Então, gosto de todos eles da mesma forma.

Mario ou Sonic?

Mario (risos)! Curto Sonic, mas cresci jogando muito mais games de Mario. Quando era menor, não possuía plataformas da Sega.

Para fecharmos, manda um recado para os teus fãs, em especial os de Pernambuco.

Gosto muito do pessoal daqui, todos são bem receptivos. Apesar de não conseguir fazer muitas aparições públicas ultimamente, podem esperar muito de mim ainda!

Saga Day atrai público geek com maratona de atividades

saga day league of legends lol

O Recife recebe um evento de tecnologia, games e cultura pop no próximo domingo (30). É a segunda edição do Saga Day, que vai ter uma programação bem diversificada para agradar públicos distintos. Palestras, workshops e competições com temática geek acontecem na Escola Saga de Artes Gráficas, que funciona no Empresarial João Roma, na Avenida Conselheiro Aguiar. A entrada custa R$ 20 e a programação completa pode ser conferida clicando aqui.

Conversamos com o produtor Kelmer Luciano, responsável pela organização do Saga Day. Ele explicou que várias palestras falam de games, startups e produção de eventos mirando o mercado local. Haverá um espaço para demonstração dos óculos rift e do conceito de realidade aumentada.

Os gamers poderão participar de competições de League of Legends, Mortal Kombat X, Just Dance e Counter Strike. Além de efetuar a inscrição, os interessados em participar devem chegar no local do evento às 9h.

O encontro também reúne aficionados por cinema e seriados. Kelmer preparou um debate sobre ficção, tecnologia e distopia, passeando por Star Wars e Maze Runner. Winter is coming em um bate-papo com fãs de Game of Thrones, que vão analisar a narrativa dos livros e da série da HBO. Cuidado com spoilers por lá!

Um dos convidados especiais da segunda edição do Saga Day é o ilustrador Tony Silas. Recifense, ele trabalha para grandes estúdios, como Marvel e DC Comics. O profissional mantém um blog onde mostra um pouco do seu trabalho.