NES

NES, o Nintendinho, será relançado em formato mini

Por essa você não esperava. Lembra do NES, que ficou conhecido aqui como Nintendinho? O primeiro console de sucesso da empresa de Mario, Zelda e cia será relançado, em versão mini.

O NES Classic Edition é uma espécie de versão de colecionador. Com lançamento previsto para 11 de novembro na América do Norte e Europa, custando o equivalente a US$ 60, o console usará uma porta HDMI e virá com um controle – que também poderá ser usado no Wii U para jogar títulos clássicos do 8-bit, se conectando ao Wii Remote.

NES - Classic Edition - 2Até a caixa é retrô e lembra a identidade visual do NES original

Partidas multiplayer local serão possíveis se o jogador adquirir um controle extra, por US$ 10. Trinta jogos virão na memória. Veja abaixo a lista, anunciada pela Nintendo, e sinta a nostalgia. Para ler mais sobre plataformas clássicas, não deixe de acompanhar nossa coluna Console do Mês!

  • Balloon Fight
  • BUBBLE BOBBLE
  • Castlevania
  • Castlevania II: Simon’s Quest
  • Donkey Kong
  • Donkey Kong Jr.
  • DOUBLE DRAGON II: THE REVENGE
  • Dr. Mario
  • Excitebike
  • FINAL FANTASY
  • Galaga
  • GHOSTS’N GOBLINS
  • GRADIUS
  • Ice Climber
  • Kid Icarus
  • Kirby’s Adventure
  • Mario Bros.
  • MEGA MAN 2
  • Metroid
  • NINJA GAIDEN
  • PAC-MAN
  • Punch-Out!! Featuring Mr. Dream
  • StarTropics
  • SUPER C
  • Super Mario Bros.
  • Super Mario Bros. 2
  • Super Mario Bros. 3
  • TECMO BOWL
  • The Legend of Zelda
  • Zelda II: The Adventure of Link

Leia mais:
PolyStation? 10 consoles “imitação” que confundem o público
PlayStation faz 20 anos, veja curiosidades
30 anos de Master System
Xbox: 7 curiosidades sobre o primeiro videogame da Microsoft
Game Boy Advance completa 15 anos

The Legend of Zelda completa 30 anos, veja curiosidades

Neste domingo, 21 de fevereiro, uma das séries mais amadas dos videogames completa 30 anos. Estamos falando de The Legend of Zelda.

Em 1986, nesta mesma data, a franquia estreava no Japão com um game para o NES. Pela primeira vez, Link salvava a Princesa Zelda e a terra de Hyrule do terrível Ganon. Trazendo elementos de RPG, ação e os famosos calabouços, o jogo foi eleito o melhor do ano por várias publicações e se tornou rapidamente um hit, vendendo mais de 6,5 milhões de unidades. Foi uma experiência diferente de tudo que os consoles já tinham recebido, redefinindo paradigmas e estabelecendo padrões usados até hoje.

Para comemorar a data, o BitBlog listou alguns dos jogos mais épicos da franquia Zelda (e outro nem tanto), com as inovações que cada um trouxe, além de músicas marcantes (à la BitSound, nossa coluna de trilhas sonoras).

Se você gostar da nossa publicação e quiser divulgá-la para seus amigos que também curtem Zelda, ficaremos muito felizes se você compartilhar o post nas redes sociais. ;-)

Os dois mundos paralelos de A Link to the Past


A trilha de Kakariko Village é uma das mais memoráveis do título de SNES

Após o início bem-sucedido no NES, chegou a vez do Super Nintendo receber a sua própria aventura Zelda. Em 1991 (no Japão) e 1992 (nos demais países), era lançado A Link to the Past. Com mais poder de hardware disponível, vieram novas possibilidades: andar na diagonal, correr com o uso das Pegasus Boots e o ataque giratório com a espada, além do conceito de mundos paralelos. A Link to the Past é lembrado também por conter diversos easter eggs, descobertos quase uma década depois.

The Legend of Zelda - A Link to the Past - 2Colorido e detalhado, o visual de A Link to the Past foi um marco no catálogo do SNES

Estragando a série em The Faces of Evil


Zelda ganhou mecânica de plataforma e cenas de diálogo. Assustador.

Se existe algo que a Nintendo deve se arrepender até hoje é da negociação com a Philips nos anos 90. Foram cedidos direitos para o desenvolvimento de jogos de Mario e Zelda no fracassado CD-i, tentativa da Philips de ingressar nos videogames. Os títulos eram realmente assustadores.

Link - The Faces of Evil - CD-iParece desenho do Paint, mas trata-se de um jogo do saudoso (só que não) Philips CD-i

O primeiro game (se é que podemos chamar assim) de The Legend of Zelda no CD-i chamava-se Link: The Faces of Evil. Com elementos de plataforma 2D e cenas em desenho animado, era difícil não se assustar com a má qualidade do produto. Para piorar, vieram ainda The Wand of Gamelon e Zelda’s Adventure. Não se preocupe, não vamos falar deles aqui.

A revolução de Ocarina of Time


Trilha do Hyrule Field é épica

O projeto de levar Zelda a um ambiente completamente tridimensional foi um dos mais ambiciosos da história da Nintendo. Após tantos atrasos e retrabalho, o produto final não decepcionou: Ocarina of Time, do N64, é considerado por muitos o melhor jogo de todos os tempos. Em 1998, conhecíamos elementos 3D que viraram padrão na indústria. O travamento de mira e as ações sensitivas ao contexto (os mesmos botões realizando tarefas diferentes, de acordo com a situação) repercutiram bastante.

The Legend of Zelda - Ocarina of Time - Link crianca e EponaA relação de companheirismo entre Link e a égua Epona marcou nossas vidas

Imagine comandar um jovem Link, solitário e fraco, que ia se tornando aos poucos um grande guerreiro, que viaja no tempo e se torna um adulto capaz de vencer o vilão Ganondorf. Com o uso de uma ocarina mágica, chamar a égua Epona ou fazer chover tornavam-se tarefas possíveis para o herói, trazendo novas possibilidades para o gameplay. Ocarina of Time inovou em outras dezenas de aspectos que nós não vamos abordar – afinal, não cabe aqui. Vale considerar que OoT é o game mais bem avaliado até hoje no Metacritic, com pontuação média de 9,9. Um remake, em 2011 para o 3DS, conseguiu aperfeiçoar algo que já era excelente.

Explorando o imenso oceano de Wind Waker


A faixa The Great Sea é a mais memorável de Wind Waker

Na minha opinião, o melhor título da série. Wind Waker, de 2003, inovou sem medo: ao adotar um estilo visual cartoon, buscou retratar mais as emoções dos personagens. Antes do lançamento no GameCube, não faltou gente (e me incluo nisso) torcendo o nariz, achando que virou “joguinho de criança”. Independentemente das vendas, consideradas baixas para um Zelda (pouco mais de 3 milhões no mundo todo), estamos falando de um universo à altura de Ocarina of Time. Saem Epona e o Hyrule Field, entra o King of Red Lions e a navegação por grandes oceanos.

The Legend of Zelda - Wind Waker - oceanoEmbarcar (literalmente) em uma jornada por um vasto mundo: não tem preço

Com direito a um remake HD para o Wii U de altíssimo nível, Wind Waker é cativante. Um pouco mais fácil do que os capítulos anteriores da franquia, mas igualmente ambicioso. Ao terminar a batalha final, lembro da tristeza que bateu… Parecia que estava me despedindo de um grande amigo.

Depois do mimimi dos fãs mais (chatos) conservadores, a Nintendo se viu obrigada a desenvolver um título mais maduro, pensado no público norte-americano, o Twilight Princess, que falamos em seguida.

A maturidade de Twilight Princess

A trilha de Hyrule Field em Twilight Princess é incrível

O Zelda que todo mundo queria: sombrio, com muitos mistérios e gráficos de ponta. Twilight Princess, de 2006, foi o primeiro da série a ser lançado (quase) ao mesmo tempo em duas plataformas: no fim da vida do GameCube e no lançamento do Wii, com suporte a controle por movimento. Aqui, Link podia virar um lobo, correndo mais rápido e encontrando caminhos escondidos. Esta foi a forma que o time de desenvolvimento encontrou pra fugir do clichê de “mundos paralelos” ou de “viagem no tempo”.

The Legend of Zelda - Twilight Princess HD - combate a cavaloNo Wii U, Twilight Princess vai ficar ainda mais interessante

Neste jogo, a Nintendo implementou recursos que não couberam em Ocarina of Time, devido a limitações de hardware. Entre eles, o combate a cavalo, já que Epona estava de volta. Os inimigos são bem mais difíceis aqui, já que o título apela nitidamente para um público mais hardcore. Não importa: mesmo com os controles forçados para Wii, Twilight Princess é uma grande experiência – e que vai ficar ainda melhor na versão HD para Wii U, que chega em 6 de março.

Se perdendo no mundo aberto de Zelda Wii U

O pouco que vimos até aqui do novo game é suficiente para nos deixar empolgados

Um novo Zelda está programado para o Wii U em 2016, mas pouco se sabe sobre ele. Vamos cobrir a E3 2016 ao vivo, em Los Angeles, e esperamos falar sobre ele o quanto antes para vocês. Até lá, é de conhecimento geral que o título terá um “mundo muito vasto”. Pelas imagens do vídeo acima, os efeitos gráficos estão caprichados, sem abrir mão de um estilo cartoon que remete a Skyward Sword, do Wii. Vamos aguardar!

 

40 fatos sobre videogames que vão fazer você se sentir muito velho

Nesta quinta-feira (21), uma das franquias mais conhecidas dos videogames completa 30 anos de existência. Estamos falando de Zelda, que, pasme, chegou ao Nintendinho em 21 de janeiro de 1986. Você achava que fazia tanto tempo assim? Nós também não. Por isso preparamos uma lista – ficaremos muito felizes se você compartilhar – com 40 fatos sobre videogames que vão fazer você se sentir muito velho. Não se preocupe: o tempo passa, mas a saudade fica.


Há 10 anos – 2006

PlayStation 3 - modelo original

1. O PlayStation 3 era lançado no Japão e Estados Unidos. Um ano antes, a Sony tinha demonstrado ele com o Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots.

Wii

2. Há uma década também era lançado o revolucionário Wii pela Nintendo. O nome brinca com o pronome “we” (nós, em inglês) e os dois “is” simbolizam duas pessoas.

Star Wars Empire at War

3. Já que Star Wars é o filme do momento, sabia que já tem 10 anos do lançamento do game Star Wars: Empire at War? O jogador poderia lutar tanto ao lado do Império como da Aliança Rebelde.

Half-Life 2 - Episode One

4. A Valve lançava Half-Life 2: Episode One, mais um título da famosa franquia e que servia como pacote de expansão para o Half-Life 2. Aqui, Gordon e Alyx são resgatados pelos vortigauns.

Neverwinter Nights 2

5. RPG muito cultuado pelos jogadores fãs do gênero, Neverwinter Nights 2 chegou às prateleiras também em 2006. A mecânica era baseada em Dungeons & Dragons (D&D).

Call of Duty 3 - PS2

6. Praticamente todo ano tem um novo Call of Duty, certo? Há dez anos a bola da vez era o Call of Duty 3, ambientado na Segunda Guerra Mundial e com uma história que remetia à invasão da Normandia. Um detalhe curioso é o que o game não saiu para PC.

Gears of War

7. Também foi em 2006 que jogamos o primeiro título de Gears of War, da Epic Games. O jogo de tiro em terceira pessoa estreou como exclusivo do Xbox 360.

The Legend of Zelda - Twilight Princess

8. Na mesma época, a Nintendo lançava para GameCube e Wii mais uma história com Link, Epona, Zelda e Ganondorf, além de trazer um novo vilão – o rei Zant. O Twilight Princess é considerado por muitos um Zelda mais sombrio.

Há 15 anos – 2001

GameBoy Advance

9. Lembra do Game Boy Advance? O portátil da Nintendo, que era tratado pelo codinome Projeto Atlantis, foi lançado há 15 anos. É o primeiro portátil da gigante japonesa com processador 32-bit.

GameCube preto

10. O GameCube é o videogame favorito de Diego von Söhsten, que também é editor do BitBlog. Foi lançado no Japão em 14 de setembro de 2001. Os botões de ombro dele tinham 256 níveis de pressão (L e R).

Xbox - original - 2001

11. A Nintendo não foi a única companhia a lançar consoles em 2001. Foi neste ano que a Microsoft deu um grande passo em direção à indústria dos videogames, com o lançamento do Xbox.

RuneScape

12. Um dos MMORPGs mais jogados de todos os tempos, RuneScape deu o ar da graça há 15 anos. Estima-se que mais de 200 milhões de jogadores já se aventuraram no universo de Guilenor.

Phantasy Star Online

13. A febre do Phantasy Star Online começava há 15 anos na Europa e América do Norte, embora tivesse chegado ao Japão em dezembro de 2000. O action RPG da Sega vem de uma série que nasceu no Master System.

Paper Mario

14. Os europeus e os australianos se divertiram com Paper Mario há 15 anos. Segundo título de RPG do personagem icônico da Nintendo, o visual, fazendo jus ao nome, imitava folhas de papel – desde o cenário aos personagens.

Max Payne 1

15. Max Payne quer vingar o assassinato de sua família desde 2001, quando foi lançado. Uma curiosidade é que ele usa muito o efeito bullet time, que ganhou fama com o filme Matrix.

Silent Hill 2 - Pyramids Head

16. Muita gente tomou uns sustos há 15 anos com o survival Silent Hill 2, da Konami. Foi no segundo game da franquia que surgiu o terrível Pyramid Head.

Devil May Cry

17. Devil May Cry fez sua primeira aparição em 2001. O game da Capcom – que trazia a história de Dante, um caçador de demônios – foi dirigido por Hideki Kamiya, que também trabalhou em Resident Evil e Viewtiful Joe.

GTA 3

18. Grand Theft Auto III chegou primeiro ao PlayStation 2, em outubro de 2001. Foi o primeiro game em 3D da franquia e as missões acontecem em Liberty City, inspirada em Nova Iorque. A cidade tridimensional teria as Torres Gêmeas, mas elas foram removidas de última hora por conta dos atentados terroristas ocorridos um mês antes.

Halo - Combat Evolved

19. O primeiro Halo saiu em novembro de 2001, desenvolvido pela Bungie e publicado pela Microsoft Game Studios. Foi desde então que os jogadores puderam viver as aventuras do supersoldado Master Chief.

Pikmin 1

20. Criação do lendário Shigeru Miyamoto, a franquia Pikmin surgiu há 15 anos. Os monstrinhos coloridos precisavam ajudar o Capitão Olimar, um astronauta cuja nave caiu em um misterioso planeta.

Há 20 anos – 1996

Duke Nukem 3D

21. Dá para acreditar que Duke Nukem 3D já tem 20 anos? O sarcástico e musculoso personagem detonava alienígenas enquanto passava pelos cenários inspirados em Los Angeles.

Radical Dreamers

22. Radical Dreamers, da Square, foi lançado em 1996. O game japonês ganhou projetos de tradução independente e tentou pegar carona no sucesso de Chrono Trigger, que saiu um ano antes. O jogo, com uma mecânica bastante focada em textos, ajudou a construir o enredo de Chrono Cross.

Pokemon Red e Blue

23. As versões Red e Blue (Green) de Pokémon também completam 20 anos. Os jogadores tinham, logo no início, uma dura decisão: escolher entre Charmander, Bulbassauro e Squirtle.

Super Mario RPG

24. Um dos meus favoritos do Super Nintendo, Super Mario RPG também deu o ar da graça em 1996. Parceria entre Square e Nintendo, o título tirava onda com a franquia Mario e introduziu novos personagens – como o chato Mallow e o incrível Geno.

Resident Evil 1 - PS1

25. Foi o mesmo ano do lançamento do primeiro Resident Evil, que fez grande sucesso. A história mesclava assassinato, canibalismo, zumbis e, claro, muitos sustos.

Final Doom

26. Alguém aí sabe o que é Final Doom? Ele foi lançado em 1996 e considerado um dos jogos mais violentos da época. Easter eggs também conferiam ao game uma aura de “jogo do demônio”, que deixava os pais de cabelo em pé.

Quake

27. Outro jogo bem famoso na época era Quake, que pertencia ao gênero tiro em primeira pessoa. Aliás, foi um dos primeiros jogos de tiro com gráficos realmente modelados em 3D. Teve trilha sonora composta por Trent Reznor, do Nine Inch Nails.

Crash Bandicoot

28. Crash Bandicoot, um dos principais jogos do PlayStation, foi lançado há 20 anos. Os jogadores precisavam se esforçar para conseguir diamantes que habilitavam um final secreto.

Diablo

29. O primeiro Diablo foi lançado no último dia do ano de 1996. O ápice do game é a entrada no inferno, onde alguns níveis depois ocorre a luta com o Diablo.

Sonic 3D Blast

30. Tenho um carinho especial por esse, já que a franquia clássica do Sonic marcou minha infância. O 3D Blast teve uma recepção péssima e reconheço que o visual tridimensional tinha limitações, mas confesso que gosto do game. Quem lembra dos flickies?

Há 25 anos – 1991

Sonic the Hedgehog

31. Em junho deste ano, Sonic vai completar 25 anos de existência. O querido e veloz mascote da Sega rivalizou com Mario durante anos e destronou o posto de Alex Kidd. Acaba com o Robotnik, Sonic!

Super Mario World

32. Clássico dos clássicos, Super Mario World aportava na Europa e na América do Norte há 25 anos. Foi nele a primeira aparição do dinossauro Yoshi.

The Legend of Zelda - A Link to the Past

33. The Legend of Zelda: A Link to the Past é focado nos ancestrais de Link e Zelda. Muito querido pelos fãs da franquia, foi lançado em novembro de 1991 no Japão. Os jogadores alternam entre Hyrule e a Terra Dourada (no passado).

Civilization 1 - Sid Meier

34. Civilization era tipo um Age of Empires, só que não. Chegou em 1991, lançado originalmente para o DOS. Sim, você não leu errado: DOS.

Street Fighter II

35. Nos arcades, o sucesso ficava por conta de Street Fighter II, lançado no mesmo ano. O game de luta da Capcom trazia Ryu e Ken, mas introduzia novos personagens, como Chun-Li e Blanka.

Há 30 anos – 1986

The Legend of Zelda - NES

36. O primeiro Zelda de todos os tempos completa 30 anos no dia em que esta postagem é escrita. Foi lançado em 21 de fevereiro de 1986 para o Nintendinho (NES) e já trazia os personagens Link, Zelda e Ganon, além da Triforce da Sabedoria.

Metroid - NES

37. Outra franquia da Nintendo muito respeitada completa 30 anos em 2016: Metroid.

Alex Kidd in Miracle World

38. Já deu para perceber que 1986 foi um ano realmente marcante, né? Quem também surgiu no mesmo período foi Alex Kidd, primeiro mascote da Sega.

Sega Master System

39. Há 30 anos, o Master System fazia sua estreia na Europa. Um ano antes ele havia sido lançado no Japão, mas com outro nome: Sega Mark III. No Brasil, só veio chegar em 1989, com a Tec Toy.

Atari 7800

40. Ok, esse é realmente antigo: O Atari 7800 foi lançado em junho de 1986 e é considerado o primeiro videogame retrocompatível da história.