Nintendo

Rumor com games do Nintendo Switch era falso

Atualização: o site Nintendo Life, fonte desta notícia indicada no texto, confirmou que era uma montagem. A informação abaixo não procede mais.


Quem diria que 2017 ia começar assim? O site Nintendo Life revelou uma notícia que interessa aos fãs da Nintendo. Antes mesmo do evento em 12 de janeiro, a loja australiana EBGames teria exposto, por alguns minutos, as caixinhas de três games do Nintendo Switch (Mario Kart 8, The Legend of Zelda: Breath of the Wild e The Elder Scrolls V: Skyrim) e os seus preços. No que diz respeito aos títulos, eles viriam em caixas quadradas, com um plástico transparente na cor vermelha.

Detalhe: na capinha de MK8, são anunciados 10 novos personagens, 24 pistas a mais (ou seja, 6 copas extras), além de um “modo batalha completamente novo” (seria o retorno do modo Battle como conhecíamos?). Provavelmente King Boo estaria presente, já que foi visto no trailer de anúncio do Switch.

Zoom na caixinha do Mario Kart 8 Switch

Novo modo batalha, 24 pistas extras e 10 novos personagens!

Enquanto o Switch propriamente dito está com um preço placeholder – isto é, não oficial ainda – de 999 dólares australianos (o que equivale a R$ 2.355 ou US$ 722), os games e o controle Pro custariam 119 dólares australianos (R$ 280 ou US$ 86). Esperamos que também sejam não oficiais, já que jogos em lançamento costumam sair por um pouco menos.

Veja abaixo a print, cortesia do Nintendo Life.

3 games do Switch em destaque, mais o console e o controle Pro

Será que foi mesmo acidente?

Super Mario Run: decepcionante ou injustiçado?

Desde que foi lançado para o iOS na semana passada, Super Mario Run tem sido comparado a Pokémon GO de uma forma nada elogiosa. Uma parcela considerável da crítica especializada – e também do público – acredita que o game mobile da Nintendo não vai durar uma longa temporada e dificilmente sobreviverá às primeiras semanas de hype. Para usar uma expressão bem brasileira, ele é visto como “fogo de palha”. Mas esta não é a maior reclamação dos jogadores sobre o runner que foi maciçamente propagandeado pela gigante japonesa e ganhou até destaque no programa do comediante norte-americano Jimmy Fallon. O preço cobrado – US$ 10, o equivalente a R$ 33 na cotação atual – desagradou para valer e teve impacto negativo nas ações da Nintendo, que sofreram uma queda abrupta.

Mas, afinal de contas, Super Mario Run é realmente tão decepcionante assim ou está sendo injustiçado?

As avaliações do título revelam que o descontentamento não pode ser ignorado. No Metacritic, enquanto a nota da imprensa ficou em 77/100, os jogadores se mostraram impiedosos, dando reviews que resultaram na fraca pontuação de 5.5/10. Apesar disso, outro número não poderia ser omitido desta análise: Super Mario Run ultrapassou 40 milhões de downloads nos quatro primeiros dias, o que quebrou o recorde da App Store de número de downloads para aplicativos gratuitos.

Bem… Acontece que, como já foi dito aqui, o jogo não é realmente gratuito.

O download pode ser feito na App Store e, a partir do ano que vem, provavelmente até março, o game desembarca no Android. A grande questão é que somente três fases do primeiro mundo estão disponíveis gratuitamente. Para liberar todo o resto do conteúdo, o jogador precisa desembolar os US$ 10 já mencionados aqui. Ao todo, são seis mundos e cada um deles possui quatro fases que levam em média dois a três minutos para que o gamer chegue ao final. Façamos a conta mais otimista: 6 x 4 x 3 = 72 minutos.

Ou seja, com pouco mais de uma hora, um jogador casual torra seus R$ 33 e zera Super Mario Run. Talvez duas ou três horas, se a pessoa for realmente muito ruim e morrer com frequência – mas muito ruim mesmo, já que o título possui um nível baixíssimo de dificuldade. Se você for o perfil de jogador para qual o game acaba ao resgatar a princesa Peach, de fato, o custo-benefício deixa a desejar. Some isso ao fato de Super Mario Run exigir conexão com a internet e sugar os dados como um vampiro esfomeado e é fácil perceber o motivo da rejeição.

Dito isso tudo, aqui vai minha opinião: eu sou um defensor de Super Mario Run e pendo a achar que ele está sendo injustiçado. Não tanto, só um pouquinho. E por mais que eu seja fã assumido da Nintendo, as críticas fazem sentido.

Vamos, agora, às minhas considerações:

Além das mecânicas clássicas de um runner, existe o modo Corrida em que o jogador pode competir com outros amigos e pessoas do mundo inteiro. A Nintendo também deve ter absorvido alguma inspiração de simuladores como Animal Crossing e deu aos jogadores a possibilidade de criar e customizar seus próprios reinos, com casas, canos e cogumelos coloridos. O fator replayable está presente e não pode ser desconsiderado. Cada fase do modo Mundo de Super Mario Run possui cinco moedas rosas que desafiam o jogador a serem coletadas. Uma vez que isso é feito, a missão é conseguir cinco moedas roxas. E, por fim, cinco moedas pretas. A cada mudança de cor, maior a dificuldade.

Se você for um jogador mais casual, talvez nada disso funcione como atrativo ao ponto de justificar a quantia acima da média para um game de celular. Mas se o desafio de reunir todas as moedas especiais e desbloquear os personagens do jogo te motivam a continuar pulando nos inimigos e desviar de obstáculos, possivelmente as críticas vão soar exageradas. É o meu caso.

Tentar pegar todas as moedas especiais e vencer as corridas com outros jogadores para aumentar o reino transforma Super Mario Run e faz o jogo pular de um título de fácil digestão para um game que exige paciência e muita destreza. Adicione isso ao fato de que Mario é um dos personagens mais populares da indústria dos videogames. E, inegavelmente, Super Mario Run é visualmente bonito e diverte.

Olhando por este lado, talvez os dez dólares tenham sido um investimento até que justo.

Veja os games já confirmados para o Nintendo Switch

2017 marca o lançamento do famoso híbrido de console e portátil. O Nintendo Switch terá maiores detalhes revelados em um evento online no dia 12 de janeiro, mas não precisa esperar: o BitBlog consolidou todos os games já confirmados para a plataforma, além daqueles que estão só aguardando um empurrãozinho para se tornarem oficiais. Confira!

Confirmados

Link correndo de explosões

Breath of the Wild foi o primeiro game confirmado para o Switch

  • Just Dance 2017 (Ubisoft, março de 2017)
  • Project Sonic 2017 (Sega, 2017) – título provisório
  • Sacred Hero (Simplistic, 2018)
  • Seasons of Heaven (Any Arts, 2018)
  • Super Mario (Nintendo, sem data) – título provisório
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo, 2017)

Demonstrados, aguardando confirmação

Dragão com montanhas ao fundo

A Bethesda tá esperando algo inexplicável para confirmar Skyrim

  • Dragon Quest XI (Square Enix)
  • Mario Kart 8 (Nintendo) – título provisório
  • NBA 2K17 (2K Games)
  • Splatoon (Nintendo) – título provisório
  • The Elder Scrolls V: Skyrim (Bethesda)

Rumores “fortíssimos”

Robô (doll) voando o universo de Mira

Clássico do Wii U, Xenoblade Chronicles X poderá ter uma nova chance no Switch

  • Animal Crossing (Nintendo) – relançamento do GameCube
  • Dark Souls 3 (From Software)
  • Luigi’s Mansion (Nintendo) – relançamento do GameCube
  • Final Fantasy VII Remake (Square Enix)
  • Mario RPG: Invasion of the Rabbids (Ubisoft)
  • Mass Effect Andromeda (EA Games)
  • Sphinx and the Cursed Mummy (THQ Nordic)
  • Super Mario Maker (Nintendo) – relançamento do Wii U
  • Super Mario Sunshine (Nintendo) – relançamento do GameCube
  • Super Smash Bros. Melee (Nintendo) – relançamento do GameCube
  • The Binding of Isaac Afterbirth+ (Nicalis)
  • Xenoblade Chronicles X (Monolith) – relançamento do Wii U

Pokémon GO recebe Togepi e Pichu

A Niantic cumpriu o que prometeu na semana passada e fez um anúncio nesta segunda-feira (12) sobre novos monstrinhos em Pokémon GO Um update deve acontecer ainda hoje e, após ele, jogadores poderão conseguir um Togepi e Pichu após chocarem ovos. Ainda não sabemos detalhes sobre os golpes nem quais tipos de ovos podem chocar as criaturas novas. Novos Pokémon da região de Johto que apareceram nas versões Gold e Silver serão adicionados gradativamente ao longo dos próximos meses.

Para quem não lembra, Pichu é um Pokémon elétrico que é a pré-evolução do Pikachu. Já o Togepi é do tipo fada e, de fato, nasce a partir de um ovo tanto no anime como nas versões Gold e Silver. Este episódio, inclusive, está disponível no Netflix e é o mesmo em que Ash entra em contato com criaturas fossilizadas como o Aerodactyl.

Nintendo 3DS: veja 8 jogos que virão em 2017

Lançado em 2011, o Nintendo 3DS passará por um desafio: conviver no mercado ao lado do Nintendo Switch, híbrido de console e portátil. Por mais que a gigante japonesa afirme que um não substitui o outro, é evidente que o 3DS deve ficar para segundo plano. No entanto, não se desespere: 2017 ainda aguarda surpresas para o portátil mais vendido na atualidade. Veja abaixo algumas delas.

8) Poochy & Yoshi’s Wooly World

Data de lançamento: 3 de fevereiro de 2017

Yoshi pulando em cenário de lã

Yoshi ganha um companheiro no relançamento de Wooly World

Relançamento do game do Wii U, este terá todos os níveis do título original, além de fases bônus e o modo Time Attack. Um novo amiibo para o cãozinho Poochy permitirá a Yoshi montar no animal e percorrer as fases mais rapidamente.

7) Mario Sports Superstars

Data de lançamento: entre março e maio de 2017

Tela de entrada do jogo, listando as modalidades esportivas

5 em 1: tentador

Esqueça Super Mario Strikers, Mario Baseball, Mario Tennis e Mario Golf: a Nintendo resolveu juntar todas estas modalidades em um único título, além de adicionar corrida de cavalos. Com suporte a amiibo e competições online, Sports Superstars parece promissor…

6) Story of Seasons: Trio of Towns

Data de lançamento: 2017, a definir

Uma das vilas do game em destaque

A novidade da vez é a exploração de três vilarejos

Trio of Towns é o mais novo capítulo de Story of Seasons – o Harvest Moon que nós conhecemos, mas que foi obrigado a trocar de nome devido a disputas judiciais. O destaque do título é a exploração de três vilarejos: Lulucoco, com um clima meio tropical; Tsuyukusa, com fortes influências da cultura asiática; além de Wes, com a cara dos faroestes americanos.

5) Dragon Quest VIII: Journey of the Cursed King

Data de lançamento: 20 de janeiro de 2017

Protagonistas em cena de gameplay

Game deve ficar mais bonito no portátil que na versão original

A aventura do bandido Yangus, Jessica e Angelo está de volta. Lançada originalmente no PS2 – e recentemente no iOS e Android – Dragon Quest VIII deverá ter a sua versão definitiva no 3DS. Além de gráficos melhorados e trilhas orquestradas, o jogo terá uma área extra no mapa com novos desafios.

4) Even Oasis

Data de lançamento: 2017, a definir

Protagonista Tathu em combate

Este (a) é Tethu, herói/heroína em suas aventuras pelo deserto

Uma das surpresas da Nintendo para o 3DS, Ever Oasis é feito por um estúdio especialista na plataforma: a Grezzo é responsável pelas edições portáteis de Ocarina of Time e Majora’s Mask, além de um novo Zelda, o Tri-force Heroes. Não se sabe muito sobre o novo game, além de que o (a) protagonista poderá ser homem ou mulher, e que trata-se de uma aventura pelo deserto com combates durante o dia e a noite.

3) Pikmin for Nintendo 3DS

Data de lançamento: 2017, a definir

Cena de gameplay, com Captain Olimar e seu exército de Pikmin

Quem diria…

A Nintendo resolveu transformar Pikmin em um jogo de plataforma 2D. A mecânica da série de usar os monstrinhos Pikmin para resolver puzzles e liberar o acesso a novas áreas permanece, mas agora com outra perspectiva. Será que vai dar certo?

2) Yo-kai Watch 3

Data de lançamento: 2017, a definir

Arte promocional do jogo

O sucessor espiritual de Pokémon está de volta

Disponibilizado no Japão no meio de 2016, a terceira aventura da série deve chegar em breve ao Ocidente. A Level 5 caprichou e mudou a mecânica de batalha, além de incluir diversos minigames. O título foi bastante elogiado pela imprensa nipônica.

1) Monster Hunter Stories

Data de lançamento: 2017, a definir

Herói montado em dragão explorando uma densa floresta

Ambientes de MH Stories serão vastos e coloridos

Spin-off da cultuada franquia, Stories é um RPG de turnos com um enredo mais cativante. Com três tipos de ataques (Power, Speed e Technique), é preciso conhecer o adversário para vencer as batalhas. Homenagens a clássicos como The Legend of Zelda estarão presentes.

Arceus e Meloetta estão disponíveis em Pokémon X, Y, OR e AS

Já faz um tempo que Pokémon X, Y, Omega Ruby e Alpha Sapphire foram lançados para o 3DS. Mas a Nintendo continua suportando estes games com a distribuição de criaturas via Mystery Gift. E, dessa vez, é possível receber – gratuitamente – Arceus e Meloetta, mesmo estando no Brasil! Basta seguir os passos abaixo e depois ir a um Pokémon Center recuperar os “brindes”.

Ilustração com Arceus em destaque

Este é Arceus, o Pokémon deus que teria dado origem a todos os outros (!)

Arceus pode ser obtido através da opção de download com código. Basta digitar ARCEUS20 e pronto! O lendário Pokémon será transmitido. Ele vem no nível 100, com os golpes Judgement, Recover, Hyper Beam e Perish Song, além da habilidade Multitype, que muda o seu tipo de acordo com o item equipado.

Cena do anime com Meloetta em destaque

O mítico Meloetta em cena do anime

Meloetta vem na opção de download via internet (a convencional). A criatura também vem no nível 100, com os golpes Quick Attach, Confusion e Round, além da habilidade Serene Grace, que dobra a possibilidade de causar efeitos especiais. Por exemplo, Psychic teria a probabilidade de reduzir o Special Defense do oponente impulsionada de 10% para 20%.

Corre que ambos só estarão disponíveis até o final de dezembro. Lembrando que não vale para os títulos mais novos, Sun e Moon.

Pokémon Sun & Moon vai atrasar no Brasil

Uma greve de auditores fiscais foi apontada como o motivo pelo atraso de Pokémon Sun & Moon (3DS) no Brasil. O jogo seria lançado em dezembro, por absurdos R$ 230, pela distribuidora NC Games. Mas agora não há mais previsão. Isso se aplica apenas às edições físicas do game.

Quem mora em São Paulo, no entanto, encontrou rapidamente cópias do jogo no chamado “mercado cinza”, antes mesmo do lançamento. Importadoras já vendem o título por um valor inferior ao “oficial”. Acho que cabe uma reflexão: vale mesmo a pena lançar Sun & Moon, com atraso e por um preço tão inacreditável? Será mesmo a crise a grande responsável? Apenas para constar, o game custa 40 dólares nos EUA.