Nintendo 3DS

Mega Man e as tentativas frustradas de retorno aos games

Se você é fã da franquia Mega Man, provavelmente se sente deprimido com a falta de novidades desde 2010. O herói azulzinho da Capcom tentou voltar inúmeras vezes, mas os projetos dos jogos terminaram cancelados e, por isso, a série está “arquivada”. Conheça algumas dessas tentativas em mais um post da coluna No Limbo. Você vai ler sobre games de Mega Man que pouca gente ouviu falar – e, infelizmente, não deram certo.

Mega Man Legends 3 (3DS, 2010)

Com ambientação tridimensional, Legends é uma sub-série de Mega Man que nasceu no PS1 – bastante elogiada, por sinal. Legends 3 foi anunciado para o Nintendo 3DS em 2010, causando euforia entre os fãs.

Herói enfrentando chefe

Dadas as limitações técnicas do 3DS, até que este jogo de Mega Man parecia divertido

Uma versão preliminar do título, chamada Prototype Version, seria disponibilizada a tempo do lançamento do 3DS em 2011, contando com 10 missões. Dependendo das vendas, a edição completa do jogo seria lançada ou não. Eis que ambas foram canceladas, causando revolta na comunidade gamer. A Capcom alegou que houve pouco engajamento e interesse dos fãs com o projeto, algo questionado até hoje. Músicas, games indie e outras formas de protesto foram criadas tentando reverter a decisão da Capcom, o que não aconteceu.

Mega Man Universe (PS3 e Xbox 360, 2010)

Baseado no visual e mecânica de Mega Man 2, Universe seria uma espécie de Super Mario Maker da franquia. Os jogadores poderiam criar suas próprias fases e compartilhar com a comunidade. Versões 8-bit de outros personagens da empresa, como Ryu (Street Fighter) e Arthur (Ghosts ‘n Goblins) estariam disponíveis, além de outras novidades via DLC.

Cena de gameplay, com uma fase sendo construída

Até o Dr. Willy aparece pra dar palpite nas suas criações…

Poucos meses após a revelação do projeto, o criador de Mega Man, Keiji Inafune, deixou a Capcom. Nenhuma novidade sobre Mega Man Universe foi anunciada até que, no ano seguinte, a empresa cancelou o jogo alegando “inúmeras circunstâncias”.

Maverick Hunter (?, 2010)

Não confunda este aqui com Mega Man Maverick Hunter X do PSP. Maverick Hunter, apenas, seria um FPS (tiro em primeira pessoa) no universo do mascote, mas com uma ambientação sombria e futurística. A ideia era desenvolver uma trilogia, com X no papel principal para os dois primeiros jogos e Zero no terceiro e último.

Maverick Hunter ia ser o jogo de Mega Man mais diferente da franquia

Maverick Hunter ia ser o jogo de Mega Man mais diferente da franquia

Seguindo uma direção controversa para os padrões da franquia, Maverick Hunter foi cancelado seis meses após o seu anúncio. Mesmo com bons feedbacks de parte da crítica e na própria Capcom, o game nunca foi uma unanimidade e era considerado uma “aberração” para muita gente, se tornando algo que seria facilmente comparado a Halo, mas incapaz de competir à altura.

Bônus: um jogo feito pela comunidade, Mega Man 2.5D

Se por um lado a série está completamente abandonada, pelo menos os fãs mostram que não esqueceram o mascote. Mega Man 2.5D é prova disso: um projeto executado pela comunidade por oito anos e recém-lançado (download gratuito aqui).

Enquanto a Capcom não traz novidades, os fãs surgem com Mega Man 2.5D

Enquanto a Capcom não traz novidades, os fãs surgem com Mega Man 2.5D

Com um modo cooperativo e cenários que podem girar em 3D durante certos momentos, o jogo para Windows é uma solução alternativa pra quem tem saudade do clássico herói.

Mega Man Legacy Collection é para matar a saudade

Que tal aproveitar o hiato da série para conhecer mais sobre os primeiros games? Mega Man Legacy Collection foi lançado em 2015 e traz os seis primeiros jogos da franquia, do Mega Man 1 ao Mega Man 6. Eles foram desenvolvidos para o Nintendo 8-bit (nosso querido Nintendinho).

Megaman Legacy Collection vai te transportar para a década de 80!

Megaman Legacy Collection vai te transportar para a década de 80!

Embora muita gente sinta falta de uma coletânea mais completa, Mega Man Legacy Collection resgata a simplicidade dos jogos daquela época e deixa um gosto de nostalgia. Procurando na internet, dá para achar em algumas lojas.

Nintendo 3DS: veja 10 jogos que virão em 2017

Atualização (14/04): incluímos os principais games anunciados no último Nintendo Direct, em abril.


O Nintendo 3DS passará por um desafio: conviver no mercado ao lado do Nintendo Switch, híbrido de console e portátil. Por mais que a gigante japonesa afirme que um não substitui o outro, é evidente que o 3DS deve ficar para segundo plano. No entanto, não se desespere: o próximo ano ainda aguarda surpresas para o portátil mais vendido na atualidade. Veja abaixo alguns lançamentos de jogos em 2017 para o 3DS.

10) Yo-kai Watch 2: Psychic Specters

Data de lançamento: entre agosto e outubro de 2017

Arte promocional do jogo

O sucessor espiritual de Pokémon está de volta no Nintendo 3DS em 2017

De olho nas vendas, a Level 5 resolveu trazer uma edição melhorada de Yo-kai Watch 2, com novos Yo-kai, missões e áreas para explorar. Já a terceira aventura “oficial” da série pode desembarcar no 3DS em 2018.

9) RPG Maker Fes

Data de lançamento: 27 de junho de 2017

Heróis andando em fila em um vilarejo

Momento nostalgia

O retorno da série RPG Maker vai além da fórmula clássica ao permitir o compartilhamento de criações online. Leia mais sobre o jogo aqui.

8) Poochy & Yoshi’s Wooly World

Data de lançamento: 3 de fevereiro de 2017 (já disponível)

Yoshi pulando em cenário de lã

Yoshi ganha um companheiro no relançamento de Wooly World para o 3DS em 2017

Relançamento do game do Wii U, este possui todos os níveis do título original, além de fases bônus e o modo Time Attack. Um novo amiibo para o cãozinho Poochy permite a Yoshi montar no animal e percorrer as fases mais rapidamente.

7) Mario Sports Superstars

Data de lançamento: 24 de março de 2017 (já disponível)

Tela de entrada do jogo, listando as modalidades esportivas

5 em 1: tentador

Esqueça Super Mario Strikers, Mario Baseball, Mario Tennis e Mario Golf: a Nintendo resolveu juntar todas estas modalidades em um único título, além de adicionar corrida de cavalos, suporte a amiibo e competições online.

6) Story of Seasons: Trio of Towns

Data de lançamento: 28 de fevereiro de 2017 (já disponível)

Uma das vilas do game em destaque

A novidade da vez é a exploração de três vilarejos

Trio of Towns é o mais novo capítulo de Story of Seasons – o Harvest Moon que nós conhecemos, mas que foi obrigado a trocar de nome devido a disputas judiciais. O destaque do título é a exploração de três vilarejos: Lulucoco, com um clima meio tropical; Tsuyukusa, com fortes influências da cultura asiática; além de Wes, com a cara dos faroestes americanos.

5) Dragon Quest VIII: Journey of the Cursed King

Data de lançamento: 20 de janeiro de 2017 (já disponível)

Protagonistas em cena de gameplay

Game deve ficar mais bonito no Nintendo 3DS que na versão original

A aventura do bandido Yangus, Jessica e Angelo está de volta. Lançada originalmente no PS2 – e recentemente no iOS e Android – Dragon Quest VIII deverá ter a sua versão definitiva no 3DS. Além de gráficos melhorados e trilhas orquestradas, o jogo terá uma área extra no mapa com novos desafios.

4) Even Oasis

Data de lançamento: 23 de junho de 2017

Protagonista Tathu em combate

Este (a) é Tethu, herói/heroína em suas aventuras pelo deserto

Uma das surpresas da Nintendo para o 3DS, Ever Oasis é feito por um estúdio especialista na plataforma: a Grezzo é responsável pelas edições portáteis de Ocarina of Time e Majora’s Mask, além de um novo Zelda, o Tri-force Heroes. No papel principal, um homem ou uma mulher, em uma aventura pelo deserto com combates durante o dia e a noite.

3) Hey Pikmin!

Data de lançamento: 28 de julho de 2017

Cena de gameplay, com Captain Olimar e seu exército de Pikmin

Quem diria…

A Nintendo resolveu transformar Pikmin em um jogo de plataforma 2D. A mecânica da série de usar os monstrinhos Pikmin para resolver puzzles e liberar o acesso a novas áreas permanece, mas agora com outra perspectiva. Será que vai dar certo?

2) Miitopia

Data de lançamento: 2017

Avatares Mii com roupas de personagens da Nintendo, como Link (The Legend of Zelda) e Isabelle (Animal Crossing)

Pra que Chrono, Cloud ou Tidus? Joga um Mii nesse RPG e vê no que dá

Uma aventura RPG épica, mas com os famosos avatares da Nintendo no comando. Com uma campanha que dura 30 horas e já disponível no Japão, Miitopia chamou atenção pela excentricidade. Conta com parte do time que trabalhou em Tomodachi Life.

1) Monster Hunter Stories

Data de lançamento: entre agosto e outubro de 2017

Herói montado em dragão explorando uma densa floresta

Ambientes de MH Stories serão vastos e coloridos

Spin-off da cultuada franquia, Stories é um RPG de turnos com um enredo mais cativante. Com três tipos de ataques (Power, Speed e Technique), é preciso conhecer o adversário para vencer as batalhas. Homenagens a clássicos como The Legend of Zelda estarão presentes.

Arceus e Meloetta estão disponíveis em Pokémon X, Y, OR e AS

Já faz um tempo que Pokémon X, Y, Omega Ruby e Alpha Sapphire foram lançados para o 3DS. Mas a Nintendo continua suportando estes games com a distribuição de criaturas via Mystery Gift. E, dessa vez, é possível receber – gratuitamente – Arceus e Meloetta, mesmo estando no Brasil! Basta seguir os passos abaixo e depois ir a um Pokémon Center recuperar os “brindes”.

Ilustração com Arceus em destaque

Este é Arceus, o Pokémon deus que teria dado origem a todos os outros (!)

Arceus pode ser obtido através da opção de download com código. Basta digitar ARCEUS20 e pronto! O lendário Pokémon será transmitido. Ele vem no nível 100, com os golpes Judgement, Recover, Hyper Beam e Perish Song, além da habilidade Multitype, que muda o seu tipo de acordo com o item equipado.

Cena do anime com Meloetta em destaque

O mítico Meloetta em cena do anime

Meloetta vem na opção de download via internet (a convencional). A criatura também vem no nível 100, com os golpes Quick Attach, Confusion e Round, além da habilidade Serene Grace, que dobra a possibilidade de causar efeitos especiais. Por exemplo, Psychic teria a probabilidade de reduzir o Special Defense do oponente impulsionada de 10% para 20%.

Corre que ambos só estarão disponíveis até o final de dezembro. Lembrando que não vale para os títulos mais novos, Sun e Moon.

Pokémon Sun & Moon vai atrasar no Brasil

Uma greve de auditores fiscais foi apontada como o motivo pelo atraso de Pokémon Sun & Moon (3DS) no Brasil. O jogo seria lançado em dezembro, por absurdos R$ 230, pela distribuidora NC Games. Mas agora não há mais previsão. Isso se aplica apenas às edições físicas do game.

Quem mora em São Paulo, no entanto, encontrou rapidamente cópias do jogo no chamado “mercado cinza”, antes mesmo do lançamento. Importadoras já vendem o título por um valor inferior ao “oficial”. Acho que cabe uma reflexão: vale mesmo a pena lançar Sun & Moon, com atraso e por um preço tão inacreditável? Será mesmo a crise a grande responsável? Apenas para constar, o game custa 40 dólares nos EUA.

RPG Maker está de volta, dessa vez no 3DS

Se você é da chamada “geração Y”, provavelmente conheceu o RPG Maker. A ferramenta de criação de games teve seu auge na década de 90, tornando-se uma série bem sucedida. Lembro da época do colégio, quando eu criei um jogo com o pessoal da minha turma sendo os protagonistas, com direito até a aparições de alguns professores…

RPG Maker Fes é o retorno da série, desta vez no Nintendo 3DS. Confira algumas das novidades:

  • Com suporte a cartões SD, será possível ter até 16 criações ao mesmo tempo.
  • Os jogos que você cria estarão disponíveis gratuitamente para outras pessoas, mesmo se elas não tiverem o cartucho de Fes para 3DS.
  • Haverá um gerenciamento mais robusto de eventos: em determinados momentos, você poderá mudar os stats dos inimigos, além de adicionar skills especiais aos protagonistas ou até realizar mudanças nos cenários.

RPG Maker Fes chegou ao Japão em novembro de 2016, enquanto o lançamento ocidental será no final de 2017. Para mais detalhes, veja o site oficial.

Caixinha japonesa de Fes

Caixinha japonesa de Fes

via Gematsu

Ocarina of Time: 7 fatos curiosos sobre o Zelda mais épico de todos

Qual o melhor game da série The Legend of Zelda, na sua opinião? Particularmente, considero Wind Waker, mas eu sei que a maioria prefere Ocarina of Time: a aventura mais épica e, certamente, mais nostálgica da saga. Pensando nisso, a coluna Bastidores dessa semana traz algumas curiosidades do título, originalmente para N64 e que chegou posteriormente ao GameCube, Wii, 3DS e Wii U.

Teria visão em primeira pessoa

 

O vídeo acima mostra a primeira cena de Ocarina of Time revelada ao público, em 1995. Como podem perceber, o visual era muito diferente da versão final e não foi mostrada cena alguma de gameplay. Isso aconteceu devido à equipe ainda se encontrar dividida sobre a visão de jogo: primeira ou terceira pessoa? Shigeru Miyamoto, criador da série e produtor do game, defendia a perspectiva em primeira pessoa, pois com isso o foco seria nos ambientes e inimigos. Com Super Mario 64 entregue, o próprio Miyamoto voltou a focar no projeto e tomou uma decisão, convencido pelos demais. Ocarina of Time tinha que ser em terceira pessoa:

“Seria um desperdício total não mostrar Link na tela, já que ele é tão legal!”

O “controle ocarina”

Uma ocarina de verdade e um controle do Nintendo 64

Você concorda com a comparação?

Eiji Aonuma, um dos diretores do jogo, disse que a escolha da Ocarina como um elemento chave aconteceu, entre outros motivos, devido à semelhança do instrumento com o joystick do N64. Era a desculpa perfeita para poder implementar magias, um desejo antigo do time: mudar a temperatura e se teletransportar para lugares chave em Hyrule foram algumas das possibilidades entregues. Uma das partes mais difíceis, de acordo com o compositor Koji Kondo, foi criar melodias simples e viciantes com poucas notas, tocadas através do controle.

Abrindo o baú

Link adulto abrindo um baú

Uma das animações que mais deu trabalho, segundo Miyamoto

Durante o desenvolvimento, foi preciso modelar mais de 60 personagens. Apenas Link tinha mais de 1000 combinações diferentes de animações. No entanto, um momento marcante para a equipe foi desenvolver a cena em que Link abre um baú: algo bem comum, principalmente nas dungeons. O time não sabia como implementar exatamente os movimentos, prolongando a discussão por incríveis três anos, até que Miyamoto foi para o trabalho com um baú (literalmente) contendo uma espada e um escudo dentro. Após um workshop interno, chegou-se a um consenso sobre como seria a animação.

Link encontra… Star Fox?

 

Um dos pontos chave de Ocarina of Time é o travamento da mira através do botão Z. Este recurso, na visão dos diretores, era essencial para o jogo fazer sucesso. Afinal, era a transição de The Legend of Zelda para o universo 3D. Foram anos testando o recurso. Como forma de avaliar se estava funcionando bem, o time da Nintendo fazia testes com a nave Arwing (de Star Fox), em plena Kokiri Forest, voando e atirando na direção de Link. Veja o vídeo acima, onde hackers conseguiram reproduzir este ambiente, retirado da versão final.

Conseguindo a Triforce

 

No trailer acima, revelado em 1996, a decisão de usar a perspectiva em terceira pessoa já tinha sido tomada. No entanto, o universo de Ocarina of Time era gigantesco para a época e, com isso, o desenvolvimento demorou bastante. Vários recursos e cenas foram retiradas da versão final, alterando até a narrativa. No vídeo, surge Link obtendo a Triforce a partir de um baú. Não, isso não acontece no título, embora estivesse previsto no roteiro original. Foi o bastante para a internet (que começava a se popularizar), após o lançamento do título, alimentar a falsa informação de que a Triforce era um item capturável. Por anos, muita gente acreditou nisso…

Link zumbi

 

Hoje, é possível lançar jogos defeituosos e corrigi-los depois, com atualizações, via internet. Mas e em 1998? A saída era lançar versões corrigidas para substituir os cartuchos ainda à venda em lojas. Mesmo para a Nintendo, uma empresa com rígidos processos de qualidade, era praticamente impossível que um projeto da dimensão de Ocarina of Time não tivesse glitches bizarros. O N64 recebeu as edições 1.0, 1.1 e 1.2, mas nem mesmo a última foi suficiente para corrigir todos os erros encontrados pelos jogadores.

O vídeo acima mostra um glitch que ocorre até mesmo no relançamento para 3DS: Link se torna um zumbi “voador” e invencível caso uma sequência de comandos seja feita. Este é apenas um dos incontáveis probleminhas que o game tem. No entanto, nada que tire o brilho da grande aventura, eleita por muitos o melhor jogo de todos os tempos.

Link seria apenas um adulto

Link levantando a Master Sword

Cena épica do game

O desenvolvedor Toru Osawa afirmou que, na ideia original, não haveria viagem no tempo:

“Em uma forma jovem, a espada seria muito pequena, assim como o alcance dela. Portanto, (Link) estaria em uma terrível desvantagem, principalmente contra grandes inimigos.”

Tudo mudou quando Miyamoto pediu ao time para trabalhar em um Link mais jovem. Como conciliar ambas as formas (criança e adulto)? Osawa disse que a ideia de avançar ou voltar sete anos no tempo veio para resolver este impasse. A mudança foi importante, mexendo fortemente no enredo e exigindo um rebalanceamento da inteligência artificial.

3DS ganha sobrevida com Mario Maker, Pikmin e Yoshi

No Nintendo Direct especial desta quinta-feira, o 3DS recebeu sobrevida. Mesmo prestes a receber um sucessor, o portátil teve vários jogos novos revelados, alguns deles sendo versões de títulos para o Wii U. Confira os principais anúncios do Direct de hoje.

Comemoração de 30 anos de Zelda

Os quatro amiibos são parte da comemoração de 30 anos de The Legend of Zelda

Os quatro amiibos são parte da comemoração de 30 anos de The Legend of Zelda

Além de Skyward Sword (Wii) chegar ao Wii U nesta quinta-feira via eShop, vários amiibos da série foram revelados: um Link 8-bit, Link tocando a Ocarina of Time, Link de Wind Waker e Zelda (do mesmo jogo) serão disponibilizados em 2 de dezembro na América do Norte. Os quatro colecionáveis vão liberar recursos especiais em Breath of the Wild, o próximo grande game da franquia.

Poochy & Yoshi’s Woolly World

Yoshi está de volta

Yoshi está de volta

Yoshi’s Woolly World, do Wii U, fez até os mais machões se renderem ao mundo de lã do famoso dinossauro. Nesta edição, o cão Poochy terá destaque em novas fases especiais, sendo personagem jogável. Um amiibo do companheiro de Yoshi chegará às lojas junto com o jogo, em 3 de fevereiro de 2017.

Pikmin

Pikmin no 3DS???

Pikmin no 3DS???

Ninguém esperava que a curiosa franquia de estratégia desembarcaria no portátil da Nintendo. Neste game, que ainda não conta com um título definitivo, toda a ação vai acontecer em 2D, uma mudança drástica em relação aos anteriores. Será que vai funcionar? Pikmin chegará em meados de 2017. Além disso, o primeiro Pikmin foi disponibilizado – já nesta quinta-feira – digitalmente no Wii U.

Mario Sports Superstars

Mario jogando futebol... Mais uma vez

Mario jogando futebol… Mais uma vez

Cinco esportes em um. O bigodudo e sua turma vão disputar, em modos online e offline, partidas de baseball, tênis, golfe, corrida de cavalos e futebol. Será lançado entre março e maio de 2017.

Super Mario Maker for Nintendo 3DS

Caixa japonesa de Super Mario Maker no 3DS

Caixa japonesa de Super Mario Maker no 3DS

Possivelmente “o” anúncio da conferência. Embora não permita carregar suas próprias fases na internet, como funciona na versão do Wii U, Super Mario Maker no 3DS vai permitir o download de várias fases de seu antecessor. O foco nesta edição será no multiplayer local, permitindo que duas pessoas possam criar um estágio juntas. O game chega às lojas em 2 de dezembro.

Novidades de títulos já revelados

Mario Party: Star Rush vai eliminar, pela primeira vez na série, os turnos: agora, todo mundo joga ao mesmo tempo. Haverá sete modos. O título será compatível com a linha de amiibos Super Mario, além de permitir partidas multiplayer local com um único cartucho. Chega em 4 de novembro.

Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past terá suporte ao StreetPass, que vai liberar itens e dungeons especiais. Será lançado em 16 de setembro. Além disso, Dragon Quest VIII: Journey of the Cursed King desembarca no 3DS no início de 2017.