Nintendo

Nintendo na E3 traz novo Metroid; veja os anúncios da empresa

Em 2016, não houve uma pré-conferência da Nintendo na E3. O que existiu foi um evento online, o Nintendo Treehouse, onde se falou de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, Pokémon Sun & Moon, Paper Mario: Color Splash e jogos indie. Faltaram anúncios de cair o queixo. Sim, jogamos o novo Zelda na feira, mas era o único título jogável.

Mesmo sendo algo apenas online, sem o luxo e a grandiosidade de um palco com uma imensa platéia, o chamado Nintendo Spotlight E3 2017 olhou para a frente, com jogos já anunciados e outras surpresas para o Switch. Abaixo, veja um resumão, além de gameplays e entrevistas ao vivo que a Nintendo está realizando até quinta-feira! Lembrando que todos os anúncios abaixo foram para o Nintendo Switch.


Com FIFA 18 e Rocket League no Switch (este último, até então, uma surpresa), começa o evento.

Teaser de Xenoblade Chronicles 2 mostra que a série está regressando a uma abordagem mais linear, com um enredo mais profundo, após o gigantesco mundo aberto de Xenoblade Chronicles X (Wii U, 2015).

Novo Kirby! Com partidas cooperativas para até 4 pessoas, o jogo retoma o visual tradicional da série e desembarca no Switch em 2018.

Pokkén Tournament estará jogável na feira. E, acredite se quiser, mas na sequência um novo RPG de Pokémon é anunciado. Sim, para o Switch.

Um enorme número 4 surge na tela e a trilha introdutória de Metroid Prime surge. CLARO que é Metroid Prime 4! Sem cenas de gameplay, apenas com a confirmação, o jogo será lançado em 2018. A repercussão no Twitter foi gigantesca.

Novo Yoshi, com modo cooperativo para 2 pessoas, estará disponível no próximo ano. Lembra bastante Yoshi´s Wooly World, mas com parte da ação em 3D e com a possibilidade de alternar entre o cenário principal e o fundo dele, com o que a Nintendo chama de “flip”.

Fire Emblem Warriors, desenvolvido pela Koei Tecmo, tem gameplay bem interessante revelado.

Hora de falar de DLCs de The Legend of Zelda: Breath of the Wild. O primeiro, The Master Trials, tem os modos Trial of the Sword e Master Mode, além de armaduras e acessórios como a Majora’s Mask. Chega em julho por 20 dólares. O segundo, The Champion’s Ballad, tem personagens clássicos da série pelo mesmo preço, sendo esperado para o fim do ano.

Reggie Fils-Aime fala dos torneios durante a E3 de Splatoon 2, ARMS e Pokkén Tournament.

Novo trailer de Mario + Rabbids: Kingdom Battle, já revelado na conferência da Ubisoft. Na sequência, ficamos sabendo que Rocket League no Switch terá conteúdo exclusivo, além de partidas online com outras plataformas!

Em seguida, mais imagens do incrível Super Mario Odyssey, com data de lançamento revelada: 27 de outubro.

No término do evento, foi revelado um novo Metroid para o 3DS: Metroid Samus Returns.


Abaixo, veja a transmissão ao vivo do Nintendo Treehouse, com gameplays e entrevistas até quinta-feira. O evento já revelou um novo Metroid para o 3DS, Metroid Samus Returns, que é um remake de Metroid 2 (para o Game Boy clássico)!

E3 2017: Acompanhe as conferências ao vivo no BitBlog

A maior feira de games do mundo está chegando! A E3 2017 vem aí e o BitBlog, pelo segundo ano consecutivo, vai estar em Los Angeles para fazer uma transmissão via site, Twitter e Facebook (corre pra curtir a gente por lá!). No ano passado, nos desdobramos para fazer uma cobertura completa: entrevistas, vídeos ao vivo, avaliações de gameplay e bastidores. Nesse ano, vamos repetir a dose.

A feira propriamente dita vai acontecer entre 13 e 15 de junho. No entanto, antes disso teremos as conferências de imprensa das principais empresas, onde grandes revelações costumam acontecer. Fomos convidados para cobri-las in loco (diretamente de onde acontecem), ao vivo. Vamos estar nos eventos da EA, Bethesda, Ubisoft e PlayStation, além de transmitir com comentários o evento online da Nintendo. Veja abaixo o nosso calendário e fique ligado no BitBlog!

EA

  • Quando? sábado 10/06, começando às 16h (Brasília)
  • Onde? Hollywood Palladium
  • Transmissão do BitBlog? sim, in loco, com cobertura no site e Twitter
  • Ficar ligado em: os novos Star Wars e Need for Speed, Fifa on the Nintendo Switch

Repetindo 2016, a EA opta por não participar da E3 propriamente dita, tendo o seu próprio evento (EA Play) acontecendo na mesma semana. Como você viu em nosso vídeo de bastidores, transmitido ao vivo no Facebook, vários títulos ficam expostos para serem jogados, com áreas temáticas e distribuição de brindes (tivemos posts para Titanfall 2 e Battlefield 1). No ano passado, a conferência da empresa anunciou os games que todo mundo já esperava, mas surpreendeu ao falar dos múltiplos projetos de Star Wars que a empresa promete.

Para 2017, estamos de olho não apenas em Star Wars Battlefront II e o novo Need for Speed, mas também em outros dois Star Wars: o que está sendo desenvolvido pela Respawn (de Titanfall) e o da Visceral Games. A versão de Fifa para o Switch também promete chamar atenção, afinal, estamos curiosos para saber quais funcionalidades únicas o jogo terá no console da Nintendo. Espere também o retorno das tradicionais séries esportivas: Madden NFL 18 e Fifa 18.

Vamos transmitir ao vivo a conferência da EA aqui no site e em nosso Twitter a partir das 16h e, no mesmo dia, lançaremos conteúdo de bastidores em nossas redes sociais. Em seguida, teremos posts no site com nossas impressões sobre os próximos lançamentos.

Bethesda

  • Quando? segunda-feira 12/06, começando à meia-noite (Brasília, na virada do dia 11 pro dia 12)
  • Onde? LA Center Studios
  • Transmissão do BitBlog? sim, in loco, com cobertura no site e Twitter
  • Ficar ligado em: Fallout VR, novos The Evil Within e Wolfenstein (rumor)

Em 2017, vamos cobrir in loco – pela primeira vez – a conferência da Bethesda. Se por um lado , por outro, não temos certeza do que mais está por vir. No convite enviado a imprensa, a empresa colocou uma arte que remete um parque de diversões, fazendo menções a The Elder Scrolls, Doom, Quake, Fallout, Dishonored, Prey e dois projetos secretos.

Será que todas essas elogiadíssimas séries estarão presentes? Rumores apontam para a revelação de novos The Evil Within e Wolfenstein. No que diz respeito a Fallout, teremos Fallout VR (que provavelmente será jogável na feira). Sobre The Elder Scrolls, uma edição de Skyrim para o Switch poderá ser abordada. Mas e as outras? Só esperando pra descobrir.

Vamos transmitir ao vivo aqui no site e em nosso Twitter a partir da meia-noite. Mas fique ligado, é na virada do domingo 11 pra segunda-feira 12.

Ubisoft

  • Quando? segunda-feira 12/06, começando às 17h (Brasília)
  • Onde? Orpheum Theatre
  • Transmissão do BitBlog? sim, in loco, com cobertura no site e Twitter
  • Ficar ligado em: novo Assassin’s Creed, Mario + Rabbids e Far Cry 5

Em 2016, a conferência da Ubi foi bastante diversificada. Anunciou o primeiro game third-party do Switch, além de surpreender com uma nova franquia (Steep) e trazer mais das suas principais séries. No decorrer da feira, curtimos alguns dos destaques: For Honor, Steep e Eagle Flight VR.

O BitBlog foi convidado mais uma vez para cobrir o evento da publisher e, dessa vez, esperamos novamente algo bem variado. Sim, Just Dance 2018 vai vir, assim como novos The Crew e Far Cry (esse último tá visualmente arrasador) estarão presentes. Assassin’s Creed deve retornar com tudo: rumores apontam para Origins, uma aventura no Egito e Grécia. Conte ainda com Mario + Rabbids, crossover do mascote da Nintendo com os coelhos malucos para o Switch.

Iremos transmitir ao vivo aqui no site e em nosso Twitter a partir das 17h e, no decorrer da feira, traremos gameplay de alguns dos destaques!

PlayStation

  • Quando? segunda-feira 12/06, começando às 22h (Brasília)
  • Onde? The Shrine Auditorium & Expo Hall
  • Transmissão do BitBlog? sim, in loco, com cobertura no site e Twitter
  • Ficar ligado em: God of War, Death Stranding e Days Gone

Em 2016, enquanto brigávamos com o problema de Wi-Fi lá no The Shrine, testemunhamos a loucura coletiva que foi ver Hideo Kojima no palco, anunciando Death Stranding, entre outros anúncios. Foi tanta coisa boa que corremos na feira para jogar os principais destaques: Horizon Zero Dawn, Gran Turismo Sport (não teve post!), os não exclusivos Final Fantasy XV e Resident Evil VII, além de algumas surpresas do PS VR (Thumper, Batman Arkham VR, Wayward Sky, Psychounauts, Until Dawn: Rush of Blood e RIGS).

Será que, em 2017, a Sony vai ganhar a E3 de novo? É possível ter um evento pré-E3 tão bom quanto o do ano passado? Vai ser difícil, mas não vai faltar jogos. Vários anúncios de 2016 ainda estão por vir e devem ser relembrados (Detroit: Become Human, Days Gone, God of War, Death Stranding, o novo Spiderman), além de Final Fantasy VII Remake, que foi mencionado em 2015 e – desde então – ficou no limbo. Aguarde ainda uma tonelada de títulos para o PlayStation VR. Rumores indicam que um sucessor do PS Vita será oficializado, mas nós não acreditamos muito nisso.

Iremos transmitir ao vivo aqui no site e em nosso Twitter a partir das 22h e, no decorrer da feira, traremos gameplay de alguns dos destaques!

Nintendo

  • Quando? terça-feira 13/06, começando às 13h (Brasília)
  • Onde? evento online
  • Transmissão do BitBlog? sim, com cobertura no site e Twitter
  • Ficar ligado em: Super Mario Odyssey, Xenoblade Chronicles 2 e o novo projeto da Retro Studios

Em 2016, não houve uma pré-conferência da Nintendo na E3. O que existiu foi um evento online, o Nintendo Treehouse, onde se falou de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, Pokémon Sun & Moon, Paper Mario: Color Splash e jogos indie. Fizemos uma cobertura modesta no Twitter, com ficou um gosto amargo na boca. Faltam anúncios de cair o queixo. Sim, jogamos o novo Zelda na feira, mas era o único título jogável. Em meio ao fim de vida do Wii U e a resistência a anunciar o Switch naquele momento, realmente, não havia o que falar mais.

Felizmente, o Switch já saiu, está vendendo horrores (no bom sentido) e agora a empresa pode voltar ao formato que vinha apresentado nos anos anteriores. Mesmo sendo algo apenas online, sem o luxo e a grandiosidade de um palco com uma imensa platéia, o chamado Nintendo Spotlight E3 2017 vai olhar para a frente, com jogos já anunciados e outras surpresas para o Switch e 3DS. Claro que Super Mario Odyssey será o destaque, junto a Splatoon 2, ARMS e o aguardado Xenoblade Chronicles 2. Porém, os fãs esperam mesmo é pela revelação do projeto da Retro Studios, de Metroid Prime, que vem sendo guardado a sete chaves por, pelo menos, quatro anos. Um novo Metroid? Uma propriedade intelectual inédita? Que comecem as apostas.

Vamos transmitir o evento ao vivo em nosso site e Twitter a partir das 13h. No decorrer da feira, teremos vários posts com gameplay!

 

Veja documentário que revela bastidores da Nintendo nos anos 90

Não é fácil entrar na sede da Nintendo. Já tentamos em visita a Kyoto e ouvimos um sonoro “não”. O que você acharia de ver imagens da empresa em meados de 1994, no auge do Super Nintendo (ou Super Famicom, como conhecido entre os nipônicos)?

Um documentário alemão com legendas em inglês vem chamando atenção. A produção conta com Masayuki Uemura, um dos designers chefe do NES e SNES, além de um papo com o lendário Shigeru Miyamoto, criador de Mario, Donkey Kong, Zelda, Pikmin e outras franquias. O vídeo traz desde as origens da empresa até o sucesso “recente” de Super Mario All-Stars e do console 16-bit.

Acompanhe abaixo a produção de 10 minutos:

No Limbo: os joysticks beta de GameCube, PlayStation 3 e Xbox

Em nossa coluna No Limbo, costumamos falar de games que foram cancelados e que nunca poderemos jogar (pelo menos oficialmente). Dessa vez, resolvemos fazer diferente: falar de joysticks curiosos que, em algum momento, foram pensados pelas suas fabricantes, mas que não foram lançados. Conheça, neste post, como seriam os controles do GameCube, PlayStation 3 e do Xbox!

GameCube: um festival de ideias

Três protótipos do controle do GameCube mais a versão final

Da primeira versão (em cima à esquerda) até a final (embaixo à direita), o Cube foi um laboratório de joysticks

Pensado pela Nintendo como a forma de retomar a liderança da indústria, o GameCube patinou nas vendas, mas deixou um catálogo invejável de jogos. O processo de concepção do joystick demorou e passou por muita gente…

No primeiro esboço (no alto à esquerda), pela primeira vez os engenheiros da empresa agrupavam os botões C do controle do N64 em um novo direcional analógico. No entanto, a posição do mesmo, na parte de baixo, pareceu um tanto bizarra… Neste modelo, já era sinalizada a ideia de um botão de ação em destaque (o “A”, que neste protótipo tinha a cor vermelha), enquanto outros comandos (“B”, “X”, “Y”, em amarelo) eram relegados a uma função mais secundária, em tamanho menor.

A segunda iteração (no alto à direita) corrigiu o problema do novo analógico (“C”), dando uma posição de destaque. Os botões receberam as mesmas cores que tinham no joystick do N64. A versão seguinte (embaixo à esquerda) adicionou um direcional digital – algo que a Nintendo não queria mais incorporar em seu novo console, mas que estúdios third-party pediram desesperadamente, assim como a tecla “Z”, que foi posicionada no topo, próximo ao gatilho direito (“R”).

A edição final (embaixo à direita) priorizou o conforto: as ideias da iteração anterior foram mantidas, mas o joystick diminuiu de tamanho e recebeu um formato mais anatômico, de forma a receber bem qualquer tipo de mãos, já que a proposta do Cube era ter jogos para todas as idades. As cores dos comandos foram trocadas, deixando de lado a combinação do N64. Este foi um dos controles mais elogiados até hoje!

PS3: o controle que mais sofreu bully na história dos videogames

Protótipo (bumerange) e primeira versão oficial (Sixaxis) do joystick do PS3

O bumerangue (à esquerda) e a primeira versão oficial (à direita) dos joysticks

Revelado na E3 2005, o PS3 foi um verdadeiro monstro tecnológico à frente do seu tempo, e só não teve resultados comerciais melhores devido à sua arquitetura confusa. Mas o que chamou mais atenção no seu anúncio não foi o poder tecnológico absurdo, mas sim o joystick… Mesmo com os redesigns no controle do PS1, foi o PlayStation 3 o campeão de trapalhadas da Sony neste aspecto.

Conhecido como “boomerang”, o primeiro controle do PS3 tinha um formato bem duvidoso. O desenho arredondado implicava a perda da função rumble, devido à falta de espaço para o motor responsável pelas “tremidas”. Os gatilhos superiores ficariam em posições quase inalcançáveis. Foram tantas piadas na internet naquela época que a empresa, discretamente, apresentou na E3 seguinte o Sixaxis (à direita na imagem) como a versão final.

Sem rumble, porém mais parecido com os joysticks antecessores, o Sixaxis trazia acelerômetro, conectividade via Bluetooth e o padrão PlayStation de sempre. Foi substituído pelo visualmente similar DualShock 3, que mantinha todas as funções e ainda adicionava o rumble de volta.

Xbox: tentando chocar a sociedade

Esboços e a versão final do joystick do Xbox em 2001

Dos esboços até a primeira versão final, o controle do Xbox não deixou de ser bizarro

O Xbox original, de 2001, teve uma história bem curiosa e extravagante. O mesmo se aplicou ao joystick… A ideia era se inspirar no controle inovador do Dreamcast, mas algo não deu muito certo nos corredores da Microsoft: os esboços eram assustadores.

A ideia de ter um visor acoplável (semelhante ao VMU do Dreamcast) estava presente nos principais protótipos (na imagem, em cima), mas o desenho final (embaixo) terminou sem. No entanto, foi um dos maiores (e mais pesados) joysticks da história dos videogames. Os japoneses, por exemplo, massacraram o acessório, totalmente incompatível para mãos menores. A Microsoft terminou redesenhando o trambolho em uma nova iteração.


Quer conhecer jogos arquivados? Siga a nossa coluna No Limbo. Já falamos das tentativas frustradas de retorno de Mega Man, Halo para Nintendo DS, o Tomb Raider da Nintendo, o “clone Pokémon” da From Software, a sequência de Star Fox para SNES, Resident Evil 1.5 e 3.5, a adaptação cancelada de 007 Casino Royale para PS3 e 360, entre muitos outros!

New 2DS XL é anunciado e Nintendo quer evitar escassez

Após a escassez no lançamento do Switch e o quase raríssimo NES Classic, a Nintendo jura de pés juntos que o novo membro da família 3DS, o New 2DS XL, não vai sofrer do esmo problema.

Em conversa com o The Verge, o presidente da Nintendo of America, Reggie Fils-Aime, disse que a estimativa de demanda para o dispositivo foi “bem boa” e que a empresa acredita que “quem quiser comprar o portátil no lançamento norte-americano (28 de julho) terá grandes chances de conseguir“.

New 2DS XL aberto e fechado

Sim, o New 2DS XL é lindo

O New Nintendo 2DS XL pode até ter um nome estrambólico (eu prefiro chamar de “nova versão da torrada, digo, do 2DS”). Mas é o típico hardware que eu me pergunto: como não lançaram isso antes? Usando o poder de processamento extra do New 3DS, o tamanho das telas do modelo XL e sem a habilidade de 3D estereoscópio, o resultado final é um dispositivo leve, bonito e com acesso a uma biblioteca de jogos invejável, por US$ 150.

Embora ainda tenhamos nossas dúvidas sobre a convivência com o Switch a longo prazo, o fato é que muitos games ainda estão por vir para a família 3DS neste ano, então tá tudo certo. Por enquanto.

 

Conheça Riqa, o Tomb Raider cancelado da Nintendo

Durante a E3 1999, a Nintendo revelava um título para o N64 que seria “o concorrente de Tomb Raider“. Desenvolvido pelo Bits Studios e publicado pela gigante japonesa, Riqa tinha – de fato – muitas inspirações nas aventuras de Lara Croft. No entanto, o game terminou cancelado. Conheça um pouco mais dessa história em mais um post da coluna No Limbo.

Cobrindo uma lacuna

Na década de 90, praticamente todo mundo tinha um Tomb Raider – Saturn, PlayStation, Windows, DOS, Mac, Dreamcast – exceto o Nintendo 64. Quando a Core começava a trabalhar em uma versão para o console 64-bit, os trabalhos na sequência já estavam avançados e o acordo de exclusividade com o PlayStation se tornava realidade. Logo, a Nintendo sabia: era preciso agir. Não ter um jogo no mesmo estilo seria uma oportunidade perdida.

Em 1997 o projeto para desenvolver um (a) rival para Lara Croft começava. A Bits Studios, com uma dúzia de games duvidosos em seu histórico, recebia a missão, sob acompanhamento da Nintendo. Na E3 1999, após rumores, Riqa era anunciado oficialmente, com direito a uma demonstração jogável. Mantendo uma perspectiva de ação em terceira pessoa, a protagonista – que leva o nome do jogo – deveria eliminar humanos e monstros na exploração de diversas áreas, além de solucionar puzzles.

A mídia recebeu bem a demo jogável e passou a nutrir expectativa pelo título, com data de lançamento prevista para o início de 2000. O que aconteceu no ano seguinte? Nada. Riqa não foi terminado a tempo e a chegada do GameCube se tornava iminente, exigindo um investimento considerável na atualização do projeto. Ao mesmo tempo, a “onda” de Lara Croft já estava esfriando e Tomb Raider não tinha mais o mesmo apelo. Em resumo, Riqa foi cancelado sem nenhum alarde pela empresa japonesa.

Cancelamento e mudança de rumo

Sem apoio da casa de Mario, o Bits Studios ativou seu plano de contingência: uma nova propriedade intelectual sob seu domínio, usando boa parte dos trabalhos feitos em Riqa. Assim surgiu Rogue Ops, um jogo de ação multiplataforma (Xbox, PS2, GameCube) publicado pela Kemco. Mecânicas inspiradas em Metal Gear Solid e Splinter Cell foram acrescentadas para fazer o título ficar mais apelativo ao público norte-americano, mas a reação foi morna e não houve sequências.

Em 2017, no entanto, um fã de games beta teve acesso à versão não-concluída de Riqa e postou os primeiros 15 minutos do título no YouTube – este é o vídeo que você pode ver acima no post. Abaixo, veja como ficou Rogue Ops, o “sucessor espiritual”, e faça as suas comparações! Quer conhecer mais jogos arquivados? Siga a nossa coluna No Limbo. Já falamos das tentativas frustradas de retorno de Mega Man, Halo para Nintendo DS, o “clone Pokémon” da From Software, a sequência de Star Fox para SNES, Resident Evil 1.5 e 3.5, a adaptação cancelada de 007 Casino Royale para PS3 e 360, entre muitos outros!

 

 

Super Mario Run não trouxe lucros satisfatórios para a Nintendo

Sim, nós gostamos de Super Mario Run, a estreia do mascote no iOS e Android. Mas o modelo bizarro de monetização (trial gratuito, 10 dólares para liberar o resto) causou revolta na comunidade gamer. Isso impactou na avaliação do jogo na App Store, inclusive. Agora, com a chegada ao Android, a Nintendo aumentou o conteúdo da edição gratuita, mas ainda não conseguiu fugir das críticas.

Super Mario Run não é o número 1 da Nintendo no iOS?!

Em conversa com o Nikkei, o presidente da Nintendo, Tatsumi Kimishima, revelou que o título “não alcançou as expectativas (de lucro)”. Enquanto isso, Fire Emblem Heroes adotou um modelo freemium (grátis para jogar, com itens especiais pagos) e se tornou o título mobile mais rentável da empresa. Ainda assim, um executivo afirmou ao Nikkei que a casa de Mario ainda não acredita completamente nesta forma de monetização e insistirá em Super Mario Run do jeito que é hoje.

Telas do game: mapa, conclusão de fase e gameplay em mansão assombrada

Super Mario Run: um game bem interessante, mas que sofreu com uma péssima estratégia de marketing e monetização

Se a chegada do jogo ao Android vai mudar a situação, nós não sabemos. Mas Nintendo, vem cá: deixa de ser teimosa!