Nintendo

Nintendo Switch: vendas superam expectativas de analistas

Lançado nos principais mercados em 3 de março, o Nintendo Switch teve seus primeiros dados de vendagem revelados.

No Japão, a revista Famitsu antecipou que o console híbrido superou 330 mil unidades em seus dois primeiros dias nas prateleiras. O título número 1 – como era de se esperar – foi The Legend of Zelda: Breath of the Wild, que ficou na casa de 193 mil unidades vendidas em edição física. Com o melhor lineup de títulos para o lançamento, os japoneses superaram os números de estreia do Wii U (308 mil) e PS4 (322 mil), mas ficaram abaixo do Wii (371 mil).

Nos EUA, a situação parece ter sido ainda melhor, de acordo com o The New York Times. Em seus dois primeiros dias no mercado, o Switch teve a melhor estreia da história da Nintendo em termos de vendas de hardware (incluindo os portáteis). Até então, quem tinha esse posto era o Wii. O novo Zelda também foi o game com o lançamento de maior vendagem – de todos os tempos – para a empresa, considerando títulos stand-alone (isso é, jogos que não vêm em pacotes promocionais com hardware). A nova saga de Link teve números superiores até mesmo em relação a Super Mario 64 em seus primeiros dois dias.

No Reino Unido, também contabilizando a sexta-feira e o sábado do lançamento, o Switch alcançou mais de 80 mil unidades, o dobro do Wii U em 2012. No entanto, este indicador ainda está abaixo do PS4 (250 mil) e Xbox One em 2013 (150 mil), além do 3DS em 2011 (113 mil) e o Wii em 2006 (105 mil).

Com as boas notícias acima, a Nintendo teve um aumento significativo no valor de suas ações, 4%, deixando os investidores mais otimistas. Resta saber se o momento será mantido com os próximos lançamentos de software.

Super Bomberman R é o retorno da franquia no Nintendo Switch

Não há como negar que Zelda: Breath of the Wild continua sendo o centro das atenções do lançamento do Nintendo Switch. Mas o novo console da Big N chegou às lojas com outros games disponíveis em formato físico e digital. Um deles é o Super Bomberman R, que marca o retorno da franquia à indústria dos jogos eletrônicos. Além de um modo multiplayer que permite até oito jogadores competindo entre si, existe também o modo história, que oferece 50 fases e pode ser jogado no cooperativo com duas pessoas (incluindo o jogador principal).

Ainda vai demorar um pouquinho para eu colocar as mãos no Nintendo Switch, mas eu preciso contar que tenho um carinho especial por Bomberman. Não era exatamente uma das minhas franquias favoritas (alô, Sonic), só que quando eu era criança e passava uma temporada na casa dos meus primos que possuíam Super Nintendo, Bomberman era pedida certa.

O último título da série foi Bomberman Live: Battlefest, lançado para Xbox Live Arcade em dezembro de 2010. Vamos torcer para que o retorno tenha boa aceitação da crítica e dos gamers. Particularmente, eu preferia um visual mais colorido, mas com certeza daria uma chance a Super Bomberman R.

Gameplay de Super Bomberman R

 

Conheça a adaptação de Halo para DS que nunca foi lançada

Na decáda de 2000, não era raro encontrar jogos da Microsoft em portáteis da Nintendo. Propriedades intelectuais como Age of Empires e Blue Dragon recebiam adaptações para o DS, que vendia horrores naquela época. Uma franquia que quase seguiu o mesmo caminho foi Halo. Entenda essa história em mais um post da coluna No Limbo.

Tentando vender a ideia

Parece um sonho, como faz pra jogar?

Em meados de 2005, o estúdio n-Space terminava a versão DS de GoldenEye Rogue Agent, encomendada pela EA. O que fazer com a engine que tinha sido criada do zero e que parecia suportar tão bem FPS no portátil da Nintendo? Seria um desperdício não desenvolver mais algum projeto usando o motor. Foi aí que surgiu a ideia de criar um protótipo de Halo.

No ano anterior, Halo 2 desembarcava no Xbox e o público norte-americano, em especial, não poderia estar mais empolgado: as vendas foram enormes e o serviço online da plataforma, a Live, deslanchou de vez. Uma edição portátil de Halo chegando em seguida poderia capitalizar em cima da série. O n-Space resolveu criar um esboço por conta própria e apresentar à Bungie e à Microsoft, buscando receber o “ok” para seguirem adiante.

“Não”

A ideia parecia sensacional, mas não recebeu autorização. Logo, sem ter acesso à propriedade intelectual, o n-Space cancelou o game, tratado internamente como Halo DS. Mas ficar sem projetos não seria um problema para o pequeno estúdio que, devido à sua engine para FPS portáteis, recebeu incentivos da Activision para trazer cinco versões de Call of Duty para o Nintendo DS, além de uma adaptação do reboot de GoldenEye 007 (da Activision).

A revelação ao público

Foi apenas em 2007 que a internet descobriu Halo DS. Um editor do site IGN, Matt Casamassina, mostrou em vídeo um protótipo do game, que se passava na fase Zanzibar de Halo 2. A tela inferior podia ser usada para controlar o personagem ou usar armas secundárias (como granadas). Além de um modo campanha, existiam duas opções multiplayer (com um único cartucho e com vários deles).

Infelizmente, não existem planos para um Halo portátil no futuro. Só nos resta lamentar!

(créditos das imagens e vídeos: IGN)

Vídeo compara Zelda: Breath of the Wild no Switch e Wii U

Como vocês já devem saber, o Nintendo NX, quero dizer… o Nintendo Switch foi lançado nesta sexta-feira. O título de lançamento é The Legend of Zelda: Breath of the Wild, que tivemos o prazer de curtir um pouquinho durante a E3 2016. O game está tendo um hype imenso e as primeiras avaliações na crítica especializada são animadoras. Para se ter ideia, Breath of the Wild conseguiu nota 98/100 no Metacritic. O título está disponível para Wii U e Nintendo Switch. Abaixo, deixamos um vídeo publicado pela Eurogamer Portugal que mostra um comparativo entre as duas versões.

 

 

 

 

Microsoft e Sony parabenizam a Nintendo pelo Switch

Esta sexta-feira, 3 de março de 2017, passará para a história da indústria dos videogames como uma data especial. É o dia do lançamento do Nintendo Switch, que também chega às lojas com o aclamado Zelda: Breath of the Wild. Nós, do BitBlog, estamos superdivididos entre comprar a versão do game para o Wii U ou segurar a expectativa e juntar uma graninha para adquirir o novo console. Enquanto isso, vale parabenizar a Microsoft e a Sony pela postura de fair play e respeito à concorrente.

A Microsoft comemorou a data no Twitter com uma mensagem parabenizando a Nintendo:

Vários usuários do Twitter comentaram sobre a tuitada, que foi bem recebida.

A Sony também prestou duas homenagens na rede social. A primeira, elogiando o novo Zelda – que teve nota 98/100 no Metacritic – e fazendo referência ao exclusivo Horizon. A segunda mensagem é mais focada no lançamento do Switch:

 

Pokémon GO recebe 80 novos monstrinhos e itens

Como jogador de Pokémon GO, reconheço que tava difícil manter a motivação para seguir no game. A falta de novidades incomodava. Até que, nesta quarta-feira, a Niantic revelou a atualização mais ambiciosa do jogo!

Até 18 de fevereiro, Pokémon GO receberá uma série de novidades no iOS e Android. Confira abaixo:

  • Novos monstrinhos: 80 criaturas, incluindo os iniciais Chikorita, Cyndaquil e Totodile, serão liberadas para todo o mundo. Todas elas são da região de Johto e estrearam nos games Gold e Silver, para Game Boy Color.
  • Nova mecânica de batalha: ao encontrar um Pokémon selvagem, ele poderá te surpreender com novos movimentos. Escolher itens, como uma Poké Ball, ficará mais fácil, graças a um novo atalho na tela.
  • Novos itens de evolução: algumas das criaturas originais poderão evoluir para novas formas da segunda geração (Johto). Mas, para isso, será preciso usar itens especiais (Sun Stone, Moon Stone, etc), que poderão ser obtidos em PokéStops.
  • Novas berries: a Nanab Berry vai deixar monstrinhos selvagens mais lentos, enquanto a Pinap Berry vai dobrar a quantidade de candies obtidos se a próxima tentativa de captura der certo.
  • Opções de personalização: bonés, camisas e calças serão alguns dos acessórios personalizáveis. Tais itens serão vendidos na loja do game.

Abaixo, veja um vídeo mostrando algumas das novidades. Além delas, a Niantic confirmou que o recurso de batalhas entre jogadores vai chegar em breve, sem citar uma data específica.

Zelda: Breath of the Wild terá DLCs

A expectativa pelo revolucionário Nintendo Switch é grande. O videogame, um híbrido de console e portátil, chega às prateleiras no dia 3 de março junto com o título de lançamento The Legend of Zelda: Breath of the Wild. Além de ser o primeiro Zelda realmente em mundo aberto da franquia, ele trará uma novidade que divide os players: DLCs. A Nintendo vai comercializar dois pacotes com conteúdo adicional junto com um Expansion Pass que fornece itens a Link. A oferta sai por US$ 20 e os DLCs não estarão disponíveis na data do lançamento, mas ambos chegam ainda em 2017.