PlayStation 3

Mega Man e as tentativas frustradas de retorno aos games

Se você é fã da franquia Mega Man, provavelmente se sente deprimido com a falta de novidades desde 2010. O herói azulzinho da Capcom tentou voltar inúmeras vezes, mas os projetos dos jogos terminaram cancelados e, por isso, a série está “arquivada”. Conheça algumas dessas tentativas em mais um post da coluna No Limbo. Você vai ler sobre games de Mega Man que pouca gente ouviu falar – e, infelizmente, não deram certo.

Mega Man Legends 3 (3DS, 2010)

Com ambientação tridimensional, Legends é uma sub-série de Mega Man que nasceu no PS1 – bastante elogiada, por sinal. Legends 3 foi anunciado para o Nintendo 3DS em 2010, causando euforia entre os fãs.

Herói enfrentando chefe

Dadas as limitações técnicas do 3DS, até que este jogo de Mega Man parecia divertido

Uma versão preliminar do título, chamada Prototype Version, seria disponibilizada a tempo do lançamento do 3DS em 2011, contando com 10 missões. Dependendo das vendas, a edição completa do jogo seria lançada ou não. Eis que ambas foram canceladas, causando revolta na comunidade gamer. A Capcom alegou que houve pouco engajamento e interesse dos fãs com o projeto, algo questionado até hoje. Músicas, games indie e outras formas de protesto foram criadas tentando reverter a decisão da Capcom, o que não aconteceu.

Mega Man Universe (PS3 e Xbox 360, 2010)

Baseado no visual e mecânica de Mega Man 2, Universe seria uma espécie de Super Mario Maker da franquia. Os jogadores poderiam criar suas próprias fases e compartilhar com a comunidade. Versões 8-bit de outros personagens da empresa, como Ryu (Street Fighter) e Arthur (Ghosts ‘n Goblins) estariam disponíveis, além de outras novidades via DLC.

Cena de gameplay, com uma fase sendo construída

Até o Dr. Willy aparece pra dar palpite nas suas criações…

Poucos meses após a revelação do projeto, o criador de Mega Man, Keiji Inafune, deixou a Capcom. Nenhuma novidade sobre Mega Man Universe foi anunciada até que, no ano seguinte, a empresa cancelou o jogo alegando “inúmeras circunstâncias”.

Maverick Hunter (?, 2010)

Não confunda este aqui com Mega Man Maverick Hunter X do PSP. Maverick Hunter, apenas, seria um FPS (tiro em primeira pessoa) no universo do mascote, mas com uma ambientação sombria e futurística. A ideia era desenvolver uma trilogia, com X no papel principal para os dois primeiros jogos e Zero no terceiro e último.

Maverick Hunter ia ser o jogo de Mega Man mais diferente da franquia

Maverick Hunter ia ser o jogo de Mega Man mais diferente da franquia

Seguindo uma direção controversa para os padrões da franquia, Maverick Hunter foi cancelado seis meses após o seu anúncio. Mesmo com bons feedbacks de parte da crítica e na própria Capcom, o game nunca foi uma unanimidade e era considerado uma “aberração” para muita gente, se tornando algo que seria facilmente comparado a Halo, mas incapaz de competir à altura.

Bônus: um jogo feito pela comunidade, Mega Man 2.5D

Se por um lado a série está completamente abandonada, pelo menos os fãs mostram que não esqueceram o mascote. Mega Man 2.5D é prova disso: um projeto executado pela comunidade por oito anos e recém-lançado (download gratuito aqui).

Enquanto a Capcom não traz novidades, os fãs surgem com Mega Man 2.5D

Enquanto a Capcom não traz novidades, os fãs surgem com Mega Man 2.5D

Com um modo cooperativo e cenários que podem girar em 3D durante certos momentos, o jogo para Windows é uma solução alternativa pra quem tem saudade do clássico herói.

Mega Man Legacy Collection é para matar a saudade

Que tal aproveitar o hiato da série para conhecer mais sobre os primeiros games? Mega Man Legacy Collection foi lançado em 2015 e traz os seis primeiros jogos da franquia, do Mega Man 1 ao Mega Man 6. Eles foram desenvolvidos para o Nintendo 8-bit (nosso querido Nintendinho).

Megaman Legacy Collection vai te transportar para a década de 80!

Megaman Legacy Collection vai te transportar para a década de 80!

Embora muita gente sinta falta de uma coletânea mais completa, Mega Man Legacy Collection resgata a simplicidade dos jogos daquela época e deixa um gosto de nostalgia. Procurando na internet, dá para achar em algumas lojas.

Trailer de Persona 5 apresenta personagens da Velvet Room

Um dos melhores jogos da minha vida até aqui foi o Persona 4 Golden para o PS Vita. Nem preciso dizer como estou empolgado para o Persona 5 e feliz desde que a Atlus anunciou que traria ele também para o PS4, certo? O game será lançado mundialmente em 4 de abril como mais um exclusivo da Sony, desembarcando também no Playstation 3. Para aumentar o hype em cima do título, a Atlus soltou um vídeo baseado na Velvet Room que introduz Justine e Caroline, duas personagens que habitam este lugar misterioso e possuem personalidades diferentes – apesar da semelhança física.

Eu preciso dizer que só em ouvir Aria of the Soul eu já fico arrepiado. Para quem está boiando, é justamente a música que está presente em todos os games da franquia. Um trabalho incrível do compositor japonês Shoji Meguro, que também trabalhou na trilha sonora de Persona 5.

O jogo já foi lançado no Japão em setembro do ano passado e quase atingiu a nota máxima em um review da revista Famitsu, que classificou Persona 5 como 39/40. O periódico japonês é especializado na indústria dos videogames.

Novo trailer de Persona 5

Persona – Aria of The Soul

 

PS Plus: Jogos gratuitos para março de 2017

A Sony divulgou a lista dos jogos gratuitos da PS Plus para março de 2017:

  • Disc Jam, PS4
  • Tearaway Unfolded, PS4
  • Under Night: In-Birth, PS3
  • Earth Defense Force 2025, PS3
  • Lumo, PS Vita (cross-buy no PS4)
  • Severed, PS Vita

Confira, abaixo, o anúncio no blog do Playstation:


“Primeiro, Disc Jam, que é um cruzamento viciante entre air hockey e tênis. Os jogadores disputam para pegar e lançar um disco brilhante enquanto liberam habilidades poderosas e defendem sua área. O jogo ainda será lançado na PlayStation Store, mas estará disponível para todos os membros do PS Plus como parte de sua assinatura. É uma adição obrigatória para sua coleção!

Nós também temos o belo Tearaway Unfolded para PS4. Tearaway Unfolded é a reiteração expandida do jogo de PlayStation Vita premiado com o BAFTA Tearaway, no qual você é colocado em um mundo mágico de papel e com a tarefa de entregar uma mensagem secreta enquanto coleta modelos feitos de papel”

PES 2017 ganha edição gratuita para Windows e consoles

A Konami revelou Pro Evolution Soccer 2017 – Trial Edition. Sem limites de uso, é possível jogar o modo PES League (além de outras duas modalidades), com direito a nove times (incluindo o Corinthians e o Flamengo) e dois estádios (Camp Nou e o fictício Neu Sonne Arena). Esta versão de PES 2017 já está disponível para Windows, Xbox One, PS4, Xbox 360 e PS3.

Quem tiver a Trial Edition poderá, inclusive, participar do campeonato oficial PES League. As partidas de qualificação começam em dezembro e as finais acontecem em junho de 2017.

Bugs de Fifa 16 e 17 motivam paródia na internet

Games têm, por natureza, defeitos. Fifa pode até ter um histórico de cenas bizarras, mas isso não muda a nossa opinião (super positiva) sobre a série.

Mas já que é pra falar de bizarrices, o canal de Youtube F2Freestylers criou uma paródia com algumas das cenas mais inusitadas de Fifa 16 e 17 recriadas – usando atores reais. O resultado final você confere abaixo!

via UOL

Xbox 360 e PS3: veja 8 jogos que virão em 2017

Lançados em 2005 e 2006 (respectivamente), o Xbox 360 e o PlayStation 3 representaram uma das mais longas gerações da história dos videogames. Com sucessores no mercado há mais de três anos, o 360 e o PS3 – incrivelmente – ainda têm novidades por vir.

O BitBlog já tinha feito um post com os principais games de 2016 nos sistemas (e, antes disso, os de 2015). Dessa vez, estamos olhando para 2017. Mais uma vez, os dois consoles estão agonizando, mas não morreram!

8) Madden NFL 18 | Xbox 360 e PS3

Também para: Xbox One e PS4
Data de lançamento: agosto de 2017

Jogadores disputam partida de futebol americano

A EA já anunciou que Madden e Fifa terão jogos no PS3 e 360 até 2017. Portanto, esta deve ser a despedida da famosa franquia de futebol americano da geração passada. Como novidade, provavelmente apenas a atualização dos times em relação ao Madden NFL 17.

7) Fifa 18 | Xbox 360 e PS3

Também para: Xbox One, PS4, Windows e Nintendo Switch
Data de lançamento: setembro de 2017 (a confirmar)

Atacante entra na pequena área em partida de futebol de FIFA

O último Fifa para PS3 e 360. Assim como no caso de Madden NFL, espere uma mera atualização dos times.

6) #KILLALLZOMBIES | PS3

Também para: PS4 e Xbox One
Data de lançamento: 7 de março de 2017 (já disponível)

Cena de gameplay, com herói atirando em zumbis

Visual arcade traz uma dose de nostalgia

Com uma pegada PS1 / Saturn, #KILLALLZOMBIES é visto como um jogo viciante. Com modo cooperativo local para até 2 pessoas, promete horas e horas de partidas.

5) Rainbow Skies | PS3

Também para: PS4 e PS Vita
Data de lançamento: 2017, mês a definir

Cena gameplay de Rainbow Skies

Dos criadores do cultuado Rainbow Moon (2013), surge um sucessor espiritual. Rainbow Skies também é um RPG tático, com um longo enredo, mas que dessa vez dá um foco ainda maior ao desenvolvimento dos personagens.

4) Asdivine Hearts | PS3

Também para: PS4 e PS Vita
Data de lançamento: 10 de janeiro de 2017 (já disponível)

Cena de diálogo entre protagonistas

Com esse jeitão retrô, fica difícil não querer jogar

O primeiro RPG da Kemco para plataformas PlayStation é uma homenagem aos clássicos do gênero na era 16-bit. Em Asdivine Hearts, quatro heróis embarcam em uma jornada para reestabelecer a paz em seu mundo. O título possui cross-buy entre Vita, PS3 e PS4, 15 troféus a serem conquistados e mais de 40 horas de jogo.

3) Izle | Xbox 360 e PS3

Também para: Wii U, Xbox One, PS4 e Windows via Steam
Data de lançamento: 2017, a definir

Mundo aberto de Izle em destaque

Desenvolvido por veteranos da Ubisoft, este game de ação em 3D da Area Effect permitirá explorar e desenvolver ilhas flutuantes, personalizando (quase) tudo pela frente.

2) Guilty Gear Xrd Rev 2 | PS3

Também para: PS4, Windows e arcade
Data de lançamento: 26 de maio de 2017

Cena de gameplay

Visual do novo Guilty Gear é cheio de detalhes

Sequência de Guilty Gear Xrd: Revelator, o jogo promete trazer novos personagens (Baiken e Answer), episódios, técnicas, modo tutorial e melhorias nas partidas online. Quem tiver o original poderá atualizar por um preço reduzido.

1) Persona 5 | PS3

Também para: PS4
Data de lançamento: 4 de abril de 2017

Protagonista de Persona 5 em um dos calabouços do jogo

Para a Atlus, superar Persona 4 tornou-se um desafio. O título de PS2 e PS Vita tornou-se um dos RPGs mais bem avaliados da história dos games. Após capitalizar tanto no universo de Yu Narukami, Teddie (Kuma na versão japonesa) e companhia, com spin-offs de luta e até de dança, chegou a hora de incluir um novo episódio na franquia. Comparações serão inevitáveis. Mas, pelo que vimos até aqui de Persona 5, a subsdiária da Sega está fazendo um grande trabalho!


Previstos originalmente no post, porém cancelados:

Forgotten Memories: Alternate Realities | PS3

Já disponível para smartphones, esta versão melhorada chegaria ao PS3 e PS Vita, mas foi cancelada em fevereiro de 2017. O time acreditou que o jogo precisaria ser pensado “do zero”, uma adaptação não funcionaria bem. Logo, foi anunciada uma sequência, mas apenas para PS4, Xbox One e Windows. Sobre o Forgotten Memories original, trata-se de um título de terror que narra a busca por uma garota desaparecida. O game tem dubladores de Silent Hill 2 e tem grande inspiração na série da Konami.

Toukiden 2 | PS3

Para alguns, o Toukiden original seria uma mera cópia de Monster Hunter. Não foi o que aconteceu: o game foi um sucesso de crítica e vendeu o suficiente para assegurar uma sequência. No entanto, a Koei Tecmo resolveu trazer o título ao Ocidente apenas para PS4 e PS Vita, além de uma nova versão para Windows via Steam. Com isso, quem quiser jogar Toukiden 2 no PS3 precisará importar a edição asiática.

5 jogos prejudicados pelo hype

Todo ano é a mesma história. Um game “espetacular” surge em alguma feira (como a E3), os jogadores enlouquecem e, quando o título chega às lojas, a reação é morna. Pior que, muitas vezes, o jogo propriamente dito é bom, mas a expectativa atrapalha tudo… No Man’s Sky não está sozinho em nossa lista, que tenta explicar cada caso em mais uma edição da coluna Bastidores.

Watch Dogs

O protagonista Adam tentando neutralizar um alvo

O primeiro Watch Dogs é bem diferente da sequência

A inteligência artificial, em algumas situações, pode ser bem duvidosa. A falta de objetivos compromete o interesse em jogar até o fim. No Wii U, chega a ser executado a 18 frames por segundo em muitos momentos. Mas Watch Dogs não é, nem de longe, um game fraco. Talvez a revelação midiática na E3 2012 tenha prometido uma experiência “AAA” para um título que, na minha opinião, oscila entre o “regular” e o “bom”. Felizmente, a sequência está muito mais interessante, já estando inclusive em nossa wishlist.

No Man’s Sky

Nave voando no espaço

Hello Games, vocês brincaram com nossos sentimentos

O estúdio Hello Games não fez um trabalho legal ao divulgar o seu ambicioso projeto. A maior queixa da comunidade é em relação ao modo multiplayer online, que foi anunciado (com outras palavras) pelo programador Sean Murray e, dias antes do lançamento, negado. Além disso, o jovem sugeriu que os DLCs futuros seriam gratuitos, desmentindo a informação uma semana após. O conceito de explorar “incontáveis planetas” mostrou-se, para muitos, entediante, pois há poucas diferenças entre eles. Isso não quer dizer que o jogo é ruim, mas sim que a versão final é bem diferente do que pensávamos.

Final Fantasy XIII

"Elenco" de FFXIII

Cloud e Tidus, sentimos falta de vocês

Final Fantasy X e XII são fantásticos. O XI também é, mas por ter foco na experiência online, pode não ser o que os fãs mais fiéis da série esperavam. Logo, a expectativa para a estreia no PS3 e Xbox 360 não poderia ser diferente. Embora tenha vendido muito bem, recebendo avaliações positivas, houve uma parcela considerável de gente reclamando da linearidade de XIII, levando o presidente da Square Enix a dar declarações em defesa do jogo.

Perfect Dark Zero

Cena de tiroteio em Perfect Dark Zero

Joanna Dark, você merecia algo melhor

Rare, o que aconteceu com você? Depois de alguns movimentos questionáveis, culminando com a sua venda para a Microsoft (e resultando no cancelamento de inúmeros projetos), parece que o estúdio inglês ex-Nintendo não foi mais o mesmo. Perfect Dark Zero era uma oportunidade perfeita: a estreia da Rare no Xbox 360, com cinco anos de desenvolvimento e um orçamento altíssimo de publicidade. Quem esperava algo similar ao elogiado Perfect Dark original, para N64, se decepcionou: Zero é genérico em todos os sentidos, conta com um online problemático e já nasceu com gráficos e controles ultrapassados.

Sonic the Hedgehog (2006)

 

A Sega não aprende. Depois de Sonic X-treme (uma oportunidade perdida para o Saturn), a empresa tropeçou de novo com o Sonic de 2006. A estreia do mascote no PS3 e no Xbox 360 foi um verdadeiro fiasco, mesmo sendo divulgada como o renascimento da franquia: o estúdio Sonic Team ignorou vários bugs para lançar o título a tempo do Natal. Pelo trailer acima, dá para entender o motivo da frustração: controlar o mascote em alta velocidade, com visual em alta definição, por si só já gera expectativas…