Pokémon Go!

Afinal, quando vamos capturar Mew e Mewtwo no Pokémon GO?

Pokémon GO já não faz mais o sucesso estrondoso de seu lançamento. Depois de um começo arrasador, com 100 milhões de downloads em apenas um mês de existência, o game da Niantic não conseguiu reter boa parte dos jogadores, que começaram a abandonar o barco. O lançamento ainda recente da segunda geração conseguiu dar uma revigorada no jogo, mas também trouxe algumas discussões sobre o que falta nele. Entre as várias reivindicações – incluindo a possibilidade de trocar monstrinhos, uma nova mecânica nos ginásios e a adição de batalhas entre treinadores – há uma questão que pode estar perto de ser respondida: Afinal, quando Mew e Mewtwo chegam no Pokémon GO?

A resposta curta e grossa é que ninguém sabe ainda. Mas acontece que o presidente da Niantic, parceira da Nintendo e da The Pokémon Company no desenvolvimento do game, deu uma entrevista à edição alemã da revista Wired no início de março. Na ocasião, John Hanke soltou algumas informações preciosas sobre o que a companhia planeja para Pokémon GO em 2017.

Mew e Mewtwo virão com outros Pokémon lendários

John Hanke falou que Mew, Mewtwo, Articuno, Zapdos e Moltres poderão ser capturados em Pokémon GO ainda neste ano de 2017. Algumas fontes acreditam que esta atualização é esperada para o final do ano, enquanto outros sites especializados são mais otimistas e apostam no meio do ano. Enquanto isso, nenhum jogador vai encontrar, muito menos conseguir capturar esses monstrinhos. Houve até casos de alguns poucos sortudos que conseguiram um Articuno nos primeiros meses de lançamento do Pokémon GO. Vídeos começaram a aparecer na internet, porém a Niantic revelou que se tratava de um erro e removeu os lendários de todos os jogadores.

Capturar Mew e Mewtwo não será fácil

Um dos diretores da Niantic mencionou que certos Pokémon especiais devem oferecer uma experiência única no jogo. A declaração foi interpretada como um sinal de que Mew e Mewtwo não serão capturados pelas vias normais, mas devem exigir algum tipo de truque ou sorte, como é o caso do Ditto, que surge disfarçado. Outra pista interessante é que a masterball (masterbola) foi encontrada no código do jogo, embora ainda não tenha sido implementada oficialmente. Há especulações de que ela seria desbloqueada a partir do nível 40. Se isso for verdade e capturar Mew ou Mewtwo depender do item, a tarefa não será nada fácil.

Zapdos, Moltres e Articuno poderão ser capturados no Pokémon GO ainda em 2017

Zapdos, Moltres e Articuno poderão ser capturados no Pokémon GO ainda em 2017

Os stats dos Pokémon lendários

Como falamos anteriormente, a galera mais geek e com conhecimento de programação conseguiu extrair informações relevantes do código-fonte do jogo. Além de identificar a presença da masterball, a turma descobriu os possíveis stats dos Pokémon lendários. Mewtwo, por exemplo, teria o ataque mais forte de Pokémon GO. Entretanto, nada garante que a Niantic vá manter as coisas desse jeito. De qualquer forma, se bateu a curiosidade, confira abaixo:

Pokémon GO – Melhor ataque

#1 Mewtwo – 330
#2 Alakazam – 271
#3 Ho-Oh – 263
#4 Dragonite – 263
#5 Espeon – 261
#6 Gengar – 261
#7 Zapdos – 253
#8 Tyranitar – 251
#9 Moltres – 251
#10 Flareon – 246
#11 Raikou – 241
#12 Kingler – 240
#13 Pinsir – 238
#14 Gyarados – 237
#15 Scizor – 236
#16 Ursaring – 236
#17 Entei – 235
#18 Heracross 234
#19 Machamp 234
#20 Exeggutor 233
#21 Jolteon – 232
#22 Kadabra – 232
#23 Arcanine – 227
#24 Houndoom – 224
#25 Hitmonlee – 224

Pokémon GO – Melhor defesa

1# Shuckle – 396
#2 Steelix – 333
#3 Lugia – 323
#4 Cloyster – 323
#5 Ho-Oh – 301
#6 Onix – 288
#7 Mantine – 260
#8 Skarmory – 260
#9 Umbreon – 250
#10 Articuno – 249
#11 Forretress – 242
#12 Tentacruel – 237
#13 Suicune – 235
#14 Mr. Mime – 233
#15 Blissey – 229
#16 Golem – 229
#17 Omastar – 227
#18 Weezing – 221
#19 Hypno – 215
#20 Donphan – 214
#21 Kingler – 214
#22 Hitmontop – 214
#23 Tyranitar – 212
#24 Hitmonchan – 212
#25 Miltank – 211

Pokémon GO – Melhor HP

1# Blissey – 510
#2 Chansey – 500
#3 Wobbuffet – 380
#4 Snorlax – 320
#5 Wigglytuff – 280
#6 Vaporeon – 260
#7 Lapras – 260
#8 Lanturn – 250
#9 Entei – 230
#10 Jigglypuff – 230
#11 Mewtwo – 212
#12 Ho-Oh – 212
#13 Lugia – 212
#14 Rydon – 210
#15 Kangaskhan – 210
#16 Muk 210
#17 Tyranitar 200
#18 Celebi – 200
#19 Mew – 200
#20 Suicune – 200
#21 Piloswine – 200
#22 Noctowl – 200
#23 Dunsparce – 200
#24 Azumarill – 200
#25 Gyarados – 190

Pokémon GO – CP Máximo

#1 Mewtwo – 4760
#2 Ho-Oh – 4650
#3 Tyranitar – 3670
#4 Lugia – 3598
#5 Dragonite – 3581
#6 Entei – 3377
#7 Snorlax – 3355
#8 Raikou – 3349
#9 Zapdos – 3330
#10 Rhydon – 3300
#11 Gyarados – 3281
#12 Moltres – 3272
#13 Blissey – 3219
#14 Vaporeon – 3157
#15 Celebi – 3090
#16 Mew – 3090
#17 Donphan – 3022
#18 Espeon – 3000
#19 Lapras – 2980
#20 Heracross – 2938
#21 Articuno – 2933
#22 Golem – 2916
#23 Exeggutor – 2916
#24 Flareon – 2904
#25 Machamp – 2889

 

Pokémon GO recebe 80 novos monstrinhos e itens

Como jogador de Pokémon GO, reconheço que tava difícil manter a motivação para seguir no game. A falta de novidades incomodava. Até que, nesta quarta-feira, a Niantic revelou a atualização mais ambiciosa do jogo!

Até 18 de fevereiro, Pokémon GO receberá uma série de novidades no iOS e Android. Confira abaixo:

  • Novos monstrinhos: 80 criaturas, incluindo os iniciais Chikorita, Cyndaquil e Totodile, serão liberadas para todo o mundo. Todas elas são da região de Johto e estrearam nos games Gold e Silver, para Game Boy Color.
  • Nova mecânica de batalha: ao encontrar um Pokémon selvagem, ele poderá te surpreender com novos movimentos. Escolher itens, como uma Poké Ball, ficará mais fácil, graças a um novo atalho na tela.
  • Novos itens de evolução: algumas das criaturas originais poderão evoluir para novas formas da segunda geração (Johto). Mas, para isso, será preciso usar itens especiais (Sun Stone, Moon Stone, etc), que poderão ser obtidos em PokéStops.
  • Novas berries: a Nanab Berry vai deixar monstrinhos selvagens mais lentos, enquanto a Pinap Berry vai dobrar a quantidade de candies obtidos se a próxima tentativa de captura der certo.
  • Opções de personalização: bonés, camisas e calças serão alguns dos acessórios personalizáveis. Tais itens serão vendidos na loja do game.

Abaixo, veja um vídeo mostrando algumas das novidades. Além delas, a Niantic confirmou que o recurso de batalhas entre jogadores vai chegar em breve, sem citar uma data específica.

Pokémon GO recebe Togepi e Pichu

A Niantic cumpriu o que prometeu na semana passada e fez um anúncio nesta segunda-feira (12) sobre novos monstrinhos em Pokémon GO Um update deve acontecer ainda hoje e, após ele, jogadores poderão conseguir um Togepi e Pichu após chocarem ovos. Ainda não sabemos detalhes sobre os golpes nem quais tipos de ovos podem chocar as criaturas novas. Novos Pokémon da região de Johto que apareceram nas versões Gold e Silver serão adicionados gradativamente ao longo dos próximos meses.

Para quem não lembra, Pichu é um Pokémon elétrico que é a pré-evolução do Pikachu. Já o Togepi é do tipo fada e, de fato, nasce a partir de um ovo tanto no anime como nas versões Gold e Silver. Este episódio, inclusive, está disponível no Netflix e é o mesmo em que Ash entra em contato com criaturas fossilizadas como o Aerodactyl.

Pokémon GO vai receber monstros da 2ª geração

Após as recentes novidades de Pokémon GO, como o evento especial do Halloween e os bônus diários na captura de criaturas, parece que o game para iOS e Android ganhou uma sobrevida. O interesse da comunidade deve aumentar ainda mais com a chegada da segunda geração de monstrinhos, prevista para as próximas semanas.

Na última atualização do game, a Niantic incluiu no código do jogo as cem novas criaturas da geração Gold/Silver, de Chikorita a Celebi. Não demorou muito para hackers notarem a novidade. No entanto, ainda deve haver pelo menos mais um update para a novidade ser liberada para todos, visto que faltam informações de movimentos. Dessa vez, Ditto (da geração 1) poderá ser enfim liberado, pois os arquivos dele parecem estar completos – com direito inclusive ao golpe “Transform”!

A última grande atualização, que trouxe o Buddy System (que permite ao treinador escolher um Pokémon para acompanhá-lo e ganhar candies para o mesmo), foi introduzida no código do game em apenas uma semana antes da liberação. Portanto, existe uma grande expectativa que a segunda geração chegue ainda em novembro. É esperar pra ver!

Confirmado: Pokémon GO vai trazer Buddy System

Depois dos rumores, veio a confirmação da Niantic: a próxima atualização de Pokémon GO vai, finalmente, trazer o Buddy System. Com ele, os treinadores poderão escolher uma criatura favorita para acompanhá-los nas caçadas. Ao alcançar uma certa distância, candies extras são obtidas. Este recurso vai tornar mais fácil a evolução de alguns monstrinhos difíceis de capturar, o que consequentemente tornava difícil evoluí-los.

O estúdio não prometeu uma data para a atualização. No entanto, hackers que analisaram o código-fonte do jogo já descobriram que haverá um limite de candies por dia. Um único Pokémon poderá ser favorito por vez, embora o treinador possa trocá-lo a qualquer instante. Dependendo do monstrinho, ele aparecerá nos ombros do treinador, voando por perto ou caminhando junto. Algo bem no estilo de Pikachu em Pokémon Yellow.

Dragonite

Tava difícil conseguir um Dragonite. Quem sabe agora nossa sorte não muda

Acredito fortemente que este update vai trazer muita gente de volta ao game. Afinal, evoluir um Dratini é uma missão árdua – pelo menos aqui em Recife. Estamos esperando, Niantic.

Jogadores de Pokémon Go marcam encontro no Parque Dona Lindu

Mal se passou um mês de seu lançamento e Pokémon Go segue quebrando recordes da indústria de jogos para dispositivos móveis. De acordo com o Mashable, a estimativa é que o hit da Niantic – desenvolvido em parceria com a Nintendo e a The Pokémon Company – já tenha faturado US$ 200 milhões em todo o mundo. Agora que o game está disponível para os brasileiros, várias capitais do país estão sediando encontros.

Afinal de contas, além de ser um jogo social, precisamos admitir que caçar os Pokémons em grupo é mais seguro e diminui as chances da Equipe Rocket levar seu celular. No Recife, terra natal do BitBlog, já rolaram encontros no Marco Zero, no Parque da Jaqueira e na Praça de Casa Forte. Agora é a vez do Parque Dona Lindu, no bairro de Boa Viagem, receber um evento dedicado aos jogadores de Pokémon Go.

Pokemon Go - gameplay - 2

Data

Os gamers vão se reunir no dia 21 de agosto, um domingo, das 12h às 17h. Mais de 500 pessoas confirmaram interesse no evento criado no Facebook. De acordo com os organizadores, o local conta com sete PokéStops que serão abastecidas com Lure para atrair os monstrinhos e facilitar a captura. Se você não sabe do que estamos falando, confere esse rápido guia aqui.

Por que Pokémon Go faz tanto sucesso?

lançamento de Pokémon Go no Brasil continua sendo um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. O game, desenvolvido pela Niantic através de uma parceria com a Nintendo e a The Pokémon Company, divide as opiniões de muita gente. Odiado por uns e adorado por outros, o fato é que o título completou um mês de existência neste fim de semana e já alcançou a impressionante marca de 100 milhões de downloads nas lojas do Google e da Apple. Por isso, o BitBlog ouviu profissionais e pesquisadores do mercado de jogos eletrônicos para entender de onde vem o sucesso de Pokémon Go. Na sequência, também deixamos registrada a opinião de um dos editores do blog.

Comportamento digital

Luciano Meira – empreendedor na Joy Street e professor do Departamento de Psicologia da UFPE

O produto da Niantic, desenvolvedora do Pokémon Go, emerge na interseção e no timing certo de cinco caraterísticas importantes do envolvimento atual das pessoas com o mundo e do comportamento digital contemporâneo:

1) É game! Além disso, tem todas as características de um bom game, com balanceamento adequado entre diversão, obtenção de feedback e construção de vínculos com outras pessoas;

2) Faz uso de uma combinação de mecânicas clássicas de sucesso como “caça ao tesouro” e “coleção de grupos”;

3) Emprega com competência técnicas de realidade aumentada, através da qual os jogadores podem finalmente e literalmente ver e transformar o mundo físico através das telas de seus smartphones;

4) É móvel! O mundo todo é mobile e o sucesso de quase qualquer coisa digital hoje depende de sua capacidade de acompanhar os constantes movimentos migratórios dos indivíduos;

5) É social, equilibrando aspectos de colaboração e competição de maneira a manter as pessoas associadas em diálogo.

Público cativo

Breno Carvalho – coordenador do curso de Jogos Digitais da Unicap

Pokémon foi criado em 1995 e lançado para o Game Boy original um ano depois. Na época, ele fez grande sucesso, o que possibilitou a criação de outros produtos como cards, brinquedos, série de televisão, mangás e artefatos colecionáveis. Os monstrinhos ganharam fama quase comparada ao encanador Mario, também personagem icônico da Nintendo.

Passada uma década, a franquia celebrou o aniversário com o lançamento de novos jogos e estes venderam mais de 200 milhões de cópias. Em 2016, Pokémon Go chegou aos smartphones unindo realidade aumentada e geolocalização, o que mudou a maneira de jogar.

A Nintendo sempre entregou aos jogadores novas experiências de jogo e de uso de tecnologias. A realidade aumentada e a geolocalização já eram usadas em outros games, inclusive da própria Nintendo. Mas a diferença é que esses ingredientes não eram unidos a personagens tão famosos. Os Pokémons agora habitam o mundo real: estão na sua casa, no seu bairro, na sala de aula, nos programas de telejornais… Em todo lugar!

O que é mais interessante é como a Google e a Nintendo estão recebendo mídia espontânea e cativando não apenas pessoas, mas também empresas, já que o jogo possibilita negócios na vida real. Os gamers que ficavam jogando dentro de seus quartos agora fazem o mesmo nas ruas e até constroem novas amizades à medida em que exploram diferentes ambientes.

Produto cultural

David de Oliveira Lemes – Professor do curso de Jogos Digitais da PUC-SP e editor do GameReporter.

O primeiro ponto que explica o sucesso de Pokémon Go é a nostalgia para os mais velhos e a novidade para os mais novos. Aliado a isso, temos uma franquia de sucesso que é também um produto cultural.

Do ponto de vista de jogabillidade, a experiência de jogo é muito simples, limitando-se a itens colecionáveis e outras poucas ações. Contudo, a combinação de uma franquia de sucesso, com um game de coleta de itens geolocalizados e realidade aumentada mostrou-se eficiente. Os jogadores precisam viver a experiência do jogo em vez de apenas jogá-lo na tela do celular.

Por fim, não podemos esquecer da experiência social ao jogar Pokémon Go, que somada aos fatores citados anteriormente, compõe este game de sucesso.

Fator nostalgia

Thiago Neres – Editor do BitBlog e editor-assistente de Redes Sociais do Diario de Pernambuco

Pokémon Go não se trata de realidade aumentada ou geolocalização, mas de nostalgia. É florescendo este sentimento de nostalgia que Stranger Things conquista os assinantes do Netflix e Chaves se eterniza como um dos símbolos da televisão brasileira. A maior parte das críticas contra o game parte de pessoas que, durante sua infância, não vivenciaram o fenômeno Pokémon. Logo, é difícil para elas entenderem o carinho dos fãs – assim como eu vou ter dificuldade em perceber por que Chacrinha, que marcou toda uma geração, foi tão idolatrado.   

Pokémon aportou na televisão brasileira em uma época que animes se popularizavam por aqui e havia uma quantidade significativa de telespectadores órfãos da extinta Rede Manchete. Inclusive, o desenho japonês estreou no Brasil em 1999, mesmo ano em que a emissora encerrou as atividades. Existia uma espécie de “disputa” entre as crianças da época: uma turma preferia a Globo, com Angélica e Digimon. Outra escolhia Pokémon, apresentado por Eliana na Rede Record. Somado a essas competições infantis que a garotada adora, houve um investimento muito forte em marketing. A Elma Chips, por exemplo, enfiou cards de Pokémon nos salgadinhos e era possível “batalhar” com eles. Filmes de Pokémon lotavam as salas dos cinemas nacionais em períodos de férias. O Game Boy, que era o videogame da moda na época, era a plataforma responsável por acomodar a primeira geração de Pokémon – as versões Red e Blue. 

Pokémon Go vende a nostalgia, vende o resgate das lembranças felizes de um produto cultural que marcou as crianças da minha geração em um momento de nossas vidas em que não havia preocupação com contas a pagar. Era quando a maioria de nós se preocupava apenas com o boletim do colégio. Agora essa coisa toda volta revestida de tecnologia, na palma da mão, com elementos que estimulam a interação com os demais jogadores e a exploração do mundo ali fora do seu quarto. Essa geração, que também domina as redes sociais, conseguiu criar um hype tão grande em cima do jogo a ponto de despertar a curiosidade em gente de todas as idades.