Porto Digital

Recife recebe Global Game Jam de 29 a 31 de janeiro

Vem aí mais uma Global Game Jam em Recife. Para quem não conhece, o evento gratuito é aberto aos interessados em desenvolver jogos. Não apenas veteranos, mas também os curiosos, que nunca fizeram um game. Esta edição será parte do Recife Summer School, que acontece na Jump Brasil (Rua Capitão Lima, 420 – Santo Amaro), de 29 a 31 de janeiro. O IGDA Recife é responsável pela realização. Serão 48 horas seguidas de maratona, com direito a refeições, muito café e um espaço para dormir – dormir, inclusive, é extremamente recomendável. E sim, pode trazer seu colchão e travesseiro.

Um dos organizadores desta edição da GGJ, Leonardo Carvalho, aponta para a importância de envolver pessoas com perfis diferentes: artistas, programadores, game designers, sound designers, entre outros. “No entanto, mesmo sem experiência nessas áreas, ainda é possível contribuir, havendo iniciativa e disposição. Poderá ser feito qualquer tipo de game, inclusive de tabuleiro”. Ou seja: se você está fora da indústria, mas é um curioso, também é bem-vindo para a maratona, que começa às 19h da sexta-feira (29).

Entre as Jams organizadas pelo IGDA Recife, esta é a que teve mais inscritos até aqui – 101, para ser mais exato. Destes, 31 estão na fila de espera, já que são 70 vagas. Mas não precisa desanimar: Leonardo diz que é comum haver desistências, pois confirmará presença com cada participante nos próximos dias. Ainda dá para entrar na fila através da página no Eventick. A infraestrutura desta edição será bastante robusta, graças ao apoio dos patrocinadores.

GlobalGameJam-Recife-2015-2Global Game Jam é sinônimo de networking

Formação das equipes

O lema da GGJ é “inovação, experimentação e colaboração”. Leonardo destaca que “os participantes são incentivados a inovar, criando jogos que fujam de qualquer padrão”, além de proporcionar o networking. E quanto ao tamanho das equipes? “Se todos os 70 participantes quiserem fazer uma equipe gigante para trabalhar em um grande jogo, também é possível. No entanto, o mais convencional é termos times com 3 a 8 pessoas”.

Tenho uma dúvida, e agora?

Durante as 48 horas, certamente vão surgir dúvidas técnicas das equipes. Mas a GGJ estará preparada para ajudar. Tanto no sábado (30) quanto no domingo (31), do início da manhã até o final da tarde, haverá desenvolvedores experientes dispostos a ajudar os participantes. Além disso, durante todo o evento, um representante do IGDA Recife estará presente para oferecer apoio.

Networking

Leonardo acredita que a GGJ é o evento mais importante daqueles promovidos pela IGDA, pois o cenário local ainda falha bastante em networking. “No cenário de games no Recife, temos desde empresas com mais de 10 anos de experiência até desenvolvedores independentes que começaram há pouco tempo, mas ninguém se conhece. O mais importante, na Jam, não é chegar ao fim das 48 horas e ter um título pronto, mas conhecer pessoas e trocar experiências.”

IGDARecife-Workshop-2014Outros eventos, como workshops, fazem parte do calendário do IGDA Recife para 2016

Próximos eventos

O IGDA Recife promove diversos eventos. Em 2016, haverá 14 deles, sendo 11 com fins educacionais/instrutivos (palestras, workshops, post-mortems ou Game Jams) e 3 happy hours. Os eventos educacionais ocorrem mensalmente, de janeiro a novembro. Os happy hours são distribuídos ao longo do ano. O calendário do primeiro semestre da IGDA Recife será revelado durante a abertura da Global Game Jam. Ou seja, não perca a oportunidade de se engajar!


O site do IGDA Recife na Global Game Jam 2016 tem o patrocínio da Epic Games e Unreal Engine, BigHut Games, Manifesto Games, Raid Hut, Ikewai e São Braz. O apoio é do Porto Digital e Jump Brasil.

Confira a programação do Recife Summer School 2016

Estão abertas as inscrições para a 8ª edição do Recife Summer School, um festival de eventos que é realizado anualmente pelo Porto Digital, o parque tecnológico da capital pernambucana. A programação abarca palestras, workshops e debates nas áreas de tecnologia da informação e comunicação, economia criativa e sustentabilidade. Neste ano, ele acontece de 4 de janeiro a 4 de fevereiro. Clique aqui para ver mais informações no site oficial e se inscrever em algum curso.

PROGRAMAÇÃO

* A descrição das atividades do RSS é a oficial, fornecida pelo Porto Digital

Nuvem! E agora? Planejando de forma correta, carreira e projetos com Microsoft Innovation Center

Iremos abordar temas que são pertinentes para sua carreira e para as empresas, fique ligado:
Estou preparado para atuar no mercado de nuvem?
Posicionamento profissional com foco em nuvem é o caminho?
Como elaborar um plano de projeto para serviços em nuvem?
Qual momento certo para migrar para nuvem?
Nuvem publica, privada, híbrida, comunitária, o que isso tem haver comigo?

Realização: Microsoft Innovation Center
Instrutor: Vinicius Perrott do Microsoft Innovation Center
Data: 06/01
Horário de início: 19h
Carga horária: 2 horas de duração
Local: Jump Brasil
Investimento: 1Kg de alimento não perecível no ato da recepção
Contato: viniciusperrott@hotmail.com

Mind the Future: Palestra O FUTURO DAS COISAS

O Futuro das Coisas irá discutir o impacto da internet das coisas, da impressão 3D e da nanotecnologia em objetos do cotidiano. Já no Futuro das Cidades o foco é no espaço urbano: cidadãos conectados, arcologias, pink farms, carros autônomos. No Futuro da Cultura o objetivo é discutir como as mudanças promovidas por coisas, cidades e pessoas conectadas mudará a produção cultural, criará novas subculturas e expressões artísticas. Por fim, no workshop Prototipando o Futuro os participantes aprenderão como catalogar sinais, extrapolar ideias e criar cenários de futuros preferíveis.

Instrutor: Jacques Barcia
Realização: CICTEC – Porto Digital
Data: 07/01
Horário: 19h
Carga horária: 2 horas
Local: Jump Brasil (Rua Capitão Lima, 420)
Investimento: R$20 (Promoção adquirindo em pacote, veja no site!)

Nuvem lado a lado do Negócio com Microsoft Innovation Center
Nesta palestra serão apresentadas as características básicas da Nuvem, plataforma que chegou e está impactando tudo e a todos. E como a mesma pode ajudar o mercado e os profissionais de T.I. com seus recursos.

A mesma será apresentada por Diogo Bacelar especialista em infra-estrutura, Virtualização e Nuvem Privada Microsoft, o mesmo possui os títulos MTAC, MCT, MCSA, MCP, VCA e CLO-001.

Carga horária: 2 horas
Data: 08/01
Horário: 19h às 21h
Instrutor: Diogo Bacelar
Investimento: 1Kg de alimento não perecível no ato da recepção
Local: Jump Brasil
Contato: diogolimab@gmail.com

Desenvolvimento para iOS e Android com Titanium Mobile
Neste curso o aluno aprenderá a desenvolver aplicações móveis nativas, utilizando uma das linguagens mais conhecidas mundialmente, o JavaScript. Com o Titanium Mobile e seu framework Alloy, que permite o desenvolvimento utilizando o padrão MVC, onde é possível desenvolver aplicações Cross-Platform compartilhando 100% da regra de negócio e cerca de 80% da interface visual, sem deixar de explorar recursos exclusivos de cada plataforma.

O professor Eric Cavalcanti é Engenheiro de Software, atua na Joy Street como Engenheiro de Software, professor da Especialização em Tecnologias para Desenvolvimento de Aplicações Móveis do C.E.S.A.R, Mestre em Engenharia de Software. Possui o Titanium Certified App Developer (TCAD), integrante do grupo Titans da Appcelerator, possui 19 anos de experiência na área de TI, dedicados ao desenvolvimento de aplicações web, móveis e desktop.

Carga horária: 18 horas
Data: 11 a 15/01/2016
Horário: 18:30h às 22h
Instrutor: Eric Cavalcanti
Investimento: R$ 385,50
Local: CESAR EDU (Rua do Brum, 77 – Recife Antigo)
Contato: sdf@cesar.org.br

Responsive Web Design

Desenvolver aplicações para vários dispositivos é sem dúvida um grande desafio, pois os dispositivos têm características bem diferentes, como por exemplo, o tamanho da tela e a resolução. E muito se fala sobre implementação HTML5, CSS3 e o uso de Media Queries, mas o grande potencial do Responsive Web Design ainda é pouco falado e explorado. E neste curso teremos como grande diferencial, o processo de concepção e criação de interfaces que se adaptam aos mais diversos dispositivos, além da parte prática “mão no código”. Assim como conhecer a história do Responsive Web Design e as técnicas para desenvolver aplicações responsivas.

O professor Felipe de Albuquerque, atualmente trabalha no CESAR Recife, que é um dos Institutos de pesquisa e inovação mais reconhecidos e premiados do Brasil, onde participa de projetos relevantes e para clientes de grande porte, como a Samsung, Motorola, Coca-cola, Fiat e atualmente em projetos da HP. Front-End evangelista, divide o tempo dando cursos e palestras sobre o tema. Também faz parte do corpo docente do CESAR EDU, na pós graduação em “Design de interação para dispositivos moveis” onde leciona a cadeira sobre “Rich Internet Application” aplicado com HTML5, CSS3 e JavaScript, entre outras iniciativas acadêmicas e de mentoring.

Carga horária: 20 horas
Data: 11 a 15/01/2016
Horário: 18h às 22h
Instrutor: Felipe de Albuquerque
Investimento: R$ 400,00
Local: CESAR EDU (Rua do Brum, 77 – Recife Antigo)
Contato: sdf@cesar.org.br

Gestão Ágil de Projetos

O curso abordará o Gerenciamento Ágil de Projetos com uma maior ênfase nos valores e princípios dos Métodos Ágeis, utilizando como referência, o framework Scrum, um dos mais populares do mercado para implementação de práticas ágeis. O mesmo aumentará a transparência no trabalho realizado dentro dos projetos, oferecendo suporte para o aprimoramento contínuo, além de contribuir para manter o foco na entrega do maior valor de negócio.

O professor Ricardo Peters, se destaca como um facilitador quando o assunto é agilidade na prática, direto das trincheiras, ajudando equipes e líderes na transição para métodos ágeis através de sua experiência profissional e de seu conhecimento em Agile e Management 3.0. É Gerente de Projetos no centro de pesquisa mais inovador do Brasil, o CESAR (http://www.youtube.com/user/cesarRecife1) onde pratica sua paixão por ajudar equipes a alcançar todo seu potencial. É graduado em Comunicação Social, pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação, MBA em Gestão Empresarial e Mestrando em Engenharia de Software no CESAR.EDU.

Carga horária: 20 horas
Data: 11 – 15/01/2016
Horário: 18h às 22h
Instrutor: Ricardo Peters
Investimento: R$ 400,00
Local: CESAR EDU (Rua do Brum, 77 – Recife Antigo)
Contato: sdf@cesar.org.br

Pitch além dos slides
Apresentar um negócio em poucos minutos é mais que ter um ppt bonitão, num pitch o centro das atenções é você, meu caro. Durante 3 horas vamos discutir técnicas para que você faça um pitch impecável, ou seja, vamos trabalhar sua postura, comportamento, e tudo que compõe a parte fundamental naquelas poucos minutos, você!

Realização: SW Quality
Instrutor: Luiz Fernando Gomes
Data: 12/01
horário: 19h
Carga horária: 3 horas
Local: Jump Brasil
Investimento: R$50
Contato: luiz@swquality.com.br

Gerencia da Configuração

Ampliaremos e aprofundaremos os conhecimentos sobre Gerência de Configuração e de mudança para um público amplo. Com o entendimento correto dos principais conceitos e com o aprendizado proposto das melhores práticas utilizadas, o aluno poderá utilizar variadas técnicas apresentadas no curso para um melhor processo no desenvolvimento de projetos de Software. Aplicando as técnicas apropriadamente, poderá diminuir os riscos (retrabalhos e códigos sobrepostos, por exemplo) e obterá um maior controle no desenvolvimento dos produtos (artefatos) que forem gerados.

O professor Edson Jordão é Mestre formado pelo Mestrado Profissional em Engenharia de Software pelo CESAR.EDU. Atualmente é Engenheiro de Sistemas do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, desde 2008.

Carga horária: 10 horas
Data: 13,14 e 15/01/2016
Horário: 18h30 às 22h
Instrutor: Edson Jordão
Investimento: R$ 285,50
Local: CESAR EDU (Rua do Brum, 77 – Recife Antigo)
Contato: sdf@cesar.org.br

Product-Market Fit: Não adianta criar quadrados num mundo redondo

Criou um negócio, validou, conversou com potenciais clientes e lançou algo no mercado? Já parou para pensar como seu produto ou serviço tem sido visto pelo, agora, cliente? Encontrar um formato de solução que seja aderente aos anseios do mercado não é uma tarefa simples, tão pouco quando não se tem muito recursos e poucas pessoas. Em 3 horas vamos discutir técnicas de adequação de produtos ou serviços para que o mercado deseje sua solução como se não houvesse amanhã.

Realização: SW Quality
Instrutor: Luiz Fernando Gomes
Data: 13/01
Horário: 19h
Carga horária: 3 horas
Local: Jump Brasil
Investimento: R$50
Contato: luiz@swquality.com.br

Customer Development and Design Thinking, sim é possível

Tem uma idéia, mas não sabe como colocar no mercado? Tenha calma meu jovem. O caminho até o mercado não é longo, mas precisa ser bem feito. Em 3 horas vamos entender melhor essas idéias, identificar que mercado é atingido e como lançar seu produto tendo o cliente como norte. Este processo fica ainda mais empolgante quando usamos algumas ferramentas do design, você vai perceber que o sucesso de qualquer negócio está em se aproximar do cliente.

Realização: SW Quality
Instrutor: Luiz Fernando Gomes
Data: 14/01
Horário: 14h
Carga horária: 3 horas
Local: Jump Brasil
Investimento: R$50
Contato: luiz@swquality.com.br

Mind the Future: Palestra O FUTURO DA CULTURA

O Futuro das Coisas irá discutir o impacto da internet das coisas, da impressão 3D e da nanotecnologia em objetos do cotidiano. Já no Futuro das Cidades o foco é no espaço urbano: cidadãos conectados, arcologias, pink farms, carros autônomos. No Futuro da Cultura o objetivo é discutir como as mudanças promovidas por coisas, cidades e pessoas conectadas mudará a produção cultural, criará novas subculturas e expressões artísticas. Por fim, no workshop Prototipando o Futuro os participantes aprenderão como catalogar sinais, extrapolar ideias e criar cenários de futuros preferíveis.

Instrutor: Jacques Barcia
Realização: CICTEC – Porto Digital
Horário: 19h
Carga horária: 2 horas
Local: Jump Brasil (Rua Capitão Lima, 420)
Investimento: R$20 (Promoção adquirindo em pacote)

Snapchat: Além dos nudes

Sim, Snapchat para empresas!

Descompromissado, efêmero e instantâneo, o Snapchat é a rede social mais promissora do momento. Com 200 milhões de usuários ativos, o aplicativo é queridinho entre os Millennials que compartilham cerca de 760 milhões de fotos por dia, superando WhatsApp, Instagram e até o todo poderoso Facebook.

O Snap é um ambiente único, onde a urgência e intimidade do conteúdo oferecem oportunidades diárias para estreitar vínculos com os consumidores. Empresas como Red Bull, Dove, WWF e McDonald’s não perderam tempo e já contam com cases de sucesso que extrapolaram as barreiras do aplicativo.

Não fique atrás da concorrência e garanta agora sua presença! Venha ver que o Snapchat não é só brincadeira de adolescente e vai muito além dos nudes!

Instrutor: Duda Lima
Data: 16/01
Horário: 10h às 18h
Carga horária: 8 horas
Local: Jump Brasil
Contato: duda@bluepix.agency

Gerenciamento de Projetos com MS Project

Este curso tem como público alvo: Gerentes de Projetos, Analistas de Negócios, Engenheiros, Executivos, todo e qualquer profissional que se envolva em projetos.

Realização: Qualiti Educação e Treinamento
Data: 18, 20, 22, 25, 27 e 29/1/2016
Horário: 18h
Carga horária: 24 horas
Local: Qualiti Educação e Treinamento – Av. Marquês de Olinda, 126, 4o. andar. Recife Antigo. Edf. City Empresarial
Investimento: R$ 450
Contato: eduardo.neves@qualiti.com.br
Telefone: (81) 2137-1200

Futurismo: Abundância e Pensamento Exponencial

É possível criar um negócio Aeroespacial sem ser da NASA? O mercado financeiro vai mudar mais nos próximos 15 anos ou nos últimos 50? O que tem em comum em empresas que chegaram a valer mais de 1 bilhão em menos de 5 anos?

Realização: TEAR
Instrutor: Robertson Novelino
Data: 19 e 20/01
Horário: 19h
Carga horária: 6 horas (3 horas cada dia)
Local: Jump Brasil
Investimento: R$ 100 o ticket individual ou R$ 140 dois tickets
Contato: tearcolaborativo@gmail.com

Business Model Canvas, dando vida à Grécia antiga presa na sua parede

Tem um negócio, mas não faz ideia como organizar as coisas de forma clara para não perder o foco? É provável que você já tenha ouvido falar do CANVAS, talvez até tenha usado em algum momento da vida, mas o quão eficiente o CANVAS é no seu dia a dia? Ferramentas de modelagem tendem a ser repositório de coisa inútil, vamos das um fim nisso. O CANVAS pode [e deve] ser utilizado para dar uma visão clara do negócio, esse é nosso objetivo, vamos lhe dar todas as condições de tornar essa ferramenta fundamental!

Realização: SW Quality
Instrutor: Luiz Fernando Gomes
Data: 19/01
Horário: 14h
Carga horária: 3 horas
Local: Jump Brasil
Investimento: R$50
Contato: luiz@swquality.com.br

Scrum além do scrum, vamos fazer o nosso ágil funcional

Quanto tempo você precisa para colocar uma versão nova do seu produto ou serviço no ar? Quantas pessoas se envolvem nesse processo? E seus clientes, sabem quando terão algo em mãos para usar? Se você respondeu não para alguma dessas perguntas você precisa conhecer urgente os métodos ágeis para desenvolvimento de software! “Ah, é mais um curso de scrum? Relaxa, já li o livro, manjo tudo disso!”. Cuidado para não cair no canto da sereia, o scrum é uma ferramenta eficiente quando bem utilizado. Nas 3 horas entenderemos como o scrum pode, realmente, ser útil para nosso dia a dia, veremos também como adaptações bem pensada do scrum podem potencializar nossa operação. Lembre-se o objetivo do scrum é deixar de fazer sentido, vamos conversar e você descobrirá por que.

Realização: SW Quality
Instrutor: Luiz Fernando Gomes
Data: 20/01
Horário: 14h
Carga horária: 3 horas
Local: Jump Brasil
Investimento: R$50
Contato: luiz@swquality.com.br

Mind the Future: Palestra O FUTURO DAS CIDADES

O Futuro das Coisas irá discutir o impacto da internet das coisas, da impressão 3D e da nanotecnologia em objetos do cotidiano. Já no Futuro das Cidades o foco é no espaço urbano: cidadãos conectados, arcologias, pink farms, carros autônomos. No Futuro da Cultura o objetivo é discutir como as mudanças promovidas por coisas, cidades e pessoas conectadas mudará a produção cultural, criará novas subculturas e expressões artísticas. Por fim, no workshop Prototipando o Futuro os participantes aprenderão como catalogar sinais, extrapolar ideias e criar cenários de futuros preferíveis.

Instrutor: Jacques Barcia
Realização: CICTEC – Porto Digital
Data: 21/01
Horário: 19h
Carga horária: 2 hroas
Local: Jump Brasil (Rua Capitão Lima, 420)
Investimento: R$20 (Promoção adquirindo em pacote, veja no site!)

Oficina: CRIATIVIDADE PARA NÃO CRIATIVOS

A oficina irá trazer exposição de conceitos, atividades práticas e momentos de discussão que desmistificam a ideia de que a criatividade é para poucos. Seu público-alvo são estudantes e profissionais que tenham interesse na criatividade tanto como fim (economia Criativa) quanto como meio (processo e abordagem no cotidiano). Ao fim da oficina os participantes terão como produto final uma história, construída por eles durante a mesma. Além disto, irão absorver, refletir e aplicar ferramentas (como scamper, painel semântico e butterfly test) e conceitos (como a fórmula para inspiração e metódos de criativos profissionais) que eliminarão a barreira da falta de criatividade no seu cotidiano profissional e pessoal.

Realização: TEAR
Instrutor: Gabriel Sarmento
Data: 21/01
Horário: 14h
Carga horária: 5 horas
Local: Jump Brasil
Investimento: R$ 100 o ticket individual ou R$ 140 dois tickets
Contato: tearcolaborativo@gmail.com

Makeathon de Prototipagem Urbana

Maratona Maker de artefatos urbanos inteligentes através de técnicas e ferramentas de fabricação digital (ideação e mockup).

Em 2016, o Fab Lab Recife vai realizar muitas atividades com foco em prototipagem urbana e fabricação digital. Essa oficina tem como objetivo iniciarmos o processo de ideação de um artefato urbano para o Recife Antigo. Nossos projetos devem seguir alguns critérios como: promover o hibridismo físico + digital; deve ser totalmente documentado e aberto, ou seja, qualquer pessoa poderá replicá-lo em qualquer parte do mundo; e também deve ser acessível e replicável.

Nessa oficina vamos vivenciar a primeira das três etapas do processo de desenvolvimento do artefato, ideação e mockup. Na sequência, realizaremos outros encontros para: prototipação + testes; e implementação + festa. Porque com o Fab Lab Recife sempre tem que ter festa.

Voltando para a primeira etapa. Nessa oficina você conhecerá algumas propostas e ideias do Fab Lab Recife sobre o universo da fabricação digital e da inovação aberta; saberá o que pensamos sobre a ocupação de espaços públicos e urban prototyping; apresentaremos noções de eletrônica e arduíno; ensinaremos como preparar os arquivos para a fabricação digital; apresentaremos cases, técnicas de geração e seleção de alternativas; e, o mais legal do processo, colocaremos a mão na massa para produzir o mockup do artefato escolhido. No final, organizaremos toda a documentação para a etapa seguinte. Serão dois dias intensos e muito divertidos.

Vamos nessa? se liga aí que são poucas vagas.

Realização: Fablab Recife
Instrutora: Cris Lacerda, Franz Andrade e Michel Souza / Fab Lab Recife
Data: 23 e 24/1/2016
Horário: Sábado, das 9h às 19h, e domingo, das 14h às 19h
Carga horária: 12 horas
Local: Fablab Recife (Recife Antigo)
Investimento: R$ 90
Contato: redes@fablabrecife.com

Oficina de fabricação de banquinhos

Vê que massa! em um dia você poderá conhecer como funciona o Fab Lab Recife. Conhecer nossos equipamentos, os softwares mais utilizados para a modelagem de arquivos, entender que tipo de insumos utilizamos no dia-a-dia.

Além disso poderá produzir o seu banquinho de papelão e levar para casa. Nessa oficina conversaremos sobre os conceitos de design aberto e fabricação digital. Apresentaremos os princípios básicos de illustrator e Rhino 3D para produção digital além de técnicas de montagens.

Apresentaremos 03 opções de arquivos que serão personalizados pelos participantes. Ah! se você quiser também poderá criar o seu banquinho totalmente novo, aplicando as técnicas demonstradas.

Pra não esquecer, você poderá levar pra casa o seu banquinho de papelão.

Realização: Fablab Recife
Instrutor: Franz Andrade / Fab Lab Recife
Data: 23/01
Horário: 9h
Carga horária: 8 horas de duração
Local: Fablab Recife (Recife Antigo)
Investimento: R$ 180
Contato: redes@fablabrecife.com

Design Editorial

O curso Design Editorial tem por objetivo apresentar conteúdos de aprofundamento profissional para desenvolvimento de projeto editorial de livros, tanto nos suportes tradicionais quanto nas novas mídias digitais e multiplataformas.

O objetivo do curso é capacitar o aluno no entendimento dos processos de impressão gráfica para produção de livros e outros objetos editoriais.

Público-alvo: Profissionais ou estudantes que tenham alguma experiência com o mercado editorial na produção de livros e quaisquer objetos editoriais.

Conhecimento de softwares editoriais é um requisito importante (InDesign, Photoshop, Illustrator).

Realização: Curso oferecido pelo Programa de Qualificação do Porto Digital e ministrado por Fabio Silveira, do Istituto Europeo di Design (IED)

Investimento: R$ 160
Data: 25 a 29/01/2016
Horário: 18h
Carga horária total: 4 horas por dia (20 horas no total)
Local: Portomidia
Data limite para inscrição: 10/1/2016
Contato: qualificacao@portodigital.org
Telefone: (81) 3419-8051

Desenvolvendo games na Unreal Engine 4

Neste tutorial, você verá exatamente como construir um jogo na Unreal Engine 4 – completamente do zero – utilizando C++ e o Blueprint visual scripting system da Unreal Engine 4. Como Blueprints são facilmente aproveitados por todas as disciplinas do desenvolvimento de jogos, todos os artistas, designers e programadores são bem-vindos.

Cobriremos os tópicos: configuração do projeto, configuração de controles, importando assets no engine, criando materiais, criando classes de personagens, misturando animações, adicionando inimigos ao cenário e criação da interface gráfica (UI) do jogo. Este tutorial assume que você tem alguma experiência em desenvolvimento de jogos 3D, mas ainda não conhece a Unreal.

Instrutor: Paulo Souza do Epic Games
Carga horária: 5 horas
Data: 26/1
Horário: 13h30
Investimento: Gratuito com a doação de 1kg de alimentação
Contato: paulo.souza@epicgames.com

Coolhunting: identificando tendências e comportamentos de consumo

O coolhunter é o profissional que está atento as previsões futuras de tendências de moda e também as mudanças de comportamento do consumo. Este profissional está sempre observando a sociedade, suas mudanças, como se vestem, como falam, como interpretam o mundo. A metodologia de trabalho que o coolhunter utiliza é a método qualitativo. O objetivo é entender, a partir do contato direto com o produto de pesquisa, quais são aos fenômenos, perspectivas e essência do ser ou produto pesquisa. A ideia é combinar os dados pesquisados através de análises.

Objetivo do curso:

Desenvolver o olhar, o senso crítico, sensibilidade, a criatividade, estimulando a intuição e reflexão para desenvolver atividades de pesquisa na área de moda, e também na área de comportamento do consumo.

Público-alvo:

Este curso é para todos aqueles que querem expandir suas ferramentas de pesquisa. Curiosos da área de criação, incluindo designers, publicitários, jornalistas, cientistas sociais; também profissionais atuantes da economia criativa e inovação.

Realização: TEAR
Instrutora: Roberta Albertrim
Datas e horários:
21 de janeiro (das 19 às 22h)
23 de Janeiro (das 08h às 12h)
Carga horária: 7 horas
Local: The Impact Hub no Recife Antigo
Investimento: R$ 150
Contato: tearcolaborativo@gmail.com

Planejamento financeiro para empreendedores criativos

Todos os negócios têm um modelo particular e único de ser gerido.
Nos negócios criativos isso fica mais evidenciado e as finanças são uns dos maiores desafios para o empreendedor.

É necessário ser efetivo com os recursos financeiros para fazer o negócio crescer, entendo as particularidades e adaptando toda a gestão financeira para realidade do negócio.
Os negócios criativos não devem se adaptar as finanças tradicionais, mas sim fazer a gestão financeira se adequar ao negócio.

Este é o principal objetivo do curso, trazer os empreendedores criativos para uma novo entendimento da gestão financeira, utilizando-a como aliada para o crescimento.

Realização: TEAR
Instrutor: Sinval Xavier
Data: 27/1
Horário: 19h
Carga horária: 3 horas
Local: Jump Brasil
Investimento: R$ 100 o ticket individual ou R$ 140 dois tickets
Contato: tearcolaborativo@gmail.com

Mind the Future: Workshop PROTOTIPAGEM DO FUTURO

O Futuro das Coisas irá discutir o impacto da internet das coisas, da impressão 3D e da nanotecnologia em objetos do cotidiano. Já no Futuro das Cidades o foco é no espaço urbano: cidadãos conectados, arcologias, pink farms, carros autônomos. No Futuro da Cultura o objetivo é discutir como as mudanças promovidas por coisas, cidades e pessoas conectadas mudará a produção cultural, criará novas subculturas e expressões artísticas. Por fim, no workshop Prototipando o Futuro os participantes aprenderão como catalogar sinais, extrapolar ideias e criar cenários de futuros preferíveis.

Instrutor: Jacques Barcia
Realização: CICTEC – Porto Digital
Data: 28/01
Horário: 9h às 17h
Local: Jump Brasil (Rua Capitão Lima, 420)

Gobal Game Jam – Site IGDA Recife 2016

A Global Game Jam (GGJ) é o maior evento mundial de game jam (criação de jogos), acontecendo em centenas de locais físicos ao redor do mundo. Pense na GGJ como uma hackaton focada no desenvolvimento de jogos na qual todos os participantes devem seguir um mesmo tema e criar jogos em 48 horas.

No entanto a GGJ não se trata de uma competição. Um dos seus principais objetivos é juntar profissionais, estudantes, curiosos, entusiastas, acadêmicos e quaisquer outros interessados em um mesmo espaço para gerar experiências, contatos, trocas de conhecimentos, idéias inovadoras ou simplesmente diversão movida pela paixão por fazer jogos.

Realização: IGDA Recife
Local: Jump Brasil (Rua Capitão Lima, 420)
Data: 29 a 31/1
Carga horária: 48 horas
Horário de início: 18h na sexta-feira
Investimento: gratuito
Contato: leonardo@bighutgames.com

OpenStack Cloud Security Workshop

This workshop is for ICT professionals who wish to learn more about OpenStack cloud security. The Keynote talks will be given by a project leader and core developers of the OpenStack software, and they will describe the current and upcoming security features in OpenStack. This will be complemented by university researchers who are working on the next generation of cloud security features. A public demonstration of logging into a federated OpenStack cloud using your own Google Login ID will be available for attendees to try out.

Realização: OpenStack Security
Instrutores: Robert Clark, OpenStack Security Project Leader; Rodrigo Duarte, RedHat, Policy core developer.
Local: Jump Brasil (Rua Capitão Lima, 420)
Data: 01/02
Carga horária: 8 h
Horário: 9h
Investimento: R$80 single ticket, R$40 student price, R$400 book of 10 tickets

Cinefilia na web

Quem sai de casa hoje para ir à sala de cinema ver um filme (um filme de verdade e não uma montanha russa audiovisual)? Ou então que vai até uma locadora para alugar um obscuro filme tailandês? Poucos. Esta oficina traz o aluno para a realidade do universo da cinefilia praticada na Internet e suas interpenetrações artísticas. Nossa abordagem propõe um novo olhar para o ato de amar os filmes. É uma análise sobre toda uma geração que aprendeu a criticar, analisar e curtir filmes raros, de cinematografias desconhecidas, verdadeiras moscas brancas do circuito cinéfilo, pelos sites da web. São os “novos críticos”, que descobrem coisas antes impensadas sobre o cinema, mas que também operam um novo processo de análise fílmica, que desconhece a tela grande, o espaço aberto, a forma real do dispositivo cinematográfico. Estes são objeto de nosso estudo. Filmes abordados: Rebobine, por favor; Kung-fusão; A rede social; O Segundo círculo; Terra tranqüila; Mar Aberto.

Instrutor: Paolo Gregori
Data: 3 a 4/2
Horário: 14h
Carga horária: 3 horas por dia (total: 6 horas)
Local: Jump Brasil
Investimento: R$ 100
Contato: paologregori@outlook.com

Seis empresas do Porto Digital vão participar de workshops no Vale do Silício

O Porto Digital divulgou, na noite da última quinta-feira (19), a relação das empresas selecionadas para o programa Deep Dive. Através de uma parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), representantes delas irão passar dois meses no Vale do Silício, onde participarão de workshops e capacitações. Os empresários irão à Califórnia no dia 11 de janeiro do próximo ano. Lá, ficarão instalados no escritório da Apex-Brasil em São Francisco, onde também receberão duas horas de mentoria individual por semana. Com certeza será a oportunidade também de fazer networking com agentes do maior ecossistema de inovação e empreendedorismo do planeta.

VEJA AS SELECIONADAS

Bighut: estúdio de desenvolvimento de games, que produz jogos móveis grátis para o casual gamer dedicado. Seu foco é a criação de uma mid-core twist em jogos casuais, alguns dos quais já estão disponíveis nas lojas de aplicativo.

Inloco Media: rede de publicidade mobile que trabalha com tecnologia de geolocalização. Tem hoje mais de 30 milhões de usuários e mais de 2 bilhões de impressões mensais, apenas no Brasil. Seus principais clientes são: P&G, Samsung, Cyrela, Vivo, Unilever, Renault, LG e O Boticário.

Oncase: consultoria especializada em soluções de Business Analytics, Business Intelligence e Big Data, com ênfase nas edições Community e Enterprise da Plataforma Pentaho. Trabalha com extração, transformação e carga de dados estruturados e não estruturados, integrando com banco de dados para criação de relatórios.

Lotebox: plataforma online que possibilita agentes de cargas, transportadoras, trades e outras empresas a se conectarem para consolidar containers e economizarem tempo e dinheiro no frete de cargas.

Siliconreef: empresa de inovação em microeletrônicos. Através de uma combinação de tecnologias inovadoras e energias sustentáveis, sua missão é criar produtos e soluções capazes de otimizar a autosuficiência na gestão de energia sustentável, pelo desenvolvimento de circuitos integrados de alta performance. Desenvolve projetos customizáveis e serviços, inclusive estudos para a produção de novos chips.

Suati: desenvolvedora de softwares e serviços de TI que atendem às necessidades das empresas de energia, com excelência e domínio das tecnologias mais recentes de construção de software.

* A descrição dos empreendimentos é fornecida pelo Porto Digital

Startups e empresas maduras trocam experiências no Acontece Empreendedorismo

O Centro de Estudos Avançados do Recife (Cesar) realiza, nesta quinta-feira (19), o Acontece Empreendedorismo. O evento, com público estimado em 200 pessoas, promete um ambiente favorável para a troca de experiências entre startups e empresas maduras. De acordo com a assessoria de comunicação do instituto, o encontro será dividido em dois blocos de debates.

O primeiro bloco terá como tema O que acontece quando unimos academia, investidor e empreendedor na resolução de problemas complexos?. Integram o painel Ubirakitan Maciel, da NeuroUP; Rosana Fernandes, da Baita Aceleradora; e Yves Nogueira, da TYNNO Negócios e Participações.

O segundo bloco trará debates sobre o tema O que acontece quando as startups amadurecem e os empreendedores dão lugar a gestores? É possível continuar inovando?, e terá a participação de Ângelo Leite, da Serttel; Leo Marroig, da Xiaomi; e Mateus Silveira, da Fiat Chrysler Automobiles (FCA).

Os debates serão mediados por Giordano Cabral, da D’accord, e pelo executivo chefe de negócios do Cesar, Eduardo Peixoto. Ao final, Silvio Meira irá fechar o evento com uma provocação.

***

Os temas são muito oportunos e revelam preocupações reais tanto da geração jovem de empreendedores como dos empresários já consolidados no mercado que buscam a inovação. São questões discutidas exaustivamente em meetings e ajudam a amadurecer uma visão empreendedora. O evento vai trazer atores importantes do ecossistema local, mas se preocupando também em ouvir gente de fora.

E por que se bate tanto na tecla da  inovação? Silvio Meira tem uma frase maravilhosa sobre isso: “Inovação é sempre impermanente, imperfeita e incompleta”. Em outras palavras, é um movimento contínuo.

O Acontece Empreendedorismo também é a oportunidade de conhecer melhor a aceleradora CESAR.LABS, que embora não seja tão lembrada em Pernambuco como a Jump, recebe empreendimentos interessantes e conta com suporte de todo um background técnico e renomado do instituto. Inclusive, ela abriu inscrições para receber novas startups em agosto último e ainda está finalizando todas as etapas do processo seletivo.

Bom ficar de olho, inclusive, na própria NeuroUP, que marcou presença na última Campus Party Recife e traz uma solução que agrega hardware e software direcionada para o setor de saúde. Saiba mais no vídeo acima.

SERVIÇO

ACONTECE EMPREENDEDORISMO
Data: 19 de novembro de 2015
Hora: 14h às 19h
Local: Di Branco Recife Antigo, na Rua do Apolo, 199 – Bairro do Recife
Realização: Cesar
Inscrições: Clique aqui
Valor: R$ 80

ACOMPANHE NO TWITTER

Deixamos aqui um widget com o perfil oficial do Cesar no Twitter. Nossos leitores podem utilizar ele para acompanhar o que está acontecendo em tempo real no evento.


ENTREVISTA // MATEUS SILVEIRA

Mateus Silveira Fiat

O BitBlog conversou com Mateus Silveira, especialista em Future Insights na Fiat Chrysler Automobiles (FCA). Formado em design de produto pela Universidade Estadual de Minas Gerais, ele ingressou na companhia ainda estagiário, em 2000, e evoluiu sua carreira como designer até liderar o time de interiores automotivos. Hoje se aventura no universo de cenários futuros e inovação sustentável. Esteve diretamente envolvido no projeto do Fiat Mio, um carro conceitual da fabricante italiana concebido em uma plataforma digital aberta.

Um dos convidados do Acontece Empreendedorismo realizado pelo Cesar, Mateus Silveira falou sobre as barreiras burocráticas que o empreendedor brasileiro precisa enfrentar e disse que via no coworking uma estratégia para reduzir a taxa de mortalidade das pequenas empresas. Defendeu que a cultura de inovação das empresas não seja focada apenas em processos, mas nas pessoas. Sobre a indústria automotiva, frisou que a culpabilização do carro como grande vilão da mobilidade urbana deve ser superada e lembrou a necessidade da “combinação justa, inteligente e eficiente de todos os modais”. Confira abaixo:

Uma das queixas frequentes dos empreendedores brasileiros são os trâmites burocráticos para abrir uma empresa ou regularizar um imóvel, além da complicação tributária. Você enxerga alguma perspectiva de melhora nesses aspectos? De que forma o empreendedor pode se preparar para enfrentar melhor essas barreiras?

O Brasil é um grande mercado consumidor e com muitas possibilidades de negócios para serem exploradas. Para driblar as várias barreiras burocráticas, uma sugestão é aprender com iniciativas inovadoras que já estão dando certo e ver como esses empreendedores estão enfrentando essas situações. Recentemente, li a respeito de um grupo que formou o Dínamo, um movimento de articulação na área de políticas públicas focado no ecossistema de startups, que pretende também discutir como desatar os “nós” da burocracia. É uma iniciativa muito interessante para dinamizar esse ambiente de evolução das startups.

Complementando, avalio que há a cultura de subversão presente na nova economia. Para as startups, as dificuldades definem oportunidades. É nesse cenário, por meio de abordagens criativas, que se encontram novas saídas. O que eles geralmente fazem no dia a dia é “hackear” os sistemas existentes em buscas de novas possibilidades.

O Sebrae demonstra preocupação com a alta taxa de mortalidade das pequenas empresas brasileiras. A que você atribui isso? No caso das startups, que precisam inserir inovação no modelo de negócios e, consequentemente, pensar fora da caixa, podemos considerar natural uma alta taxa de mortalidade?

Uma startup é criada sob condições de extrema incerteza. Como são empresas que assumem o risco de inovar desde a concepção do negócio, enfrentam muitos desafios para se manterem no mercado. Avalio que a dificuldade das pequenas empresas brasileiras sobreviverem está relacionada à falta de planejamento e resiliência para vencer as burocracias e impostos enquanto o negócio ainda está amadurecendo. No caso das startups, esse desafio é ainda maior porque é preciso estabelecer território no mercado e ter o reconhecimento da proposta de valor enquanto se vencem as burocracias. Vale lembrar que, muitas vezes, falhar faz parte do aprendizado. Um caminho interessante que as startups podem seguir para reduzir as chances de descontinuidade é utilizar estratégias como coworking, FabLab, aplicar o conceito Fail Fast.

Sabemos que a inovação não fica restrita ao plano das ideias. Ela pode até ser alcançada com a execução diferenciada de uma ideia comum, um atendimento personalizado ou uma logística repensada para agregar mais qualidade ao serviço/produto. Há empresas, no entanto, que não conseguem fazer nenhuma dessas coisas. Por que é tão difícil inovar? Como desenvolver uma cultura de inovação dentro da empresa?

A inovação pressupõe mudanças a partir de um olhar mais amplo sobre as questões que impactam a sustentabilidade da empresa no longo prazo, impulsionando “novas formas de fazer”. Sempre há resistências quando falamos de mudanças, de sair da zona de conforto, mas isso faz parte do trabalho do “inovador”. Com convicção e argumentos sólidos, o inovador deve estar preparado para vencer essas barreiras.

Hoje, um dos grande desafios das empresas é promover a cultura da inovação a partir das pessoas, com a criação de um terreno fértil que impulsione novas ideias. Algumas empresas tentam fazer essa mudança exclusivamente por meio de processos, esquecendo das pessoas.

Na FCA, acabamos de criar um laboratório de criatividade aplicada, que recebeu o nome de “Afterburner”, em referência à câmara de combustão utilizada em foguetes quando é necessário um empuxo-extra, como a decolagem. O afterburner é utilizado apenas em momentos essenciais, pois consome muito combustível. Foi baseado nesse conceito que criamos esse projeto, que vai dar uma força-extra às ideias, consideradas de grande potencial, para superar barreiras. Com o “Afterburner”, teremos uma força-extra para explorar novos territórios e nos aproximar de culturas diferentes.

A preocupação com o impacto social é uma das razões para as marcas investirem em soluções que buscam o desenvolvimento sustentável. Elas sabem, também, que há uma cobrança crescente por conta da sociedade. Como os empreendedores podem atender essas expectativas dentro do cenário desfavorável citado acima?

Na FCA, temos aprendido com o “Afterburner” que a inovação acontece pela soma de diferentes elementos: a colaboração; o choque de culturas (por exemplo, entre empresas, universidades e poder público); um propósito comum; pessoas e ideias (de dentro para fora e vice-versa). Acredito muito no trabalho colaborativo como forma de reunir pessoas com diferentes habilidades e competências para, coletivamente, ajudarem resolver os problemas mais preeminentes de nossas indústrias. Há uma frase de Abraham Lincoln que gosto muito: “Os dogmas de um passado calmo são inadequados a um presente tempestuoso. O nosso presente é extraordinariamente difícil e nós temos de nos elevar com o desafio. Como o nosso caso é novo, temos de pensar de uma nova maneira e agir de uma nova maneira!”. Essa frase é uma inspiração para trabalharmos com ousadia em cima de verdades difíceis, combatendo tabus, tendo entregas com valor compartilhado. No Draft, há um texto também inspirador que gostaria de compartilhar.

Qual a visão da Fiat sobre mobilidade urbana e quais as iniciativas dentro e fora da empresa para o avanço dessa discussão?

Melhorar a mobilidade é ampliar o acesso às oportunidades. Ou seja, a cidade precisa oferecer uma rede de opções de modais interconectada que dê opções de escolha às pessoas. A boa mobilidade não é necessariamente a que tenha mais metrôs, corredores de ônibus, avenidas, ciclovias ou calçadas de qualidade, mas a que faça uma combinação justa, inteligente e eficiente de todos os modais possíveis para acessar as oportunidades. Ao mesmo tempo, o território da cidade precisa aproximar as pessoas das oportunidades, levando empregos para as periferias e trazendo gente para morar nos centros, encurtando as distâncias e simplificando a equação da mobilidade.

No contexto da mobilidade, criamos o projeto “Futuro das Cidades”. Como primeiro passo, em conjunto com o USP Cidades e parceria com a Coppead (Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro) e Cesar (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), concluímos em 2014 o estudo preliminar “Cidades e Mobilidade Urbana”.

O objetivo do estudo foi promover uma discussão a respeito do futuro da mobilidade urbana no Brasil e estamos mobilizando empresas, academia, entidades da sociedade civil e do terceiro setor para uma reflexão sobre o tema. Estamos, agora, fazendo uma pesquisa para identificar algumas cidades ao redor do mundo que estão à frente das discussões relacionadas ao planejamento e mobilidade urbana. A ideia é conhecer os projetos, as pessoas por trás das ideias, usuários e também vivenciar as soluções que elas deram para seus problemas.

Também estamos participando de alguns eventos para compartilhar nossa experiência e aprendizados para estimular e inspirar outras iniciativas. A participação que mais nos orgulhamos foi no SxSW, um dos maiores eventos da economia criativa nos EUA. Fomos convidados para mostrar a forma como estruturamos o projeto, conduzimos as interações e o espírito de colaboração.

O automóvel costuma ser apontado como o grande vilão da mobilidade urbana. Qual sua opinião? Dá para pensar em cidades sustentáveis sem prejudicar a indústria automobilística?

Culpar o carro não vai adiantar em nada para resolver esse problema. Essa ideia de que o automóvel é o vilão da mobilidade urbana precisa ser superada. Talvez seja mais correto compreendê-lo como um passo evolutivo para consolidar a efervescência do território de uma cidade. Se a Times Square, em Nova Iorque, é hoje uma via de pedestres, é porque ela teve seu papel histórico importante como avenida para veículos na história de Manhattan. Houve um momento em que fazia sentido passar de carro por lá. É por esse momento que algumas cidades brasileiras estão passando agora.

A jornalista e ativista americana Jane Jacobs diz, em seu livro “Morte e Vida das Grandes Cidades”, que o excesso de veículos motorizados e uma avenida congestionada não são a causa de um problema, mas o sintoma. Banir os carros não resolveria o acesso das pessoas às oportunidades. O carro particular tem suas vantagens e não podemos ignorá-lo. No futuro das cidades, acreditamos no resgate do conceito de que o carro assume cada vez mais o papel de veículo de passeio, para o qual foi inicialmente projetado.

O que acha da proibição do Uber em várias cidades brasileiras e do exterior?

O Uber é um novo modelo de negócio que pode criar oportunidades de trabalho e fomentar o empreendedorismo. O Uber é um serviço que descreve bem essa nova economia que vem surgindo impulsionada pela revolução digital. Eles surgem para quebrar paradigmas em economias tradicionais e estabelecidas. Assim como falamos na primeira pergunta, eles identificaram uma oportunidade de entregar uma solução diferente aquilo que já era feito. Subverteram o sistema. Assim como toda inovação disruptiva, precisa de tempo para ser compreendido, ajustado e validado.

A forma como trabalham focados no consumidor, respondendo de forma rápida demandas e oportunidades de mercado e otimizando os recursos disponíveis, é um traço marcante dessa nova economia. Além do Uber, existem outros atores que também estão promovendo as mesmas discussões em outros setores.

Aceleradora Jump promove happy hour para falar de empreendedorismo

A Jump Brasil, aceleradora do Porto Digital que fica no bairro de Santo Amaro, no Recife, vai promover um happy hour nesta quarta-feira (18). De acordo com os organizadores, será “uma oportunidade massa para um encontro regado a conteúdo de qualidade sobre inovação e empreendedorismo com sonzinho, comidinhas e cerveja”. Parece interessante, concordam?

Será aberto ao público e começa a partir das 18h. Haverá também uma palestra com Efrem Maranhão Filho, fundador da startup Escorebu, que traz a palestra “Frustrações do Big Data. De Rio a São Francisco”. Pelo que pesquisei, a Escorebu se propõe a organizar e analisar o fluxo de informações que circula nas plataformas de comunicação das empresas. Aqui você lê um pouco mais sobre ela. E aqui está o link para o evento, batizado de Jump Sessions.

Para quem estiver com preguiça de olhar o endereço no Google, a aceleradora funciona na Rua Capitão Lima, 420.

Jump Sessions

Carro elétrico no Brasil deixa de ter imposto de importação

Uma resolução publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira ajuda o Brasil a dar mais alguns passos para facilitar a adoção de meios de transporte sustentáveis. Carros elétricos e movidos a hidrogênio passam a ser isentos de imposto de importação, que antes era de 35%. A medida foi tomada pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), um órgão integrante do Conselho de Governo da Presidência da República.

“A Camex informa que a decisão foi tomada após amplo debate sobre o tema e que a medida busca inserir o Brasil em novas rotas tecnológicas, disponibilizando ao consumidor veículos com alta eficiência energética, baixo consumo de combustíveis e reduzida emissão de poluentes. Tais medidas estão alinhadas à política de fomento para novas tecnologias de propulsão e atração de novos investimentos para produção nacional desses veículos”, anotou a assessoria de comunicação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

A pasta atualmente é comandada pelo pernambucano Armando Monteiro, que é ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria e foi eleito senador por Pernambuco. Nas últimas eleições para governador do estado, ele disputou e perdeu o pleito para Paulo Câmara, afilhado político de Eduardo Campos.

No início de setembro, o BitBlog participou de uma coletiva de imprensa na aceleradora Jump Brasil, do Porto Digital, para detalhar a segunda etapa do funcionamento do Carro Leve, um projeto pioneiro na capital pernambucana que oferece carros elétricos compartilhados. Os automóveis foram todos importados da China e, na ocasião, o blog perguntou a Sérgio Xavier, secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, o motivo de buscar a solução no exterior.

Ele respondeu com uma crítica ao Governo Federal: “A indústria automobilística está passando por um processo de transformação e as empresas sabem que precisam se adequar ao que o mercado começa a exigir. Analisamos 200 opções e nenhum fabricante nacional se interessou em viabilizar isso. Mas o governo Dilma também precisa criar incentivos ao carro elétrico. Recentemente o Banco do Brasil anunciou a liberação de R$ 8 bilhões para o setor automotivo e não cobrou nenhuma contrapartida de investimento em carros elétricos ou tecnologias sustentáveis”, reclamou, na época.

Durante a coletiva, recordo que o presidente da Serttel, Angelo Leite, também observou que a legislação de trânsito do Brasil não atende à indústria de carros elétricos. Enquanto eles circulam normalmente pela Europa, por aqui precisam usar placa verde, que normalmente caracteriza veículos de montadoras ou oficinas em teste.

Por que resgatei essas falas de quase dois meses? Para mostrar que o Governo está atento às necessidades do setor e começa a dar uma resposta. Mas ainda há muito o que avançar.


Sobre o Carro Leve

O Carro Leve faz parte de um projeto guarda-chuva, o Porto Leve, que busca promover serviços inovadores e ecologicamente sustentáveis no ambiente do Porto Digital. Importados da China, os carros sustentáveis são inteiramente elétricos, equipados com ar-condicionado e demoram seis horas para serem carregados. Cada exemplar acomoda dois passageiros e alcança a velocidade limite de 60 km/h. Quando totalmente carregado, o Carro Leve tem autonomia de até 120 quilômetros.

Cesar promove seminário sobre Internet das Coisas

Cesar seminário Internet das Coisas

O Centro de Estudos Avançados do Recife (Cesar), uma das instituições mais reconhecidas dentro do Porto Digital, vai realizar um seminário na tarde desta sexta-feira (18) sobre Internet das Coisas. O cientista-chefe Silvio Meira vai atuar como mediador dos debates, que serão transmitidos na internet a partir das 16h. Confira, abaixo, os palestrantes e respectivos temas:

Eduardo Peixoto – executivo chefe de Negócios do Cesar

Tema: IoT: para onde vai o Negócio?

Tiago Barros – engenheiro de software e consultor no Cesar

Tema: O que falta na IoT? Por que ainda não temos, de forma instalada e abrangente, todas as nossas coisas conectadas na internet?

Daniel Thiago – Engenheiro de Sistemas Embarcados no Cesar

Tema: Injetando inteligência, alimentação e comunicação nas coisas: qual a relevância do hardware nessa história toda e o que ainda falta?

Leonardo Lima – UX Researcher no Cesar

Tema: O mundo realmente precisa de IoT? Um olhar crítico sobre as possibilidades e inovações nesse novo campo que se desvela diante de nós!

Fábio Urquiza – Engenheiro de Software e professor no Cesar

Tema: Você está preocupado com a segurança das coisas na internet? Como garantir privacidade e segurança em um mundo onde todas as coisas estarão conectadas?

Ricardo Almeida – Engenheiro de software no Cesar

Tema: Onde fica a Internet Industrial em um mundo idealizado de Smart Homes, Connected Cars, Wearables? Quais os desafios (inclusive técnicos) para se alcançar a reformulação da indústria através de IoT?

Adeilton Oliveira – Especialista em sistemas embarcados

Tema: De carros conectados a integrados: o que esperar nesse próximo passo