Steam

Yu-Gi-Oh! Legacy of the Duelist estreia bem no Steam

Um ano após chegar ao PS4 e Xbox One, finalmente Yu-Gi-Oh! Legacy of the Duelist ganhou versão para Windows. O game, que custa convidativos R$ 40, foi lançado no início de dezembro no Steam e segue entre os dez mais vendidos. Não poderia ser diferente: o fator nostalgia grita a todo momento, seja na campanha solo ou nas partidas online. Contando com personagens das cinco gerações do anime, o jogo parece ser o que os fãs mais pediam.

É importante apontar que Legacy of the Duelist tem um visual muito duvidoso, assim como a sua trilha sonora. A Konami parece ter preferido focar no conteúdo (com mais de 6 mil de cartas, por exemplo, além das modalidades de jogo e fator replay) ao invés de caprichar na apresentação. Os DLCs – R$ 10 cada – parecem ter preços exagerados, mas no final das contas é o conjunto da obra que fala mais alto. Veja abaixo um trailer do título.

Steam faz promoção com GTA V por R$ 50

Começou a promoção de primavera do Steam deste ano. Até às 16h (horário de Brasília) de 29/11, mais de 13 mil jogos estão em desconto no site do serviço. Confira, abaixo, algumas das ofertas que encontramos:

  • Assassin’s Creed Syndicate – R$ 50
  • Batman: Arkham Knight – R$ 36
  • Grand Theft Auto V – R$ 50
  • The Elder Scrolls V: Skyrim – R$ 14 (não é a remasterização, mas sim o original de 2011)
    • com expansões – R$ 35
  • The Witcher 3: Wild Hunt – R$ 40
    • com expansões – R$ 60

Tyranny, RPG de ação, é destaque no Steam

Você se lembra de Pillars of Eternity? O game – que foi um dos maiores sucessos até hoje do financiamento coletivo – esteve entre os destaques de 2015. Agora, eis que surge um sucessor espiritual, Tyranny, também para Windows, Linux e Mac OS X.

Após a conquista do mundo pelo maligno Kyros, é preciso restabelecer a ordem e decidir o que fazer com as facções sobreviventes. Na pele de um dos membros mais altos do recém-estabelecido império, o jogador deverá navegar por diferentes regiões, encontrando novos adeptos e eliminando aqueles que insistem em se opor.

Gameplay de Tyranny

Sai da frente

Tyranny chama atenção pelo enredo inusitado – não é mais uma aventura na pele de um herói ou uma heroína. Além disso, as decisões tomadas pelo protagonista geram profundas consequências. O que é melhor fazer? Tentar influenciar o povo, impor respeito ou incitar uma nova revolução? Depende de você.

Em menos de uma semana, o game da Obsidian já figura entre os mais vendidos do Steam. A avaliação da imprensa no Metacritic tem média de 83/100. Vindo de um estúdio tão cultuado, acho que ninguém esperava algo diferente. Tyranny está disponível desde 10 de novembro.

Conheça os requisitos para Resident Evil 7 no Windows

24 de janeiro de 2017. Esta é a data de lançamento de Resident Evil 7. Experimentamos o game na E3 deste ano e não poderíamos estar mais ansiosos. Após as recentes novidades sobre os protagonistas, chegou a hora de conhecer os requisitos mínimos (e os recomendados) para o game no PC (Windows). Confira abaixo, lembrando que a informação está sujeita a mudanças e vem do site do jogo no Steam.

Requisitos mínimos (1080p, 30 fps):

– SO: Windows 7, 8 ,8.1 ou 10 (edição 64-bit)
 Processador: Intel Core i5-4460, 2.70GHz ou AMD FX-6300 ou superior
– Memória: 8 GB de RAM
– Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 760 ou superior
– DirectX: Versão 11

Requisitos recomendados (1080p, 60 fps):

– SO: Windows 7, 8 ,8.1 ou 10 (edição 64-bit)
– Processador: Intel Core i7 3770 3.4GHz ou equivalente AMD ou superior
– Memória: 8 GB de RAM
– Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 960 ou superior
– DirectX: Versão 11

7 curiosidades sobre o clássico Tony Hawk’s Pro Skater

Tony Hawk’s Pro Skater, lançado em 1999 no PlayStation (e depois levado a outras plataformas), foi o primeiro de uma saga de sucesso nos videogames. Embora uma tentativa fracassada de retorno tenha acontecido em 2015, a excelência dos títulos originais da série é lembrada até hoje. A franquia do skatista Tony Hawk é ainda uma das responsáveis pela popularização dos games esportivos. Conheça, em mais uma coluna Bastidores, algumas curiosidades sobre o primeiro jogo.

Inspirado em… Super Mario 64?

Versão beta de THPS no PS1

Versão beta de THPS no PS1

No início do desenvolvimento, Pro Skater tinha uma visão distante, com os personagens descendo rampas e ladeiras de skate. Fazer manobras para obter pontuações mais altas e colecionar as famosas fitas já eram recursos presentes nesta versão. No entanto, para o time de produção, era difícil “encaixar as peças” e visualizar o esporte reproduzido nos jogos, de forma divertida. Após analisar Super Mario 64 e outros games similares, a equipe da Neversoft mudou o rumo do projeto, adotando uma mecânica mais livre.

Tony Hawk foi mais do que um personagem jogável

O famoso esportista era o ícone do skate naquele momento, nada mais justo do que chamá-lo para ser o protagonista. No entanto, o envolvimento de Hawk foi além, sendo participativo durante todo o ciclo de desenvolvimento: a mecânica adotada e as manobras foram discutidas em conjunto. A ideia era refletir a visão dele em relação ao esporte em um formato jogável.

Segredos bizarros

Namorada de Hawk na tela de pausa

Namorada de Hawk na tela de pausa

THPS é lembrado por ter cheats (códigos secretos) bem inusitados. Embora nos games seguintes seja possível desbloquear personagens como o Homem-Aranha, o primeiro jogo não fica muito atrás no quesito “bizarrice”. Por exemplo, após apertar uma sequência de teclas na tela de pausa, surge a namorada de Tony Hawk na tela. Outro comando traz a namorada de um dos programadores.

Censura no N64

Ao mesmo tempo em que tentou emplacar uma imagem de maturidade, a Nintendo também tropeçou, diversas vezes, em suas políticas de censura. Na edição do Nintendo 64, várias músicas do título foram censuradas, tendo que ser regravadas. A ideia era obter a classificação “para todos os públicos”. No PS1 e Dreamcast, para efeito de exemplo, o game era não recomendado para menores de 13 anos. A censura às faixas foi bem criticada pelos fãs, já que em alguns casos teria alterado o sentido das mesmas. Até o letreiro com os nomes das manobras foi trocado: no PS1 e DC, ele sai da tela deixando um rastro de sangue. No N64, as letras simplesmente descem.

Bruce Willis de skate

Sim, esse é Willis. Bizarro é pouco

Sim, esse é Willis. Bizarro é pouco

No início do desenvolvimento, o famoso skatista não tinha sido ainda modelado em 3D. Como os trabalhos precisavam andar, a Neversoft reaproveitou um modelo de Bruce Willis para testar as mecânicas adotadas. Isso foi porque o primeiro jogo do estúdio, Apocalypse (PS1), usava o ator como protagonista. O jeito foi colocá-lo andando de skate temporariamente.

Escolhendo as músicas

A trilha sonora da série definiu uma geração. Poucos sabem, no entanto, que o próprio Hawk sugeriu cada faixa. O primeiro jogo trazia de Dead Kennedys a Goldfinger, enquanto as sequências tiveram nomes mais comerciais (Foo Fighters, System of a Down, AC/DC).

Uma manobra impulsionou as vendas

Mesmo com o skate no auge, ainda havia incertezas em relação ao desempenho de THPS nas vendas. No entanto, um mês antes da chegada do jogo às lojas, uma manobra (900) feita perfeitamente por Hawk na X Games 99 trouxe grande atenção da mídia e do público, indiretamente refletindo no título, de acordo com o próprio time. Foi um sucesso tão devastador que a Activision transformou Pro Skater em uma série anual.

Planet Coaster: um simulador de parques de diversão no Steam

Há algum tempo, falamos brevemente de Rollercoaster Tycoon aqui no BitBlog. É curioso como um game feito originalmente por uma única pessoa tornou-se febre, criando um novo gênero de simulação. Embora a franquia tenha esfriado com o passar do tempo, o estúdio Frontier Developments – que colaborou com a mesma – está prestes a lançar um sucessor espiritual. Planet Coaster promete ser o simulador definitivo de parques de diversão. Em 17 de novembro, quando será lançado para Windows via Steam, vamos descobrir se o projeto merece todo esse hype.

Independência

“Nós estaremos publicando, por conta própria, Planet Coaster. Ninguém vai interferir no nosso trabalho. Estamos fazendo o game que nós queremos.”

A frase acima veio de Jonny Watts, diretor criativo do estúdio, em conversa com a edição inglesa da MCV. A declaração remete a alguns lançamentos passados da série Rollercoaster Tycoon, que precisou da grana de empresas como a Atari e a LucasArts para se tornar realidade. Planet Coaster nasceu como projeto indie, teve campanha no Kickstarter (levantando mais de £35.000), e contou com o feedback dos financiadores para evoluir até o produto final. O pessoal da Frontier está bem otimista, a propósito.

Imagem de montanha-russa sob o oceano

O visual lembra um pouco a arte de Sea of Thieves, da Rare

Gerando hype

Quais as inovações, precisamente, deste game? Em primeiro lugar, a ideia é se aproximar da realidade: qualquer ação realizada no parque de diversões que você gerencia vai refletir, instantaneamente, na reação das pessoas. Se há milhares de indivíduos frequentando o parque, cada um deles vai expressar nitidamente o seu sentimento em relação a cada decisão sua, qualquer que seja. Logo, se você fizer besteira, vai saber bem rápido… É o chamado “gerenciamento de multidões”, algo ainda não explorado no gênero.

Imagem de montanha-russa vista de cima

Visual caprichado de Planet Coaster chama atenção

Qual a graça de construir seu próprio parque se não é possível compartilhar com outras pessoas? Este recurso estará presente via Steam Workshop e promete ser um dos pontos altos. Por enquanto, o jogo está previsto apenas para Windows, mas vai trazer suporte a português. O game está em pré-venda no Steam e quem adquirir poderá experimentar uma versão beta antes do lançamento em novembro. Abaixo, veja o trailer e tire suas próprias conclusões.

Veja mais de 30 min de gameplay de BioShock: The Collection

BioShock: uma franquia muito interessante da geração passada de consoles. A coletânea The Collection, que chega em 13 de setembro, vai trazer os três títulos originais com visual caprichado, otimizado para as plataformas atuais. Mal posso esperar pela nova versão de BioShock Infinte, na minha opinião o melhor dos três.

Pensando em aumentar a expectativa dos fãs, a 2K Games lançou três vídeos de gameplay, totalizando mais de meia hora, demonstrando a coletânea. Acompanhe abaixo.

BioShock

 

BioShock 2

 

BioShock Infinte