Uber confirma expansão para Norte e Nordeste

Gerente do Uber confirma expansão para Norte e Nordeste do Brasil

Já é oficial: o serviço de transporte privado Uber planeja uma expansão pelas regiões Norte e Nordeste do Brasil neste ano de 2016. Detalhes sobre as cidades não foram mencionados – inclusive nada se comentou sobre as vagas abertas no Recife – o que é uma estratégia até compreensível, dado o risco de confronto com a categoria dos taxistas. Mas o gerente geral do Uber para a América Latina, Andrew MacDonald, concedeu uma entrevista ao jornalista Fernando Rodrigues, do Uol. Ele afirmou que o aplicativo possui uma base de 10 mil motoristas cadastrados no país e quer elevar o número para 60 mil até o final do ano. Motoristas interessados podem se inscrever clicando aqui.

Na entrevista, Andrew MacDonald também revelou uma ampliação no número de funcionários nos escritórios do Uber no Brasil. A equipe, hoje composta por 53 pessoas, deve dobrar de tamanho. Atualmente o Uber opera em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília, Campinas e Goiânia. De acordo com o executivo, há interesse em qualquer cidade com mais de um milhão de habitantes.

O gerente do Uber disse que o Brasil é considerado o maior mercado da América Latina para a companhia e que, apesar dos protestos, alcançou um crescimento de 30% ao mês no país. Mesmo cientes das crises políticas e econômicas, há um clima de otimismo.

Taxistas vs Uber

No Recife, o Uber foi proibido de operar por conta de um projeto de lei aprovado na Câmara Municipal durante o segundo semestre do ano passado. Não foi a única capital em que o serviço teve problemas. Com grande pressão por parte dos taxistas – que se sentem prejudicados com o Uber e o acusam de concorrência desleal – a empresa se viu envolvidas em várias polêmicas.

Em São Paulo, chegou a fazer um pedido de apoio aos usuários para evitar a proibição. Carros pretos que ofereciam serviços através do Uber foram apreendidos, mas desde o início do ano o prefeito Fernando Haddad tem se mostrado favorável à regulamentação, o que despertou uma nova onda de protestos. A maioria envolvendo depredações de carros, ameaças e até agressões físicas.

Nas redes sociais, o embate é ainda mais perceptível. O BitBlog verificou grupos de taxistas e de motoristas do Uber no Facebook.

Os taxistas dizem que o Uber é transporte clandestino e compartilham decisões judiciais contra o serviço em várias cidades do mundo, além de disseminar notícias envolvendo polêmicas ocorridas com o aplicativo. Eles aproveitam a rede social para organizar protestos e os mais exaltados sugerem partir para a briga física.

Já os motoristas do Uber se referem aos táxis como “pombas brancas” e ridicularizam os taxistas. Com frequência defendem que a categoria presta um serviço com baixo nível de qualidade e, por isso, o Uber faz sucesso. Nos grupos, os motoristas alertam sobre protestos e dão dicas para não serem reconhecidos ao pegar passageiros no aeroporto.

Em dezembro do ano passado, um estudo do CADE – o Conselho Administrativo de Defesa Econômica – chegou à conclusão de que o Uber não estava roubando mercado dos taxistas, mas gerando uma nova demanda.